View All Photos

North Minas Mission headquarters.

Photo courtesy of North Minas Mission Archives.

Missão Mineira Norte

By Leônidas Verneque Guedes, Lucas Vítor Alves Rodrigues Sena, and Yanka de Araújo Pessoa

×

Leônidas Verneque Guedes

Lucas Vítor Alves Rodrigues Sena

Yanka de Araújo Pessoa

First Published: October 22, 2021

A Missão Mineira Norte (MMN) é uma unidade administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia, localizada no território da União Sudeste Brasileira (USeB). Sua sede fica na Rua Geraldina Sarmento Mourão, nº 299, CEP 39401056, no bairro Jardim São Luís, na cidade de Montes Carlos, Minas Gerais, Brasil.

O campo missionário da MMN abrange as cidades das regiões norte e noroeste do estado de Minas Gerais. Dentre elas estão Montes Claros, Januária, Unaí, Passos, Paracatu, Janaúba, Salinas, Rio Pardo de Minas, Mirabela e Grão-Mogol. De 130 municípios administrados pela Missão Mineira Norte, há presença Adventista em 97 deles. A população estimada na região é de cerca de 2.304.946 pessoas. A Missão conta com 14.826 adventistas distribuídos entre 23 distritos pastorais com 75 igrejas organizadas. Nessa região, a média é de um adventista por 156 habitantes.1

O território conta com uma unidade de ensino denominada Escola Adventista de Montes Claros (Eamoc), localizada na Rua Domingos de Souza Guerra, nº 95, distrito de São José, em Montes Carlos, e atualmente possui 352 alunos matriculados. Para ajudar a população adventista da região, a MMN possui uma equipe de 58 pessoas, das quais 24 são funcionárias do escritório da Missão, duas são funcionárias credenciadas e duas, licenciadas. Há cerca de 30 pastores, dos quais 24 são credenciados e seis, licenciados.2

A Origem da Obra no Território da Missão

A história da obra missionária adventista no norte de Minas Gerais teve início em 1923, durante uma viagem do Pastor John L. Brown à região. Após se hospedar nas cidades de Barbacena e Conselheiro Lafaiete, Brown foi para Pirapora, onde fez uma viagem de barco a vapor pelo rio São Francisco. Enquanto esperava naquele local, conseguiu cerca de 10 assinaturas da publicação missionária O Atalaia, e também vendeu algumas. De Pirapora, Brown foi para a cidade de Manga, onde uma família já guardava o sábado e estava estudando a Bíblia, e ali conduziu uma reunião evangelística.3

Em abril de 1926, Emílio Keppke iniciou o trabalho de colportagem na região oeste de Minas Gerais com o auxílio de dois colportores oficiais e mais três alunos do Colégio Adventista Brasileiro (CAB – atual UNASP-SP).4 No mesmo ano, L.G. Jorgensen divulgou a notícia de uma grande obra evangelística nas igrejas de São Jacinto e Liberdade, no interior da cidade de Teófilo Otoni.5 Em dezembro de 1928, a Missão Mineira (hoje chamada de Associação Mineira Central - AMC) contava com 220 adventistas.6

Em 1930, várias reuniões evangelísticas foram realizadas em cidades conhecidas, tais como Belo Horizonte, por José dos Passos, e Aimorés, por Henrique Stoehr. Além disso, há registro de viagens missionárias realizadas por Deodoro Barbosa no interior de Minas Gerais, a fim de pregar a mensagem adventista.7 Em 1931, devido ao crescimento missionário na região sudeste, a União Leste Brasileira (atual União Sudeste Brasileira) decidiu unir as missões do Rio de Janeiro e Minas Gerais em um único campo, a Missão Rio-Minas Gerais, tendo como presidente E.M. Davis.8

Na mesma década, as primeiras iniciativas adventistas aconteceram na região norte de Minas Gerais. Em abril de 1932, uma mulher chamada Cipriana Mendes, natural de Montes Claros, foi batizada no Rio Arrudas, em Belo Horizonte. Em 1933, 9 voltou a viver na região norte de Minas Gerais devido à sua saúde fragilizada.10 Ela foi a primeira e única Adventista de Montes Claros naquela época, e logo começou a pregar e distribuir literatura. Em seguida, um homem chamado Pedro Conceição Freire e sua esposa foram batizados em Montes Claros. No início de 1934, Cipriana Mendes e o casal Freire alugaram um quarto para ser usado como centro religioso; ali teve início a primeira Igreja Adventista em Montes Claros.11 Em 1935, um colportor chamado Mário Pinto passou a vender livros na cidade, sendo considerado o primeiro colportor adventista naquele local.12

