View All Photos

José Rodrigues dos Passos

Photo courtesy of Brazilian White Center - UNASP.

 

Passos, José Rodrigues dos (1902-1987)

By The Brazilian White Center – UNASP

×

The Brazilian White Center – UNASP is a team of teachers and students at the Brazilian Ellen G. White Research Center – UNASP at the Brazilian Adventist University, Campus Engenheiro, Coelho, SP. The team was supervised by Drs. Adolfo Semo Suárez, Renato Stencel, and Carlos Flávio Teixeira. Bruno Sales Gomes Ferreira provided technical support. The following names are of team members: Adriane Ferrari Silva, Álan Gracioto Alexandre, Allen Jair Urcia Santa Cruz, Camila Chede Amaral Lucena, Camilla Rodrigues Seixas, Daniel Fernandes Teodoro, Danillo Alfredo Rios Junior, Danilo Fauster de Souza, Débora Arana Mayer, Elvis Eli Martins Filho, Felipe Cardoso do Nascimento, Fernanda Nascimento Oliveira, Gabriel Pilon Galvani, Giovana de Castro Vaz, Guilherme Cardoso Ricardo Martins, Gustavo Costa Vieira Novaes, Ingrid Sthéfane Santos Andrade, Isabela Pimenta Gravina, Ivo Ribeiro de Carvalho, Jhoseyr Davison Voos dos Santos, João Lucas Moraes Pereira, Kalline Meira Rocha Santos, Larissa Menegazzo Nunes, Letícia Miola Figueiredo, Luan Alves Cota Mól, Lucas Almeida dos Santos, Lucas Arteaga Aquino, Lucas Dias de Melo, Matheus Brabo Peres, Mayla Magaieski Graepp, Milena Guimarães Silva, Natália Padilha Corrêa, Rafaela Lima Gouvêa, Rogel Maio Nogueira Tavares Filho, Ryan Matheus do Ouro Medeiros, Samara Souza Santos, Sergio Henrique Micael Santos, Suelen Alves de Almeida, Talita Paim Veloso de Castro, Thais Cristina Benedetti, Thaís Caroline de Almeida Lima, Vanessa Stehling Belgd, Victor Alves Pereira, Vinicios Fernandes Alencar, Vinícius Pereira Nascimento, Vitória Regina Boita da Silva, William Edward Timm, Julio Cesar Ribeiro, Ellen Deó Bortolotte, Maria Júlia dos Santos Galvani, Giovana Souto Pereira, Victor Hugo Vaz Storch, and Dinely Luana Pereira.

 

 

First Published: November 21, 2021 | Last Updated: April 13, 2022

José Rodrigues dos Passos, pastor, evangelista, administrador e professor, nasceu em 9 de janeiro de 1902, na cidade de Santo Antônio da Patrulha, estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Filho de José Rodrigues dos Passos e Maria Emília dos Passos,1 teve quatro irmãos — Jovina, Ernestina, Zilda e João.2

José nasceu na Fazenda Passos, à margem do Rio Rolante, que era propriedade de seu avô paterno. Seu pai faleceu quando ele tinha três anos de idade e, por essa razão, a família viveu por um tempo com os parentes de sua mãe. Primeiro, foram para a casa de seus avós maternos – Rodrigo Amador dos Reis e Ludovina, mais conhecida como vovó Dindinha. Naquela ocasião, tiveram a oportunidade de conviver com o tio José Amador dos Reis, que ainda morava em casa e futuramente se tornaria o primeiro pastor ordenado no Brasil. Com ele, o pequeno José Rodrigues aprendeu a construir arapucas e a ajudar na moedura de cana para fazer açúcar, melado e rapadura.3

Mais tarde, a família morou com os tios Doca e Adolfo Amador dos Reis, que foi considerado por José Rodrigues como um segundo pai. Ao todo, eram onze crianças na casa — ele, quatro irmãos e seis primos —, que juntos formavam uma grande família. Em tempo oportuno, sua mãe pôde construir uma casa, que ficava próxima à dos tios Adolfo e Doca.4  

Em 1904, chegaram à cidade de Taquara os primeiros missionários adventistas — pastores Huldreich F. Graf e Ernest Schwantes. Como foram informados que em Santo Antônio da Patrulha havia pessoas interessadas em descobrir a verdade bíblica, eles se dividiram. Enquanto Graf ficou em Taquara, Schwantes se dirigiu para Campestre, distrito de Santo Antônio da Patrulha e, mais tarde, para Rolante. Foi assim que toda a família do avô Rodrigo Amador dos Reis aceitou a mensagem adventista, somando aproximadamente 30 pessoas.5

