View All Photos

Northeast Maranhão Mission headquarters in 2019.

Photo courtesy of Bruno Mesquita, accessed on November 20, 2019, https://bit.ly/2D6STzY.

Missão Nordeste Maranhense

By Lucas Vítor Alves Rodrigues Sena

×

Lucas Vítor Alves Rodrigues Sena

First Published: December 1, 2021

A Missão Nordeste Maranhense (MNeM) é uma unidade administrativa da Igreja Adventista do Sétimo dia, situada no território da União Norte Brasileira (UNB). Sua sede fica na Quadra Comercial nº 1, CEP 65130-000, no loteamento La Belle Park, no bairro Maioba do Genipapeiro, município de Paço do Lumiar, estado do Maranhão, Brasil.

A área de atividade missionária da MNeM abrange a região nordeste do estado de Maranhão e parte da região metropolitana da capital, São Luís, cobrindo um total de 42 cidades. A população total do campo é de 1.421.154 habitantes. A MNeM lidera 48.118 membros batizados, em 544 congregações distribuídas pelo campo missionário. A média é de um adventista para cada 29 habitantes no território.1

No campo da MNeM funcionam duas unidades da rede educacional adventista, que são: a Escola Adventista de Cidade Operária, localizada em São Luís, com 696 estudantes; e o Colégio Adventista da Cohab, também em São Luís, com 974 estudantes. O número total de alunos atendidos por essas duas instituições é de 1.670. Nesse campo missionário, há também o Centro Adventista de Treinamento e Recreação 2 (CATRE 2), situado na Rua da Bomba, nº 257, no bairro de Vila Esperança, em São Luís.2

A fim de atender às demandas administrativas, a missão conta com 214 funcionários, dos quais 37 são obreiros credenciados e 16 são obreiros licenciados; desse grupo, 41 são pastores. Entre esses pastores, 32 são ordenados e nove são licenciados, dos quais nove trabalham diretamente nos escritórios da sede administrativa e os restantes estão distribuídos entre escolas, CATRE e distritos do campo missionário.3

A Origem da Obra Adventista no Território da Missão

A primeira referência ao estado do Maranhão, nos documentos da IASD, é mencionada em 1920, na edição de agosto da Revista Mensal. No artigo dessa edição, foi relatado que o Sr. Juvenal Olympio de Farias e sua esposa foram enviados para trabalhar como colportores4 no Maranhão.5 Em dezembro do mesmo ano, outro colportor,6 Henrique José Correa, foi chamado para trabalhar na capital do estado. Assim que ele chegou nesse lugar, o colportor descobriu que já existiam 18 pessoas estudando a mensagem adventista e, pelo menos, duas guardando o sábado.7

Dois anos depois, um homem chamado Firmo Marinho, um adventista que trabalhava como barbeiro, se mudou para a cidade de São Luís. Firmo estabeleceu a sua barbearia do lado de uma ferrovia, situada no bairro de Baixinha. O barbeiro decidiu passar a maior parte do seu tempo, enquanto atendia os clientes, pregando a mensagem do Evangelho e conversando com as pessoas de forma intencional. Como resultado de bênçãos divinas, um grupo de membros da igreja batista começou a estudar a Bíblia com Firmo. Pouco depois, esse grupo de interessados começou a se reunir na casa do barbeiro, que também ficava no bairro de Baixinha.8

Em abril do mesmo ano (1922), o missionário Clarence Rentfro visitou a capital do Maranhão. Rentfro estabeleceu como foco de suas atividades visitar o campo de trabalho dos colportores e estudar a Bíblia com as pessoas que estavam interessadas em conhecer mais sobre a mensagem adventista. Nessa viagem, ele batizou oito pessoas na capital do Maranhão e, ao que se sabe, essa foi a primeira cerimônia batismal adventista realizada no estado do Maranhão.9

Posteriormente, em 1926 e 1927, outro missionário chegou a São Luís –o alemão German Hans Mayr, que viajou da cidade de Fortaleza para a capital do Maranhão. Na viagem de barco para São Luís, Hans conheceu um pescador nas margens do Rio Anil, que comentou com German sobre o trabalho evangelístico realizado na barbearia de Firmo Marinho. Então, ao chegar à capital do Maranhão em um sábado pela manhã, o missionário caminhou pelo bairro de Baixinha até encontrar o grupo de adventistas do qual tinha ouvido falar. Durante a sua estadia na cidade, Hans vendeu livros e estudou a Bíblia com os novos conversos.10

Com o passar do tempo, esse pequeno grupo que começou com os clientes de Firmo Marinho cresceu muito. Porém, em 1929, com a mudança do barbeiro para a cidade de Santarém, no estado do Pará, aquela congregação passou a se reunir na casa de outro membro, no bairro de João Paulo, também em São Luís. Essa foi apenas a primeira vez em que a congregação mudou de endereço. Por causa do constante crescimento no número de adventistas, o local de encontro desse grupo mudou várias vezes, permanecendo sem lugar fixo até 1942. Essa falta de um local fixo para as reuniões da igreja era reflexo das condições socioeconômicas desfavoráveis que afetavam grande parte do estado do Maranhão na época.11 Mas, mesmo em meio a desafios, a obra adventista avançou na região.