A divulgação da mensagem adventista no norte de Minas Gerais continuou a progredir durante a década de 1940. Em 1943, Saturnino Mendes de Oliveira estabeleceu-se em Montes Claros para liderar a obra de publicações na região do Rio São Francisco.13 Naquela época, essa região, que incluía o norte de Minas Gerais, tinha cerca de 300 adventistas.14 Em fevereiro de 1944, outro colportor viajou para Montes Claros e, por influência dele, outras pessoas passaram a fazer estudos bíblicos na Escola Radiopostal 15 do programa de rádio A Voz da Profecia.16 Em novembro de 1945, o colportor José Lugão também visitou a cidade, e ali organizou a primeira Escola Sabatina na casa de Cipriana Mendes.17

No final de 1945, Edvaldo Berniz, Michael Cardoso e mais dois outros colportores chegaram a Montes Claros vindo do Instituto Teológico Adventista (atual IPAE), onde organizaram uma Escola Sabatina. Em 1947, Enoque Medrado chegou à região para auxiliar no desenvolvimento do trabalho. No mesmo período, Pedro Conceição Freire foi eleito diretor da Escola Sabatina de Montes Claros, tendo Ruivaz Freire como secretário e Cipriana Mendes como tesoureira.18 Em 1945, a Missão Rio São Francisco (precursora da Missão Mineira Norte, finda em 1955) começou suas atividades, com sede em Pirapora, norte de Minas. A Missão era composta por partes da Missão Rio-Espírito Santo e da Missão Rio-Minas Gerais, o que hoje é chamado de territórios do norte de Minas Gerais, parte do sul da Bahia e uma pequena parte do norte do Espírito Santo. Seu primeiro presidente foi o Pastor Paulo Seidl;19  Leontino Ramalho era o secretário-tesoureiro, e Enoque Medrado, Plácido da Rocha Pita e Sebastião Silva serviam como pastores departamentais e distritais, respectivamente.20

Em 1948, ocorreu o lançamento do barco da Missão, o Luminar I. Esse projeto foi inspirado no Luzeiro I, que havia sido conduzido por Leo Halliwell nos anos 1930 e 1940 no norte do Brasil. O Luminar I foi construído para navegar no Rio São Francisco, que nasce no estado de Minas Gerais e se estende por todo o estado da Bahia.21 Em 25 de novembro de 1948,  o barco foi inaugurado, com Paulo Seidl no comando22 e sua esposa, Alícia Seidl, como enfermeira.23 Na ocasião, eles navegaram em sua primeira viagem missionária,24 deixando o porto de Pirapora. Até 1953, o Luminar I serviu aproximadamente 16.000 pessoas, prestando assistência médica e odontológica, incluindo extrações de dentes e outras cirurgias menores.25

Nessa primeira viagem missionária, Paulo Seidl visitou as localidades Rodeador e Porto Novo, no norte de Minas Gerais. Em Rodeador, localizado a cerca de 10 quilômetros da cidade de Januária, já havia 19 adventistas e 20 outras pessoas que se preparavam para o batismo. Por dez dias, o Pastor Seidl realizou conferências evangelísticas que coincidiam com o trabalho médico do Luminar.26 No início de 1949, Paulo Seidl visitou Montes Claros, onde dirigiu uma nova série evangelística na prefeitura, aumentando o interesse de várias pessoas em aprender mais sobre a mensagem adventista. O aluno e colportor Juventino Monteiro deu continuidade ao trabalho de venda de livros, e o Pastor Werner Bleck, às palestras do Pastor Seidl, iniciando logo uma classe bíblica com oito pessoas.27 Por fim, no início de 1950, a Escola Sabatina de Montes Claros contava com 29 membros, 28 dos quais três eram batizados.29