O primeiro batismo da região de Campestre foi realizado ainda em 1904, no Rio dos Sinos. Entre os batizados, estavam Maria José Mendes, seus filhos Saturnino Mendes de Oliveira e Roberto Mendes de Oliveira, bem como a mãe de José Rodrigues. Pouco depois, seu pai e quase todos os membros das famílias de Rodrigo e Irineu Amador dos Reis também foram batizados, no Rio Rolante, formando o grupo que deu início à Igreja Adventista de Rolante.6  

Na ocasião, José Rodrigues tinha apenas dois anos de idade. Contudo, o zelo dessa família recém-convertida fez com que ele também fosse instruído cuidadosamente nos caminhos do Senhor. Além disso, o contato com a natureza e o trabalho agrícola desempenhado desde os 11 anos de idade moldaram a vida do futuro pastor.7 Ele iniciou os estudos em uma classe escolar organizada em sua casa, da qual o primo de sua mãe, Roberto Mendes de Oliveira, era o professor. Em 1913, foi fundada a Escola Adventista Rolante, onde José obteve a educação primária e secundária.8 Vale notar que tanto a igreja como a escola foram construídas em terreno doado pelo avô, Rodrigo Amador dos Reis.9

José Rodrigues desejava se tornar pastor desde que tinha 10 anos, sentimento que se fortalecia sempre que assistia aos sermões de seu tio José dos Reis, desejando seguir seus passos.10 Mas, como deixaria a mãe viúva para ir estudar Teologia, sendo ele o filho homem mais velho? Então, aos 15 anos de idade, foi acometido gravemente por pneumonia e os médicos não lhe deram chance de vida. Sua mãe orou fervorosamente ao Senhor, dizendo que, se ele fosse curado, o consagraria inteiramente à Sua obra. Pela graça de Deus, a cura efetuou-se e logo a mãe começou a economizar a fim de conseguir os recursos necessários para enviá-lo ao seminário.11 Na mesma época (1917), ele foi batizado pelo Pastor Henrique Mayer, na cidade de Rolante, Rio Grande do Sul.12 

Por meio da venda de animais e produtos agrícolas, José conseguiu juntar o estipêndio necessário para o primeiro ano de estudos (800 mil réis).13 Desse modo, deixou Porto Alegre com destino ao Colégio Adventista Brasileiro em São Paulo (hoje Unasp-SP), acompanhado dos colegas Domingos Peixoto da Silva e Júlio Miñán.14 Em janeiro de 1920, ingressou no curso de Teologia.15 Porém, por falta de recursos, nos anos de 1921 e 1922 teve que interromper os estudos para se dedicar totalmente à colportagem.16 Retornou ao Colégio em 1923, seguindo na colportagem durante as férias.17 Em 1926, colportou no Rio de Janeiro, quando teve a oportunidade de vender o livro O Conflito dos Séculos, de Ellen G. White, para o futuro presidente Getúlio Vargas. Ele gostou tanto da história dos reformadores que, mais tarde, colocou o nome de Lutero em seu filho primogênito.18

Nos últimos anos do curso, conheceu Adelina Benincassa (1904-1997), que na época havia sido chamada para lecionar português no Colégio Adventista Brasileiro. Eles se casaram em 29 de dezembro de 1926 na Igreja Adventista de São Carlos, estado de São Paulo, em cerimônia oficiada pelo Pastor José Amador dos Reis. Juntos, tiveram cinco filhos: Paulo, Esther, Daniel, Ruth e Helena. Adelina nasceu em São Carlos em 1904 e formou-se em Enfermagem pela Faculdade de Medicina da Bahia. Serviu como enfermeira e professora em escolas adventistas a vida toda.19

José dos Passos formou-se em Teologia em março de 192720 e iniciou o trabalho denominacional em 1º de abril do mesmo ano. Seu primeiro trabalho evangelístico foi desenvolvido em Pindaúva, na região do Vale do Ribeira, estado de São Paulo. Como resultado, foi organizado o primeiro grupo adventista local, com o batismo de 11 pessoas pelo Pastor Alberto Hagen. Anos depois, esse grupo formou uma igreja na cidade de Jacupiranga.21 Após cinco meses, Passos foi chamado para trabalhar em Curitiba, estado do Paraná, onde ajudou o Pastor Alberto Hagen na Igreja Central. De Curitiba, foi transferido para Paranaguá, também no Paraná, onde trabalhou por três meses auxiliando um grupo de crentes, até março de 1928.22