Em 1942, quando o Pastor Walter Streithorst chegou a Maranhão para servir à obra adventista, havia grupos estabelecidos nas cidades de Caixas, Bacabal, Jeju, Rosário, Coroatá, Pedreira, Inhaúma, entre outras.12 Nesse mesmo ano, Streithorst e o Pastor Gustavo Storch realizaram uma série de reuniões em um lugar chamado Casino Maranhense, na cidade de São Luís. Em breve, a quantidade de membros adventistas na capital cresceu ainda mais, em vista do melhoramento relativo da situação econômica. Dessa forma, tornou-se possível alugar uma casa grande na Rua da Paz, onde o grupo de São Luís foi organizado como igreja. Cerca de seis anos depois, a comunidade adventista de São Luís adquiriu um terreno na Rua Celso Magalhães, no centro da capital, para a construção da igreja central, que foi inaugurada em 1951.13

A certa distância desse lugar, em 1947, a mensagem adventista chegou à cidade de Barreirinhas, através do casal Sebastião e Josina Passos. Esse casal tinha assistido às reuniões de Gustavo Storch no salão dos adventistas na Rua da Paz, em São Luís e, no final da série, Josina foi batizada. Porém, Sebastião decidiu não ser batizado porque queria tirar todas as dúvidas que ainda tinha sobre a Bíblia. Em novembro de 1947, a família Passos mudou-se para Barreirinhas e ali Sebastião, apesar de não ter sido batizado, organizou uma classe de Escola Sabatina na sua casa. Após alguns encontros, alguns de seus familiares se converteram.14 Mais tarde, em 1948, o próprio Sebastião foi batizado pelo Pastor Frederico Pritchard na cidade de Rio Novo, atual Paulino Neves.

Quando Sebastião chegou à cidade de Barreirinhas, ele tornou a lancha Luzeiro III bem conhecida. 15 O comandante era o Pastor Pritchard. Algum tempo depois, o pastor estendeu a obra da lancha para essa cidade e prestou atendimento médico à população. Ele oferecia assistência médica durante o dia e realizou uma série de reuniões à noite. Algumas semanas depois, o Pastor Pritchard voltou para Barreirinhas, junto com o pastor e enfermeiro Américo Quispe. Juntos, conduziram outra série de reuniões com duração de 20 dias. No final dessa iniciativa evangelística, uma igreja foi organizada no local, que se reuniu na casa de Sebastião Passos por cerca de 27 anos.16

Outro foco do pioneirismo adventista na região foi a cidade de Paulino Neves (antiga cidade de Rio Novo), aonde a mensagem chegou no final da década de 1940 por meio de uma senhora chamada Maria Emília Rodrigues Moreira, conhecida popularmente como “Sinoca”. Maria também tinha assistido às reuniões de Gustavo Storch em São Luís e, voltando para Rio Novo, compartilhou o Evangelho com seu irmão Américo Rodrigues Moreira e com a sua cunhada, Rosa. Em 1948, o Pastor Frederico Pritchard, que estava em Parnaíba, no estado do Piauí, viajou para Rio Novo a pedido de Sinoca e passou uma semana estudando a Bíblia com a família Moreira. Cerca de três meses depois, o Pastor Pritchard batizou quase 30 pessoas nessa cidade e organizou a primeira igreja local.17

Em relação à cidade de São José de Ribamar, de acordo com as informações da época, existia um grupo de adventistas que se reunia ali desde 1950. Esse grupo era liderado por Rufino Gomes e sua família. Na época em que o Pastor João Gnutzmann trabalhou na região, ele visitou a cidade de São José de Ribamar várias vezes e ajudou a construir um salão de cultos nesse lugar. Ainda no início da década de 1950, a família Gomes mudou-se para Vila do Paço, hoje conhecida como a cidade de Paço do Lumiar, onde se encontra a sede da Missão Nordeste Maranhense.18