Em 1952, o grupo adventista de Montes Claros era liderado pelo Pastor Sebastião Silva, da Missão Rio São Francisco.30  Em março de 1953, 11 pessoas foram batizadas pelo Pastor Paulo Seidl. Naquela época, o grupo tinha 75 pessoas participando da Escola Sabatina, além de sete classes em regiões vizinhas;31 em 1954, foi considerada uma das igrejas mais bem sucedidas da Missão Rio São Francisco.32 Não se sabe exatamente quando a Igreja Montes Claros foi organizada, mas em janeiro de 1955 a Missão Rio São Francisco tinha quatro igrejas organizadas e 437 membros adventistas.33 No entanto, no mesmo ano, o território da Missão Rio São Francisco foi integrado às missões Mineira, Bahia e Sergipe.34

No final da década de 1950, a região norte de Minas Gerais experimentou avanços significativos na educação adventista. Em 1959, as escolas adventistas de Ensino Fundamental em Januária possuíam 45 alunos e eram dirigidas por Abrão do Carmo; Pirapora tinha 40 alunos, com Alvino de Oliveira como diretor. Já Montes Claros tinha 120 alunos, e a escola era dirigida por Albertina e Ednir Pereira. Nesse período, Montes Claros era o centro do distrito pastoral do Vale do Rio São Francisco, e já possuía uma sociedade jovem adventista organizada: a Sociedade Adventista de Montes Claros (SAMC). O pastor que servia no distrito era Rafael Pereira.35

Além disso, em 1959, havia uma igreja ativa com 60 membros na cidade de Januária, da qual toda a membresia foi resultado direto do trabalho da lancha Luminar, no período de um ano após o lançamento.36  A região norte  de Minas Gerais tornou-se parte da Missão Minas Gerais, que em janeiro de 1960 tinha 1.591 adventistas e 12 igrejas organizadas.37 Em 1961, havia um clube de Desbravadores na igreja de Montes Claros, considerado na época o primeiro de toda a Missão Minas Gerais, dirigido por João Stehling.38 Já em fevereiro de 1962, foi realizado o lançamento da lancha Luminar II, sucessora da Luminar I, tendo seus escritórios sede também na cidade de Pirapora.39 O Pastor Leslie C. Scofield era o comandante, acompanhado de sua esposa, a enfermeira Donna Scofield. Pouco depois de sua inauguração, o barco viajou por cerca de 400 quilômetros ao longo do rio São Francisco, cobrindo a ponta norte  de Minas Gerais e parte do sul da Bahia.40

No final de 1963, a Missão Mineira ganhou um terreno em Montes Claros, e o plano inicial era construir uma capela no local.41 Em conjunto com a obra médico-missionária adventista da lancha Luminar, os adventistas no norte de Minas Gerais também dedicaram atenção especial ao trabalho da Assistência Social Adventista como um meio de apoiar o trabalho missionário. Em setembro de 1965, Montes Claros ganhou uma unidade da Obra Filantrópica da Assistência Social Adventista (OFASA),42 que passou a receber medicamentos e leite diretamente da Secretaria de Saúde de Minas Gerais.43

Dois anos depois, em outubro de 1965, foi construída no mesmo local a segunda igreja adventista da cidade, em Vila Magalhães, além de uma clínica médica.44 No ambulatório, mais tarde denominado Clínica de Montes Claros, três médicos prestavam serviço voluntário, entre eles o prefeito da cidade, que também era médico. Nesse mesmo ano, foram realizadas reuniões campais em Montes Claros, sob a direção do Pastor César Augusto da Costa.45 No final de 1966, 28 pessoas foram batizadas como resultado direto do trabalho da Luminar II, na região norte de Minas.46

Na segunda metade da década de 1960, a obra educacional deu novos passos na região. Em 1967, o Instituto Rural Luminar deu início às atividades na vila de Remansinho, na cidade de Januária. Em julho daquele ano, a escola já tinha um prédio com salas de aula, dormitório, mercearia, indústria, casas e igreja. Na igreja da escola, havia 100 membros batizados. No mesmo ano, a escola primária de Montes Claros contava com mais de 100 alunos matriculados, quatro professores contratados e oferecimento de um curso de admissão ao ginásio.47

Em 1968, a União Este Brasileira organizou a Missão Alto São Francisco (finda em 1971), com território que abrangia todo o norte de Minas Gerais. Com sede em Pirapora, a missão cobria cidades como Pirapora, Montes Claros, Itacarambi e Paracatu.48 Em janeiro de 1969, a missão tinha cinco igrejas organizadas e 682 adventistas.49 Assim como o trabalho evangelístico, a obra médico também progrediu. Em 10 de junho de 1969, a Missão Alto São Francisco inaugurou uma clínica médica e odontológica em Pirapora. Funcionando em um novo prédio construído especialmente para esse fim, a clínica contava com consultório médico, farmácia, pequena sala de cirurgia, consultório odontológico e depósito de alimentos, além de servir também como escola de ensino primário.50