Em abril, aceitou o chamado para ser evangelista na Missão Rio-Minas Gerais, onde realizou uma série de conferências em Olaria, Rio de Janeiro. A série já havia sido iniciada por um jovem pregador, mas que estava divulgando ensinamentos diferentes dos da fé adventista a fim de fundar uma igreja própria. Pela graça de Deus, a situação foi revertida e uma igreja adventista foi construída. Em seguida, ele auxiliou nos programas evangelísticos dos pastores Ricardo Wilfart, em Madureira, e Henrique Stoehr, em Niterói.23

Posteriormente, foi transferido para ser pastor e evangelista da Igreja Adventista de Juiz de Fora, estado de Minas Gerais, onde permaneceu de abril de 1929 a fevereiro de 1930. Em seguida, trabalhou como evangelista na capital do estado, Belo Horizonte, que na época não possuía nenhuma igreja adventista. Logo, foi alugado no bairro de Barro Preto uma casa para moradia da família e um salão para conferências.24

Em 3 de outubro de 1930, irrompeu a revolução que colocou o presidente Getúlio Vargas no poder, e a casa da família Passos ficou justamente entre o fogo cruzado do 12º Regimento de Infantaria e as forças da Polícia Militar. Balas de fuzis e metralhadoras começaram a atravessar o telhado e cair dentro da residência. Percebendo o perigo, decidiram fugir para Vila Concórdia, mas para isso tiveram que sair na rua e enfrentar o risco de ser atingido por uma das balas, que passavam sibilando junto às suas cabeças. Pela providência divina e as orações dos irmãos, o casal Passos e os três filhos chegaram em segurança, sendo um ainda nascituro de sete meses.25

Durante a sua estadia em Belo Horizonte, o Pastor Passos realizou conferências nos bairros de Barro Preto e Carlos Pratas, além de ajudar o Pastor Luiz Braun em uma série de reuniões realizada no centro. Como fruto de seus esforços, a primeira igreja de Belo Horizonte foi fundada, na Vila Concórdia. José dos Passos foi ordenado ao ministério em 9 de janeiro de 1932, no Rio de Janeiro.26

Em maio de 1932, aceitou o chamado para servir na Missão Nordeste como o único pastor e evangelista dos estados da Bahia e Sergipe, sob a liderança do Pastor Gustavo Storch. Quando chegou, não havia igreja adventista construída na cidade de Salvador, mas apenas um grupo de irmãos que se reunia em um salão alugado em Itapagipe. Ali, realizou conferências públicas e também auxiliou o Pastor Storch nas reuniões evangelísticas realizadas no centro de Salvador. Como resultado, a primeira igreja adventista da região central de Salvador foi organizada e construída.27

No final de 1933, a família Passos passou por uma situação muito difícil. As crianças foram todas acometidas, ao mesmo tempo, de sarampo, catapora e caxumba. Enquanto isso, o pai ficou gravemente doente com malária e tifo e precisou ser internado. O seu colega, Pastor Teófilo Berger, estava passando pela mesma situação e não resistiu. O estado de saúde do Pastor Passos era tão grave que os médicos pediram à sua esposa que levasse ao hospital a mortalha para vesti-lo. Em vista disso, o Pastor Cecil Schneider foi convidado para orar por ele e ungi-lo, conforme a recomendação de Tiago 5. A igreja também foi convidada a orar e jejuar por sua recuperação. No momento da unção, Passos estava em estado de coma, mas, ao serem pronunciadas as palavras “e a oração da fé salvará o doente” (Tg 5:13-15), ele acordou e imediatamente sentiu que estava melhorando. Em pouco tempo, estava em casa.28

Em 1934, Passos promoveu séries de conferências nas cidades de Aracajú e Lagarto, estado do Sergipe.29 Da Bahia, foi chamado para pastorear as três igrejas existentes na cidade de Recife, estado de Pernambuco, onde atuou de fevereiro de 1936 a outubro de 1937.30 No mês seguinte, foi transferido para João Pessoa, estado da Paraíba, onde realizou com sucesso programas evangelísticos e organizou a primeira igreja adventista da cidade, com 100 membros.31 Além disso, em uma vila no interior da Paraíba, realizou conferências em uma igreja presbiteriana, cujos membros se tornaram quase todos adventistas.32