Nesse ínterim, na cidade de São Luís, a obra adventista continuou se expandindo. Em janeiro de 1951, a capital maranhense já contava com uma igreja adventista e uma escola de ensino fundamental. Até então, tanto a igreja quanto a escola funcionavam em um salão alugado.19 Não obstante, como dito anteriormente, aquela congregação já tinha adquirido um terreno (na Rua Celso Magalhães) para a construção do templo definitivo da Igreja Adventista do Sétimo Dia Central de São Luís. A inauguração desse novo templo aconteceu em outubro do mesmo ano.20 No ano seguinte (1952), no estado do Maranhão, já funcionavam seis escolas primárias adventistas, com um total de 250 alunos.21

Em 7 de setembro de 1963, foi inaugurada uma igreja adventista na cidade de Rosário, então pertencente ao distrito de São Luís. A cerimônia contou com a presença de líderes da União Norte Brasileira e da antiga Missão Costa Norte (hoje Missão Piauiense). No mesmo dia da inauguração, os pastores Manoel Walter e Benedito Lisboa começaram uma série de reuniões no novo templo.22 Nesse mesmo ano, alguns adventistas chegaram à cidade de São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luís. Embora um grupo já houvesse sido estabelecido naquela cidade no final da década de 1940 e início da década de 1950, a maioria dos integrantes havia se mudado para a cidade de Paço do Lumiar. Assim, a congregação começou suas atividades de fato em 1964.23

Em 1967, o trabalho de assistência social adventista deu novos passos com uma clínica móvel, que percorreu os estados do Maranhão e Piauí. No primeiro trimestre desse ano, foram realizadas 34 palestras sobre saúde e 48 palestras sobre temas religiosos, em 56 vilas e cidades. O trabalho feito por meio dessa clínica móvel trouxe resultados e, em março de 1968, quase 130 pessoas já tinham sido batizadas nos dois estados.24 De maneira semelhante, durante a década de 1970, a obra de assistência médica e social foi intensificada na região. Por meio de uma parceria com o Funrural,25 a Missão Costa Norte adquiriu uma van VW para realizar os trabalhos necessários. Com base em Caxias, no Maranhão, essa van, dirigida pelo enfermeiro Ivo Jacinto Meneses, atendia 18 municípios da região, prestando serviços a mais de mil pessoas por mês.26

A obra continuou avançando em várias frentes. Em 1984, o templo adventista de São José de Ribamar foi inaugurado na região metropolitana de São Luís. Depois, em 1987, o grupo que existia na cidade foi organizado como uma igreja.27 Na vila de São Benedito, na época parte da cidade de Tutoia, uma senhora católica chamada Maria Esther Silva tornou-se adventista após ler uma Bíblia que recebeu como presente do padre da comunidade. Maria decidiu guardar o sábado, e os outros paroquianos seguiram seu exemplo. Depois de conhecer os irmãos adventistas, em pouco tempo, quase todos os católicos da cidade se tornaram Adventistas do Sétimo Dia, e o templo católico foi transformado em um templo adventista.28

Em março de 1986, a cidade de São Luís sediou a Assembleia Trienal da Missão Costa Norte. Nessa ocasião, os delegados presentes decidiram reorganizar o campo (que abrangia o Maranhão, Piauí e Ceará) e criar a Missão Maranhense (atual Associação Maranhense).29 O pedido oficial de reorganização do território missionário foi encaminhado à UNB, que aprovou essa medida em 1988, resultando na criação da Missão Maranhense. Nesse ano, havia 51 igrejas organizadas, 133 grupos e mais 69 famílias adventistas (em locais isolados) no Maranhão. A nova unidade administrativa foi inaugurada de 27 a 30 de julho de 1988.30 

Em novembro de 1996, a cidade de São Benedito sediou um acampamento organizado pela Missão Maranhense. Cerca de 1.500 pessoas dos bairros de Barreirinhas e Baixo Parnaíba compareceram ao encontro, e 32 batismos foram realizados na ocasião.31 O campo missionário do Maranhão continuou se expandindo ao longo dos anos. Isso é demonstrado, por exemplo, pelos dados da cidade de Barreirinhas.32 Em 2004, essa cidade completou 57 anos desde que foi alcançada pela mensagem adventista, com a chegada de Sebastião e Josina Passos. Nesse ano (2004), Barreirinhas já contava com cerca de três mil membros adventistas, distribuídos por 60 congregações e dois distritos pastorais.33