Em julho de 1969, a primeira Assembleia Bienal da Missão Alto São Francisco foi realizada no Instituto Rural Luminar, em Remansinho. A reunião, que contou com a presença de 300 representantes dos distritos missionários, elegeu o Pastor José Fernandes de Oliveira como presidente, com Plínio Lourenço Souza como secretário. No mesmo ano, a mensagem adventista chegou à cidade de Mirabela, no norte de Minas Gerais, através de uma conferência realizada pelo Pastor Haroldo Soldani e uma série de estudos realizados pelo obreiro João Castro. Em novembro daquele ano, em Mirabela, já havia uma Escola Sabatina com 22 pessoas, das quais 11 eram batizadas.51

Em 1969, a obra adventista foi avançando em outras partes do norte Minas Gerais. Os adventistas de Paracatu, por exemplo, liderados pelo obreiro João Castro, receberam um terreno da prefeitura para iniciar a construção do prédio da igreja. Em Unaí, a congregação também ganhou um terreno e mais 10.000 tijolos para a igreja. No município de Pedras de Maria da Cruz, havia um grupo de 52 adventistas que recentemente tinham se organizado como igreja. Ainda em 1969, as cidades de Paracatu e Montes Claros passaram a transmitir o programa de rádio A Voz da Profecia.52 Naquela época, o ensino primário da Igreja Central de Montes Claros era o maior da missão, com 200 alunos matriculados.53

Em janeiro de 1970, havia cinco igrejas organizadas e 920 adventistas no território da missão.54 Nesse mesmo período, o grupo adventista em Mirabela tinha 19 membros batizados, e as obras de construção da Igreja Adventista na cidade estavam progredindo rapidamente.55 Relatos de outras cidades no mesmo período também eram inspiradores. Por exemplo, a igreja do bairro Major Prates, em Montes Claros, já estava na fase final.56 Em maio de 1970, a igreja de Januária batizou 20 pessoas por meio do trabalho das Escolas Sabatinas Filiais.57 Com o Pastor Ariel Barcellos servindo como comandante, a embarcação Luminar II atendia uma média de 3.000 pessoas por mês,58 e alcançou mais de 6.000 pessoas em uma de suas viagens missionárias.

O ano de 1970 também registrou o início da obra adventista em outras duas localidades: a cidade de Grão-Mogol e a vila de Fabião, em Januária. Em dezembro do mesmo ano, 15 pessoas foram batizadas em Grão-Mogol. Em Fabião, uma igreja de 15 membros se preparava para a construção do templo local.59 Em janeiro de 1971, a Missão Alto São Francisco tinha cinco igrejas organizadas e o número de adventistas havia subido para 1.095.60 Na igreja de Pedras de Maria da Cruz, havia 61 membros batizados em fevereiro de 1971 e um total de 114 alunos matriculados na Escola Sabatina. No mesmo período, já estavam em andamento os planos de construção de uma igreja no município de Luislândia. Na cidade de Salinas, uma adventista chamada Alaíde Pena adquiriu um terreno para construir uma igreja.61

No início de 1972, a União Este Brasileira passou por uma reorganização geográfica e o território da Missão Alto São Francisco passou a fazer parte da Missão Mineira. No território norte de Minas Gerais, o trabalho missionário continuou a avançar. Em novembro de 1972, por exemplo, foi inaugurada a igreja de Salinas. Mais de 28.000 pessoas foram atendidas pela Luminar II nos primeiros três trimestres do mesmo ano.62 Além dos avanços evangelísticos e em número de membros, o norte de Minas Gerais também fez avanços no trabalho educacional adventista durante os anos 70. Em 1976, a Escola Adventista de Montes Claros, que até aquele ano funcionava apenas como escola primária ligada à igreja, foi reaberta sob a administração do departamento de Educação da Missão Mineira.63

Em 1979, a escola de Montes Claros oferecia ensino educacional até a 6ª série do ensino primário.64  Em outubro daquele ano, o prédio da escola foi reformado e as salas de aula, ampliadas.65 Assim, no mesmo período, a cidade de Janaúba foi escolhida como centro de pregação da mensagem adventista, com uma equipe liderada pelo Pastor Joel Meireles e o obreiro Pedro Gomes da Luz. A cidade era considerada o centro do desenvolvimento econômico na região norte  de Minas.66