Em agosto de 1938, foi nomeado diretor dos departamentos de Educação e Jovem da Associação Sul-Rio-Grandense.33 Em seguida, foi nomeado presidente da Missão Mato-Grossense, onde serviu de junho de 1941 a março de 1944. O desafio era grande, pois só havia dois obreiros em todo o campo — os pastores Alfredo Barbosa e Alfredo Meier. Por esse motivo, ele desempenhou muitas outras funções, como líder dos departamentos de Obra Missionária, Educação e Jovem, enquanto o tesoureiro era também responsável pelos departamentos de Escola Sabatina e Colportagem.34

Nesse período, o mundo estava sendo sacudido pela Segunda Guerra Mundial. O apoio do Brasil aos aliados levou o Estado a empreender forte perseguição contra civis alemães e japoneses. Pelo fato de a Igreja Adventista brasileira, na época, possuir vários obreiros e membros alemães, ela foi colocada sob suspeita em vários pontos do país. Um dos estados em que a igreja sofreu perseguição mais severa foi o Mato Grosso. Dois jovens adventistas foram presos por não trabalharem aos sábados no serviço militar, e outro jovem foi apreendido simplesmente por ser de ascendência alemã e ter se lamentado em público que o Brasil houvesse entrado na guerra. O tesoureiro do campo, o alemão Edwino Langstrassem, também foi preso, e todos os documentos do cofre da Missão, bem como a igreja e o batistério, foram revistados em busca de um suposto rádio transmissor — que não foi encontrado. Até o Pastor Passos, apesar de não ter ascendência alemã ou japonesa, foi colocado na cadeia. Felizmente, pela amizade com o então comandante da região militar, eles foram libertos dias depois.35

Posteriormente, de abril de 1944 a julho de 1950,36 foi presidente da Associação Paraná-Santa Catarina, onde participou da transferência do Educandário Adventista do Butiá (hoje Instituto Adventista Paranaense) da cidade de Butiá para Curitiba, no bairro de Pinheirinho.37 O novo terreno foi comprado por 200 mil Cruzeiros e, no início de 1948, tiveram início as aulas no novo local, sob a direção do Pastor Romeu Ritter dos Reis.38

Em seguida, Passos foi nomeado pastor distrital na Associação Paulista, onde serviu às igrejas do Brás (1950) e Central (janeiro de 1951 a abril de 1952).39 Durante esse período, dirigiu um programa de rádio evangelístico transmitido aos domingos pela Rádio Tupi.40

Em abril de 1952, foi chamado para ser professor de Bíblia no Ginásio Adventista de Taquara (hoje Instituto Adventista Cruzeiro do Sul). Nesse período, o trabalho missionário com os alunos foi enfatizado e, aos sábados, grande número deles davam estudos bíblicos e distribuíam literatura pelos arredores. Além disso, vários estudantes se tornaram adventistas por meio das classes batismais. Através desse trabalho, formou-se um grupo de crentes na cidade de Gravataí, que mais tarde se tornou uma igreja.41 Passos lecionou ali até ser nomeado presidente da Associação Sul-Rio-Grandense em fevereiro de 1954. Durante seu mandato, o campo teve um crescimento notável, com a promoção de 19 conferências evangelísticas, o batismo de 1719 pessoas, o estabelecimento de 12 igrejas e um progresso considerável na construção do Ginásio Adventista de Taquara.42

O Pastor José dos Passos se aposentou no início de 1958, na Associação Sul-Rio-Grandense.43 Durante a aposentadoria, serviu como ancião na Igreja Central de Curitiba, pela qual foi homenageado em 1979 por seus 80 anos de vida e 50 anos de ordenação. Passos faleceu em 31 de janeiro de 1987, em Curitiba, devido a um ataque cardíaco. A cerimônia fúnebre foi realizada na Igreja Central pelo Pastor Enoch de Oliveira, e o sepultamento ocorreu no cemitério Jardim da Saudade.44

José Rodrigues dos Passos prestou contribuição relevante para a Igreja Adventista do Sétimo Dia no Brasil, onde serviu por 31 anos como pastor, evangelista, administrador e professor. Trabalhou em dez estados do Brasil, destacando-se por seu trabalho evangelístico e pelos serviços prestados à administração dos campos.