 A História Organizacional da Missão

No início de 2018, a Associação Maranhense atendia cerca de 79.800 adventistas, distribuídos entre 902 congregações.34 Pelo fato de ser um dos maiores campos da União Norte Brasileira, na época, percebeu-se que havia a necessidade de uma reorganização. Assim, em uma reunião administrativa da diretoria da Associação Maranhense (AMa), realizada em 25 de maio de 2018, os votos da Divisão Sul-Americana (DSA) e da UNB foram registrados, que aprovaram a proposta de reorganização territorial da AMa e a criação da Missão Nordeste Maranhense. Quando a MNeM foi criada, ela assumiu como missão ser um campo onde se trabalha para alcançar “a excelência no Discipulado, Fidelidade e Evangelismo, visando cumprir a missão do Mestre.”35  

Em agosto de 2018, a diretoria da União Norte Brasileira votou a nomeação do Pastor Samuel Bastos como presidente da nova missão e do Pastor José Araújo Neto como tesoureiro.36 Posteriormente, em outubro desse ano, a UNB votou o nome do Pastor Fausto Farias, secretário da Associação Maranhense na época, para exercer a mesma função no novo campo missionário. A MNeM ficou responsável por liderar o avanço da obra adventista na região nordeste do estado do Maranhão e em parte da região metropolitana de São Luís.37 A nova missão iniciou suas atividades com a tarefa de liderar mais de 48 mil adventistas, distribuídos por mais de 543 congregações no território, e passou a administrar as Escolas Adventistas de Cohab e Cidade Operária.38

Do momento de sua criação até o fim de 2019, o escritório sede da MNeM funcionou em instalações provisórias. Não obstante, em outubro de 2018, foi lançada a pedra fundamental para a construção da sede definitiva da missão.39 A inauguração dessa nova sede aconteceu posteriormente, em 24 de outubro de 2019, na Quadra Comercial nº 01, no loteamento La Belle Park, no bairro Maioba do Genipapeiro, município de Paço do Lumiar.40 A cerimônia de inauguração contou com a presença de líderes da Divisão Sul-Americana e da União Norte Brasileira.   

Mesmo no curto período de existência da MNeM, a igreja adventista na região já tem desenvolvido muitos projetos de importância social e espiritual. Mais e mais pessoas estão se envolvendo em projetos como “Dez dias de Oração”,41 cuja mobilização tem sido acompanhada por ações solidárias. Os adventistas da região também têm voltado a sua atenção para os refugiados da crise humanitária que assola a Venezuela desde 2017. Em agosto de 2019, membros de igreja dos bairros de Janaína e Vila Embratel, em parceria com uma associação de moradores, ofereceram café da manhã para refugiados venezuelanos no Terminal Rodoviário de São Luís. Nessa ocasião, os voluntários também entregaram roupas e cestas básicas para as famílias que moravam na rodoviária.42 

No campo missionário da MNeM, também tem havido uma participação ativa em outros projetos missionários promovidos pela DSA, como o “Impacto Esperança” 43 e “Quebrando o Silêncio”.44 Na edição 2019 do projeto “Impacto Esperança”, membros de mais de 500 congregações adventistas do nordeste do Maranhão distribuíram cerca de 245 mil exemplares do livro Esperança Para a Família.45 Durante o projeto “Quebrando o Silêncio” do mesmo ano, foram realizadas ações de conscientização, como marchas e distribuição de revistas.46

A liderança e os membros da MNeM também estão muito preocupados com a preparação espiritual das crianças e adolescentes. Em vista disso, existem mais de 44047 clubes de Desbravadores e Aventureiros na região,48 com quase 10.500 participantes ativos no total.49 Outra forma usada para a pregação do Evangelho no campo são as ondas de rádio. Na região próxima à sede da unidade administrativa, a Rádio Cultura (106,3 FM) transmite o programa “Jesus em Sua Vida”. Seu conteúdo evangelístico alcança as cidades de Paço do Lumiar, São Luís e Raposa, e tem alcance potencial de 60 mil pessoas. Este é um dos muitos meios usados pela IASD na região, a fim de alcançar alguns dos lugares que ainda não contam com presença adventista.50

Essas várias frentes missionárias têm dado resultado. Desde a recente inauguração da MNeM, uma nova igreja adventista foi plantada na região abrangida pela unidade administrativa – a Igreja Adventista do Sétimo Dia de Chácara Brasil, localizada no bairro Turu, capital do Maranhão. Mesmo existindo desde a década de 1980, o bairro ainda não tinha presença adventista. Hoje, cerca de 65 pessoas frequentam essa congregação, que também faz parte de um projeto para alcançar bairros e áreas sem presença adventista.51