Em janeiro de 1980, todo o trabalho realizado pela Missão Mineira ajudou a missão a ter 37 igrejas organizadas e 12.639 adventistas.67 No mesmo mês, a União Este Brasileira realizou sua 11ª Assembleia Quadrienal, que reorganizou os campos das missões que constituíam a União. A partir daí, a Missão Mineira passou a ser composta apenas pelo estado de Minas Gerais.68 Ainda a partir do ano letivo de 1980, a Escola Adventista de Montes Claros passou a oferecer a 7ª série do ensino fundamental.69

Em Unaí, o Pastor Elias Coutinho deu início a uma série de encontros no final da década de 1980 e, em fevereiro de 1981, vários batismos já haviam sido registrados.70

Em dezembro de 1982, a Missão Mineira foi submetida a uma nova reorganização geográfica, e seu território foi dividido em duas missões: a Missão Mineira Central, com sede na cidade de Belo Horizonte, que passou a gerir igrejas nas regiões central, oeste e norte de Minas Gerais; e a Missão Mineira Sul, com sede na cidade de Juiz de Fora, que coordenava o atendimento às igrejas nas regiões sul e leste do estado. A construção do prédio próprio da Escola Adventista de Montes Claros estava entre as metas previstas a serem alcançadas pela Missão Mineira Central em sua formação.71

O trabalho educacional na região continuou a avançar, e no início de 1986, uma nova escola foi inaugurada na cidade de Buritis, no extremo noroeste de Minas.72 Em maio de 1987, quatro pastores da Missão Mineira Central iniciaram uma série de reuniões evangelísticas em diferentes regiões da cidade de Montes Claros. Como resultado, em outubro, um total de 222 pessoas haviam sido batizadas 73 e em janeiro de 1988, 304. 74  Tais esforços contribuíram para que, em janeiro de 1990, a Missão Mineira Central começasse o ano com 78 igrejas organizadas e 25.796 adventistas.75

Em fevereiro de 1991, a Missão Mineira Central mudou seu nome para Associação Mineira Central. No período dessa mudança, a Associação tinha 26.709 membros adventistas distribuídos entre 300 congregações e 37 distritos pastorais.76 Nos anos 90, o trabalho evangelístico no norte de Minas Gerais começou a se desenvolver em outras frentes e ministérios. Em 1993, por exemplo, um homem chamado Manoel Barbosa e sua esposa foram batizados na cidade de Sete Lagoas, onde fixaram residência na cidade de Três Marias, então considerada o alvo da Missão Global.77 Sua casa foi transformada em igreja e, naquele ano, novos conversos começaram a aparecer. Aos poucos, a nova igreja cresceu, e os adventistas da cidade alugaram um salão grande o suficiente para receber reuniões e outros eventos.78

Até 1993, a Luminar II ainda navegava ativamente no rio São Francisco e seus afluentes, com o Pastor Dido Pereira Santos como comandante e diretor.79 Anualmente, a Luminar viajava de Pirapora até a cidade de Manga, na divisa entre Minas Gerais e Bahia, passando pelas cidades de Pirapora, São Romão, São Francisco, Januária e Itacarambi. A média de atendimento da embarcação ficava em torno de 700 a 800 pessoas por mês.80 Em 1995, a Luminar II concluiu suas atividades no rio São Francisco.81 No mesmo ano, adventistas de Montes Claros iniciaram um trabalho com presidiários da cidade, desenvolvido em parceria com a Polícia Civil e delegação local, que resultou em 19 presidiários batizados. Os novos conversos da prisão foram autorizados a frequentar a igreja quando devidamente acompanhados.82 Em março de 1996, foi inaugurada a igreja de Três Marias e, na ocasião, duas pessoas foram batizadas.83

Em abril de 1998, a cidade de Itacarambi, ao norte de Minas Gerais, recebeu um novo prédio da Igreja Adventista, doado por um ex-prefeito da cidade. O prefeito destacou que o estilo de vida adventista tem a capacidade de promover a felicidade e o apreço pela boa saúde. O prédio tinha capacidade para 200 pessoas.84 Como resultado dos esforços evangelísticos durante a década de 1990, em janeiro de 2000, a Associação Mineira Central tinha cerca de 38.899 adventistas e 150 igrejas organizadas.85 Em 2001, o território que compunha a Associação Mineira Leste foi reorganizado, formando a Associação Mineira Central e a Associação Mineira Sul. Como resultado da divisão territorial, em janeiro de 2002, a Associação Mineira Central (AMC) tinha originalmente 128 igrejas organizadas e 30.580 adventistas,86 que cresceram para um total de 31.383 adventistas e 148 igrejas em janeiro de 2005, apenas três anos depois.87