Referências

“Falecimentos.” Revista Adventista, ano 83, no. 03, março, 1987.

“Falecimentos.” Revista Adventista, ano. 93, no. 06, junho, 1997.

Moreira, Ubiratan Santos. “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos.” Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988.

Passos, José R. dos. Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012).

Seventh-day Adventist Yearbook. Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, vários anos.

Schmidt, Ivan. “Casal Passos Comemora Bodas de Ouro.” Revista Adventista, ano 72, no. 02, fevereiro, 1977.

Wichert, Helena Passos. “A Coragem de uma Pioneira.” Revista Adventista, ano 72, no. 03, março, 1977.

Notas de Fim

  1. “Falecimentos,” Revista Adventista, ano 83, no. 03, março, 1987, 27; Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 02-03.
  2. Helena Wichert, mensagem por WhatsApp para Maria Júlia dos Santos Galvani, 14 de setembro de 2021.
  3. José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 1-3.
  4. Ibid, p. 1-3.
  5. Ibid, p. 6-8.
  6. Ibid, p. 6-8.
  7. Ibid, p. 6-8.
  8. Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 05.; José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 10-11.
  9. José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 8.
  10. Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 06.
  11. José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 12.
  12. “Falecimentos,” Revista Adventista, ano 83, no. 03, março, 1987, 27.
  13. José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 13.
  14. Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 07.
  15. José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 13.
  16. Ibid, p. 15.
  17. Ibid, p. 18.
  18. Ibid, p. 20.
  19. Falecimentos,” Revista Adventista, ano 93, no.06, junho, 1997, 28; “Falecimentos,” Revista Adventista, ano 83, no. 03, março, 1987, 27; Ivan Schmidt, “Casal Passos Comemora Bodas de Ouro,” Revista Adventista, ano 72, no. 02, fevereiro, 1977, 27-28; Helena Passos Wichert, “A Coragem de uma Pioneira,” Revista Adventista, ano 72, no. 03, março, 1977, 37; Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 11;
  20. Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 07.; José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 22.
  21. José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 26-27.
  22. Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 13-15; e “Santa Catharina-Parana Mission,” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1928), 202; José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 29.
  23. José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 31-32.
  24. Ibid, p. 33.
  25. Ibid, p. 34-35.
  26. Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 15-18; “Rio de Janeiro Mission,” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1929), 205;
  27. José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 46-48.
  28. Ibid, p. 49-51.
  29. Ibid, p. 47-48.
  30. Ibid, p. 53.
  31. Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 18-20.; “North East Mission,” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1933), 165.; José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 58.
  32. José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 55.
  33. Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 20; “Rio Grande do Sul Conference,” “Taquara Academy,” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1941), 192;
  34. José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 61-62.
  35. Ibid, p. 68-70.
  36. Ibid, p. 72.
  37. Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 22-23; “Parana-Santa Catarina Conference,” “Brazil College,” “Brazil Publishing House,” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1950), 168; Brazil College,” “Brazil Publishing House,” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1950), 323.
  38. José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 76 e 79.
  39. Ibid, p. 82.
  40. Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 29-24; “São Paulo Conference,” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1951), 180.
  41. José R. dos Passos, Memórias de um Pioneiro (não publicado, 31 ago. 2012), p. 86.
  42. Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 24-25; “Rio Grande do Sul Conference,” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1958), 157; e Taquara Academy,” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1958), 244; e “Brazil Publishing House,” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1958), 282.
  43. Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 28.
  44. “Falecimentos,” Revista Adventista, ano 83, no. 03, março, 1987, 27; Ivan Schmidt, “Casal Passos Comemora Bodas de Ouro,” Revista Adventista, ano 72, no. 02, fevereiro, 1977, 27-28; Ubiratan Santos Moreira, “Vida e Ministério do Pastor José Rodrigues dos Passos” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 31.
×

UNASP, The Brazilian White Center –. "Passos, José Rodrigues dos (1902–1987)." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. April 13, 2022. Accessed May 27, 2023. https://encyclopedia.adventist.org/article?id=8IF4.

UNASP, The Brazilian White Center –. "Passos, José Rodrigues dos (1902–1987)." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. April 13, 2022. Date of access May 27, 2023, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=8IF4.

UNASP, The Brazilian White Center – (2022, April 13). Passos, José Rodrigues dos (1902–1987). Encyclopedia of Seventh-day Adventists. Retrieved May 27, 2023, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=8IF4.