Os membros e líderes da MNeM planejam intensificar cada vez mais a obra de pregar o Evangelho na sua região. No que se refere à área educacional, os planos da missão incluem construir mais uma escola adventista e treinar professores e funcionários. Quanto  às igrejas, os planos envolvem: intensificar os esforços para diminuir a quantidade de membros que deixam a Igreja; fazer investimentos e fornecer mais apoio aos pastores distritais; treinar colportores para a obra evangelística no campo; melhorar o serviço aos membros, aumentando o número de distritos pastorais; consolidar o projeto Pequenos Grupos,52 para aumentar a fé e o relacionamento entre os membros; envolver mais crianças e adolescentes em uma vida espiritual intensa, por meio dos projetos como o clube de Desbravadores e de Aventureiros; e otimizar o espaço físico do CATRE 2.53

A concretização desses planos e o crescimento sólido tem seus desafios. Um deles é a precariedade da infraestrutura urbana em muitas cidades atendidas pela Missão, realidade que resulta em dificuldades no deslocamento dos missionários na tarefa de pregar o Evangelho. Porém, a história da obra no território da MNeM mostra que a disposição missionária dos adventistas que trabalharam nessa região é um exemplo inspirador no avanço da Igreja, mesmo em meio a muitas adversidades. Uma das lições aprendidas é que o sucesso missionário é resultado de permitir que o Espírito Santo trabalhe por meio de pessoas dedicadas, que pregam o Evangelho de todo coração.54

Cronologia dos Líderes Administrativos55

Presidentes: Samuel Muniz Bastos (2018-atual).

Secretários: Fausto Rocha Farias (2018-atual).

Tesoureiros: José Araújo Damasceno Neto (2018-atual).56

Referências

Adventistas Nordeste Maranhão. Postagem do Facebook, 26 de maio de 2019. https://www.facebook.com/.

Adventistas Nordeste Maranhão. Postagem do Facebook, 26 de agosto de 2019. https://www.facebook.com/.

Agência de Notícias Adventista Sul-Americana, “Nordeste do Maranhão ganha nova sede administrativa da Igreja Adventista.” Notícias Adventistas (Online), 25 de outubro, 2019.

Ata da Associação Maranhense, maio de 2018, voto nº 2018-059.

Barreto, Orlando. “Mais Uma Escola.” Revista Adventista, no. 6, ano 47 (junho de 1952).

“Campal inspira igrejas no Maranhão.” Revista Adventista, novembro de 1996.

Caranha, Josiane (secretária assistente da UNB). Mensagem de e-mail para Carlos Flávio Teixeira (editor associado da ESDA), 10 de setembro de 2019.

Censo Brasileiro de 2019. Raposa, Maranhão. População estimada, IBGE, acessado em 10 de março de 2020, https://www.ibge.gov.br/pt/.

Corrêa, Henrique José. “São Luiz, Maranhão.” Revista Mensal 15, no. 12 (dezembro de 1920).

Dias, Luís Antônio de Menezes. “Um breve histórico sobre o surgimento da Missão Maranhense.” Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1996.

Educação Adventista. https://www.educacaoadventista.org.br/.

Ferreira, Mallú. “Cohatrac cresceu com gerações e se tornou autossuficiente.” O Imparcial (Online), 31 de julho, 2018.

Fuckner, Luís. “A Clínica Móvel da Missão Costa-Norte.” Revista Adventista, no. 3, ano 63 (março de 1968).

“Igreja Adventista comemora 57 anos em Barreirinhas.” Revista Adventista, fevereiro de 2005.

“Igreja Católica torna-se adventista.” Revista Adventista, julho de 1989.

Lima, W.S. “Mais Um Templo na Missão Costa-Norte.” Revista Adventista, no. 2, ano 59 (fevereiro de 1964).

Luzeiro. https://www.luzeiro.org/

Mayr, Hans. El Abuelito Hans. Buenos Aires: Casa Publicadora de Buenos Aires, 2004.

Ministério de Desbravadores e Aventureiros. https://clubes.adventistas.org.

Portal do Governo do Brasil. https://www.gov.br/pt-br.

Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia. https://www.adventistas.org/pt/.

Rabello, José Mendes. “A colportagem no norte do Brasil.” Revista Mensal 15, no. 8 (agosto de 1920).

“Recentemente, a Missão Costa-Norte...” Revista Adventista, vol. 65, no. 2, fevereiro de 1970.

Rentfro, Clarence Emerson. “Experiências de Viagem na Missão Pernambucana.” Revista Mensal 17, no. 11 (novembro de 1922).

Saraiva, Emmanuel de J. A História do Adventismo do Maranhão: Campo de Milagres. São Luís, MA: Gráfica e Editora Maia, 2002.