Em 2007, a Associação Mineira Central e a União Leste Brasileira se reuniram para sediar um grande trabalho evangelístico no norte de Minas Gerais. O projeto, denominado "Rota do Poder", foi inspirado na Assembleia da Associação Geral de 2005, realizada na cidade de St. Louis, nos Estados Unidos. Entre 25 de junho e 1º de julho, uma caravana de músicos e pastores percorreu várias cidades de Minas Gerais, incluindo Januária, Salinas e Montes Claros, o que levou muitas pessoas ao batismo. Em Januária, cerca de 2.000 pessoas participaram do evento realizado no ginásio do Sesc, e em Montes Claros 7.000 pessoas participaram da reunião evangelística.88 Em janeiro de 2010, a AMC contava com 33.956 Adventistas do Sétimo Dia e era responsável pelas regiões oeste, central e norte de Minas Gerais.89 A partir daquele ano, foi notada a necessidade de uma nova unidade administrativa.

História Organizacional da Missão

Em 2010, a AMC votou a favor do envio de uma solicitação à União Leste Brasileira (ULB) a fim de estudar a criação de um novo campo dentro do território.90 Após receber o pedido da AMC, a União Sudeste Brasileira redirecionou o pedido para a Divisão Sul-Americana (DSA). A necessidade de criação desse novo campo foi justificada pelo grande número de distritos pastorais na Associação Mineira Central e uma extensão geográfica desafiadora, o que tornava difícil servir igrejas, membros e suas famílias. Em resposta, a administração da DSA nomeou comissão avaliativa composta por Erton Köhler, Magdiel Perez e Marlon Lopes, da Divisão; Maurício Lima, Leônidas Guedes e Volnei Porto, da ULB; Ursulino Freitas, José Marcos e Eliézer Magalhães, da AMC; os pastores Forlan Oliveira e Pedro Pereira; e os membros leigos Ataídes Tavares França e João Castro. Como membros convidados, também participaram os pastores Antônio Tostes e Edward Heidinger.91

Dois anos depois (2012), a Divisão Sul-Americana acatou o relatório da comissão avaliativa, que recomendava a criação da Missão Minas Norte (MMN), a qual seria sediada em Montes Claros, no norte de Minas Gerais, com a missão de servir a Igreja Adventista da região com mais eficiência. Nesse mesmo ano, a União Leste convocou a assembleia de criação e organização do novo campo, que aconteceu na Igreja Adventista Central de Montes Claros em 15 de novembro de 2012. Na reunião, os delegados elegeram os pastores Hiram Kalbermatter como presidente, Elias Malaquias dos Anjos como secretário e o professor Leandro Ferreira de Brito como tesoureiro. A Missão iniciou suas atividades em 1º de janeiro de 2013.92

Além do presidente, secretário e tesoureiro, a comissão de nomeações, formada na reunião de criação da MMN, também elegeu Andreia Luna dos Anjos para supervisionar os ministérios da Mulher, da Criança, do Adolescente e da Área Feminina da Associação Ministerial (AFAM); Sidinei Silva Santos à frente dos departamentos de Publicações, Espírito de Profecia e Literatura Denominacional, e Saúde; Reones Alves Nunes, para liderar o Ministério Pessoal, de Escola Sabatina, Mordomia Cristã e a área de Evangelismo; e Forlan Fernandes de Oliveira como líder do departamento Jovem, Ministério dos Desbravadores e Aventureiros, Ministério dos Estudantes Universitários, Ministério da Música e o departamento de Liberdade Religiosa. Além disso, o pastor Hiram Kalbermatter foi escolhido para supervisionar os departamentos de Missão Global e Comunicação; Elias dos Anjos dirigiu o Ministério de Lar e Família e atuou como líder da Associação Ministerial; e Leandro Ferreira de Brito foi o líder do departamento de Expansão Patrimonial, Educação e ASA.93