Scanssette, Suyanne. “Voluntários amparam famílias venezuelanas no Maranhão.” Notícias Adventistas (Online), 5 de setembro de 2019.

Seixas, Anne. “Missão Nordeste Maranhense tem secretário nomeado.” Notícias Adventistas (Online), 31 de outubro de 2018.

Seixas, Anne. “Nomeada a administração da Missão Nordeste Maranhense.” Notícias Adventistas, 23 de agosto de 2018.

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD]. https://www.adventistyearbook.org/.

Storch, G.S. “Inauguração do Templo de Teresina, Piauí.” Revista Adventista, no. 1, ano 46 (janeiro de 1951).

Streithorst, Walter. “Breve relato de minha vida.” In Minha Vida de Pastor, editado por Tércio Sarli. Campinas, SP: Editorial Certeza, 2007.

“Trienal da Missão Costa-Norte.” Revista Adventista, maio de 1986.

Vargas, Jaqueline. “Missão Nordeste Maranhense lança pedra fundamental.” Notícias Adventistas (Online), 29 de outubro de 2018.

Notas de Fim

  1. Seventh-day Adventist Online Yearbook, “Northeast Maranhao Mission [Missão Nordeste Maranhense],” acessado em 3 de março, 2020, https://bit.ly/2rqPIQU; Ministério de Desbravadores e Aventureiros, “Estatísticas - Missão Nordeste Maranhense,” acessado em 1º de abril de 2020, https://bit.ly/2lMD0ZW.
  2. Josiane Caranha (secretária assistente da UNB), mensagem de e-mail para Carlos Flavio Teixeira (editor associado da ESDA), 10 de setembro de 2019.
  3. Ibid.
  4. A colportagem é “Atividade de distribuição voluntária e independente de publicações de conteúdo religioso e temas relacionados à saúde e qualidade de vida em família.” Aqueles que trabalham com a colportagem são conhecidos como colportores. Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Colportagem,” acessado em 14 de fevereiro de 2020, https://bit.ly/2RQirbB.
  5. José Mendes Rabello, “A colportagem no norte do Brasil,” Revista Mensal 15, no. 8 (agosto de 1920): 12, 13.
  6. O colportor evangelista da Igreja Adventista do Sétimo Dia é um missionário que “desenvolve seu ministério adquirindo e vendendo ao público as publicações editadas e aprovadas pela Igreja, para transmitir a seus semelhantes o Evangelho eterno que traz a salvação física e bem-estar espiritual,” Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Colportagem,” acessado em 4 de fevereiro de 2020, http://bit.ly/2J6tY1I
  7. Henrique José Corrêa, “São Luiz, Maranhão,” Revista Mensal 15, no. 12 (dezembro de 1920): 12.
  8. Emmanuel J. Saraiva, A História do Adventismo do Maranhão: Campo de Milagres, São Luís, MA: Imprensa e Editora Maia, 2002, 47, 48.
  9. Clarence Emerson Rentfro, “Experiências de Viagem na Missão Pernambucana,” Revista Mensal 17, no. 11 (novembro de 1922): 11.
  10. Hans Mayr, El Abuelito Hans, Buenos Aires: Casa Publicadora de Buenos Aires, 2004, 106, 107.
  11. Emmanuel J. Saraiva, A História do Adventismo do Maranhão: Campo de Milagres, São Luís, MA: Gráfica e Editora Maia, 2002, 52.
  12. Walter Streithorst, “Breve relato de minha vida,” in Minha Vida de Pastor, ed. Tércio Sarli (Campinas, SP: Certeza Editorial, 2007), 491, 492, 502.
  13. Emmanuel J. Saraiva, A História do Adventismo do Maranhão: Campo de Milagres, São Luís, MA: Gráfica e Editora Maia, 2002, 54-56.
  14. Ibid., 104-105.
  15. “A primeira lancha missionária Luzeiro foi inaugurada em julho de 1931 pelo casal Leo e Jessie Halliwell, com o objetivo de levar saúde, educação e assistência médica e odontológica gratuita à população ribeirinha da Amazônia. [...] Nesses 80 anos, milhares de pessoas foram beneficiadas diretamente pela assistência das lanchas. Em muitos casos, essa era a única maneira dessas pessoas obterem assistência médica e odontológica.” Luzeiro, “História,” acessado em 22 de janeiro, 2020, https://www.luzeiro.org/.
  16. Emmanuel J. Saraiva, A História do Adventismo do Maranhão: Campo de Milagres, São Luís, MA: Gráfica e Editora Maia, 2002, 107.
  17. Ibid., 101, 102.
  18. Ibid., 72.
  19. S. Storch, “Inauguração do Templo de Teresina, Piauí,” Revista Adventista, no. 1, ano 46 (janeiro de 1951): 10.