Além disso, em 15 de novembro de 2012, a sede da Missão Mineira Norte foi inaugurada no endereço atual. Quando começou a funcionar, a missão tinha 60 igrejas, 11.648 membros e 2.193.422 pessoas em seu território.94

Em 15 de novembro de 2016, foram nomeados administradores e líderes departamentais, como ocorre a cada quatro anos em conferências e missões da IASD. O Pastor Claudiney Santos foi nomeado presidente e responsável pelo Departamento de Missão Global; o Pastor Elias Malaquias para Secretário Ministerial e da Associação; o Professor Leandro Brito para Tesouraria, Expansão Patrimonial e Educação; Felipe Carvalho para Mordomia Cristã, Família e Comunicação; Andréia Luna para o Ministério da Mulher, AFAM, Criança e Adolescente; Reones Nunes para Evangelismo, Escola Sabatina e Ministério Pessoal; e Deusdeth Filho para Jovens, Desbravadores, Aventureiros, Música e Universitários.95

Em 3 de fevereiro de 2019, foi lançada a pedra fundamental do novo Colégio Adventista de Montes Claros. Os líderes adventistas de Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro, bem como conselheiros da cidade de Montes Claros estiveram presentes.96 O terreno de 3.000 m², localizado no bairro Morada do Sol, foi adquirido em 2017.97

A Missão Mineira Norte tem dado especial importância ao projeto de Pequenos Grupos,98 que enfatiza a comunhão, relacionamento e missão entre os membros da igreja. Em 2015, por exemplo, um Pequeno Grupo da cidade não se reunia em uma casa ou igreja, mas na sede de uma instituição voltada para o atendimento de pacientes com câncer. Liderado pelo fotógrafo Demetrius Lima, o Pequeno Grupo teve cerca de 40 participantes em seus encontros, estudando a Bíblia, realizando dinâmicas de interação, oferecendo ajuda e conforto emocional.99

Junto com o trabalho de Pequenos Grupos, a Missão Norte de Minas também enfatiza outros projetos evangelísticos que buscam cumprir a principal missão da Igreja Adventista do Sétimo Dia: pregar o Evangelho a todas as pessoas. Em 2012, um grupo de adventistas liderou uma série evangelística na comunidade quilombola de Palmeirinha, na cidade de Pedras de Maria da Cruz. As primeiras reuniões eram realizadas debaixo de uma árvore. Depois de algum tempo, compraram um terreno à beira da estrada e começaram a construir um salão provisório de reuniões. Como resultado desse trabalho, 15 pessoas foram batizadas em 2014 após a Semana Santa e, no final do mesmo ano, o interior da igreja foi concluído. Em julho de 2018, a Igreja Adventista da comunidade foi inaugurada na presença dos líderes da missão.100

Outras duas igrejas foram inauguradas na cidade de Januária em 2019 como resultado do plantio de igrejas. A primeira, em Boa Vista, iniciou suas atividades nas casas dos membros adventistas e, posteriormente, em uma sala alugada. A segunda, em Vila Jadete, iniciou suas atividades em 1991 em uma antiga sala que pertencia a um bar. O dono do bar, José Lopes, recebeu a mensagem adventista e foi batizado. Em 1998, essa congregação mudou-se para o atual prédio da igreja. No entanto, o prédio havia se deteriorado com o tempo, então foi reformado e reinaugurado em novembro de 2019.101

Em maio de 2018, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, representada pela Missão Mineira Norte, foi premiada pela Câmara Municipal de Montes Claros em reconhecimento ao projeto relacionado ao Impacto Esperança.102 O projeto premiado foi idealizado pelo vereador Soter Magno e aprovado pelos 23 membros da Câmara Municipal de Montes Claros. Na ocasião estiveram presentes parlamentares, líderes da MMN e membros das igrejas de Montes Claros.103

Outro projeto altamente incentivado é a versão 2019 do Impacto Esperança, realizada de maneira diferente pela juventude Adventista de Montes Claros. Além dos livros edificantes, eles também entregaram aos desabrigados kits de higiene e um lanche.104 Servidores do escritório da Missão também participaram da distribuição no distrito de Água Boa, onde cerca de 1.500 livros foram distribuídos. A entrega fez parte de um projeto para estabelecer uma igreja adventista na localidade, conduzido pelos próprios funcionários da MMN. O projeto Água Boa resultou em 54 pessoas estudando a Bíblia.105