  20. Emmanuel J. Saraiva, A História do Adventismo do Maranhão: Campo de Milagres, São Luís, MA: Gráfica e Editora Maia, 2002, 56.
  21. Orlando S. Barreto, “Mais Uma Escola,” Revista Adventista, no. 6, ano 47 (junho de 1952): 8, 9.
  22. S. Lima, “Mais Um Templo na Missão Costa-Norte,” Revista Adventista, no. 2, ano 59 (fevereiro de 1964): 24.
  23. Emmanuel J. Saraiva, A História do Adventismo do Maranhão: Campo de Milagres, São Luís, MA: Gráfica e Editora Maia, 2002, 72, 73.
  24. Luís L. Fuckner, “A Clínica Móvel da Missão Costa-Norte,” Revista Adventista, no. 3, ano 63 (março de 1968): 21.
  25. “O Fundo de Amparo ao Trabalhador Rural (Funrural) foi organizado pela Lei Complementar 11, de 25 de maio de 1917, e propiciava benefícios de aposentadoria, pensão, auxílio-funeral, saúde e assistência social aos trabalhadores rurais no Brasil.” Portal do Governo do Brasil, “Lei complementar nº 11, de 25 de maio de 1971,” acessado em 4 de fevereiro, 2020, https://bit.ly/2mjjGDN.
  26. “Recentemente, a Missão Costa-Norte...,” Revista Adventista, vol. 65, no. 2, fevereiro de 1970, 27.
  27. Emmanuel J. Saraiva, A História do Adventismo do Maranhão: Campo de Milagres, São Luís, MA: Gráfica e Editora Maia, 2002, 73.
  28. “Igreja Católica torna-se adventista,” Revista Adventista, julho de 1989, 28.
  29. “Trienal da Missão Costa-Norte,” Revista Adventista, maio de 1986, 28.
  30. Luís Antônio de Menezes Dias, “Um breve histórico sobre o surgimento da Missão Maranhense,” Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1996, 7-11.
  31. “Campal inspira igrejas no Maranhão,” Revista Adventista, novembro de 1996, 25.
  32. Emmanuel J. Saraiva, A História do Adventismo do Maranhão: Campo de Milagres, São Luís, MA: Gráfica e Editora Maia, 2002, 152.
  33. “Igreja Adventista comemora 57 anos em Barreirinhas,” Revista Adventista, fevereiro de 2005, 33.
  34. Josiane Caranha (secretária assistente da UNB), mensagem de e-mail para Carlos Flavio Teixeira (editor associado da ESDA), 10 de setembro de 2019.
  35. Ata da Associação Maranhense, maio de 2018, voto nº 2018-059.
  36. Anne Seixas, “Nomeada a administração da Missão Nordeste Maranhense,” Notícias Adventistas, 23 de agosto de 2018, acessado em 28 de agosto de 2019, https://bit.ly/2HtQB0a.
  37. Anne Seixas, “Missão Nordeste Maranhense tem secretário nomeado,” Notícias Adventistas, 31 de outubro de 2018, acessado em 28 de agosto de 2019, https://bit.ly/2HtQOAu.
  38. Agência de Notícias Adventista Sul-Americana, “Nordeste do Maranhão ganha nova sede administrativa da Igreja Adventista,” Notícias Adventistas, 25 de outubro, 2019, acessado em 22 de novembro, 2019, https://bit.ly/37tf5lv.
  39. Jaqueline Vargas, “Missão Nordeste Maranhense lança pedra fundamental,” Notícias Adventistas, 29 de outubro de 2018, acessado em 3 de março de 2020, http://bit.ly/2wmQdhx.
  40. Seventh-day Adventist Online Yearbook, “Northeast Maranhao Mission [Missão Nordeste Maranhense],” acessado em 3 de março de 2020, https://bit.ly/2rqPIQU.
  41. “O programa ‘10 dias de oração e dez horas de jejum’ é um convite e uma oportunidade para as pessoas dedicarem mais tempo à oração por um motivo específico,” Educação Adventista, “10 Dias de Oração,” acessado em 3 de março de 2020, http://bit.ly/38hpcsP.
  42. Suyane Scanssette, “Voluntários amparam famílias venezuelanas no Maranhão,” Notícias Adventistas, 5 de setembro de 2019, acessado em 22 de novembro de 2019, https://bit.ly/2DahkfS.
  43. O projeto “Impacto da esperança é um programa que incentiva a prática da leitura e fornece uma distribuição anual em massa de livros por parte dos adventistas do sétimo dia no território sul-americano.” Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Impacto Esperança,” acessado em 4 de fevereiro de 2020, https://bit.ly/34dZROO.
  44. “Quebrando o Silêncio é um projeto anual, desenvolvido desde 2002, pela Igreja Adventista do Sétimo Dia em oito países da América do Sul (Argentina, Brasil, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai) que visa educar e prevenir contra os abuso doméstico e violência,” Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Quebrando o Silêncio,” acessado em 4 de fevereiro de 2020, https://bit.ly/2WoDfIW.
  45. Adventistas Nordeste Maranhão, postagem no Facebook, 26 de maio de 2019, acessado em 3 de março de 2020, https://bit.ly/3atEkoJ.
  46. Adventistas Nordeste Maranhão, postagem no Facebook, 26 de agosto de 2019, acessado em 3 de março de 2019, https://bit.ly/2wsFGRG.
  47. O Clube de Desbravadores é formado por “meninos e meninas de 10 a 15 anos, de diferentes classes sociais, cor, religião. Se reúnem, em geral, uma vez por semana para aprender a desenvolver talentos, habilidades, percepções e o gosto pela natureza.” Esses meninos e meninas “ficam maravilhados com as atividades ao ar livre. Eles gostam de acampar, fazer caminhadas, escalar, explorar bosques e cavernas. Eles sabem cozinhar ao ar livre, fazendo fogo sem fósforos.” Além disso, demonstram “habilidades com disciplina por meio da ordem unida e têm sua criatividade despertada pelas artes manuais. Eles também lutam contra o uso de tabaco, álcool e drogas.” Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Quem somos,” acessado em 4 de fevereiro de 2020, http://bit.ly/2FDRqTh.
  48. O Clube de Aventureiros é um programa específico para crianças de 6 a 9 anos, criado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia, em 1972. Nas reuniões, as crianças realizam atividades com foco no desenvolvimento físico, mental e espiritual. Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Aventureiros,” acessado em 4 de fevereiro de 2020, https://www.adventistas.org/pt/aventureiros/sobre-nos/.
  49. Ministério de Desbravadores e Aventureiros, “Estatísticas - Missão Nordeste Maranhense,” acessado em 1º de abril de 2020, https://bit.ly/2lMD0ZW
  50. Censo Brasileiro de 2019, Maranhão, Raposa (MA) Nível Geográfico - 2109452, população estimada, IBGE, acessado em 10 de março de 2020, http://bit.ly/3cJ5yK1; Mallú Ferreira, “Cohatrac cresceu com gerações e se tornou autossuficiente,” O Imparcial, 31 de julho de 2018, acessado em 10 de março de 2020, http://bit.ly/2xrQSPa
  51. Agência de Notícias Adventista Sul-Americana, “Nordeste do Maranhão ganha nova sede administrativa da Igreja Adventista,” Notícias Adventistas, 25 de outubro de 2019, acessado em 22 de novembro de 2019, https://bit.ly/37tf5lv
  52. “Um Pequeno Grupo é um encontro semanal de pessoas que, sob a coordenação de um líder, buscam o crescimento espiritual, social e evangelístico, visando a sua multiplicação.” Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Pequenos Grupos,” acessado em 4 de fevereiro de 2020, https://bit.ly/2NtcXj7
  53. Josiane Caranha (secretária assistente da UNB), mensagem de e-mail para Carlos Flavio Teixeira (editor associado da ESDA), 10 de setembro de 2019.
  54. Ibid.
  55. Seventh-day Adventist Yearbook, “Northeast Maranhão Mission [Missão Nordeste Maranhense],” acessado em 26 de março de 2019, https://bit.ly/2rqPIQU
  56. Para mais informações sobre a Missão Nordeste Maranhense, acesse o site: http://mnem.adventistas.org/, ou as nossas redes sociais – Facebook e Instagram: @adventistasnordesteMA.
×

Sena, Lucas Vítor Alves Rodrigues. "Northeast Maranhão Mission." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. December 01, 2021. Accessed June 17, 2024. https://encyclopedia.adventist.org/article?id=4IG5.

Sena, Lucas Vítor Alves Rodrigues. "Northeast Maranhão Mission." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. December 01, 2021. Date of access June 17, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=4IG5.

Sena, Lucas Vítor Alves Rodrigues (2021, December 01). Northeast Maranhão Mission. Encyclopedia of Seventh-day Adventists. Retrieved June 17, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=4IG5.