A Missão Minas Norte também está focada em seu papel social e humanitário, que incluiu homenagear o belo trabalho realizado no passado pela lancha Luminar. Em uma campanha para o Mutirão de Natal de 2019,106 membros da Igreja Adventista de Santa Laura, em Montes Claros, arrecadaram 400 quilos de alimentos em apenas um dia.107 Alguns dias depois, voluntários da Igreja Renascença coletaram outros 100 kg de comida em apenas uma hora.108

Desde a sua criação, a MMN teve um bom crescimento no número de membros. Em janeiro de 2015, por exemplo, a Missão tinha 12.229 adventistas e 63 igrejas organizadas.109 Em 2017, esse número subiu para 13.142 membros e 72 igrejas.110 Um ano depois, em junho de 2018, havia 14.826 adventistas no território.111 A expectativa é que nos próximos dois anos 26 novas congregações sejam estabelecidas, 15 delas em cidades atualmente sem presença adventista. Para isso, a Missão Mineira Norte contará com voluntários que já receberam um kit de materiais para a realização desse trabalho evangelístico.112

Mesmo com o crescimento no número de membros, a Missão Mineira Norte tem alguns desafios a serem superados nos próximos anos. O principal deles é estabelecer pelo menos uma congregação adventista em cada uma das 27 cidades onde já residem famílias adventistas isoladas. Nessas cidades da Missão Global, o Serviço de Voluntariado Adventista113 será uma das ferramentas usadas para evangelismo e construção de igrejas.114

O principal obstáculo, porém, é o ambiente socioeconômico da região. Atualmente, o território administrado pela Missão Mineira Norte é considerado o de menor renda per capita de toda a União Sudeste Brasileira. Com isso, as distâncias entre as cidades se somam aos desafios naturais. No entanto, apesar desses limites e desafios, a missão mantém um crescimento considerável.115

Cronologia dos administradores116

Presidentes: Hiram Rafael Silveira Kalbermatter (2013-2014); Claudiney Cândido dos Santos (2014-2018); Moisés Dias de Carvalho Júnior (2019-atualmente).

Secretário: Elias Malaquias dos Anjos (2013-atualmente).

Tesoureiro: Leandro Ferreira de Brito (2013-2017); Elias Dias (2017-2019); Iran Vieira (2019); Luís Carlos Ribeiro (2019-atualmente).117

Referências

Adventistas do Sul do Paraná. “#16 - Escola Sabatina Filial - Pr. Clemente” (vídeo). Introdução, Escola Sabatina Filial, Clemente Ramos, 8 de abril de 2019. Acessado em 30 de janeiro de 2020, https://bit.ly/2t6I5jI.

Almeida, Antônio Moisés. “Unieste Educa Para a Eternidade”. Revista Adventista 72, no. 6 (junho de 1977).

Ata da Associação Mineira central, novembro de 2010, voto nº 2010-125.

Ata da Criação e Organização da Missão Mineira Norte, novembro de 2012.

Ata da União Leste Brasileira, novembro de 2010, voto nº 2010-085.

Belz, Rodolpho. “Nótulas do Este”. Revista Adventista 57, n. 3 (março de 1962).

Belz, Rodolpho. “Nótulas do Este”. Revista Adventista 59, n. 1 (janeiro de 1964).

Belz, Rodolpho. “Nótulas do Este”. Revista Adventista 61, n. 2 (fevereiro de 1966).

Bleck, Werner. “Organização do Grupo de Montes Claros”. Revista Adventista 45, n. 4 (abril de 1950): 12.

Brown, João. “Do sertão mineiro”. Revista Mensal 19, n. 2 (fevereiro de 1924).

Camacho, Joel S. “A OFASA Inicia Cursos de Artesanato”. Revista Adventista, 62, n. 1 (janeiro de 1967).

Camacho, Joel. “OFASA Em Foco – II”. Revista Adventista 61, n. 9 (setembro de 1966).

Cavalcanti, Abdoval. Luzeiros: conheça a surpreendente história das lanchas missionárias adventistas no Brasil. Niterói, RJ: Casa Publicadora Ados, 2010.

Christianini, Arnaldo. “O Ministério da Cura nas Plagas Mineiras”. Revista Adventista 62, n. 3 (março de 1967).

Christianini, Arnaldo. “Noticiário Mineiro”. Revista Adventista 63, n. 6 (junho de 1968).

Cláudio Belz, “Como Vai a Missão Mineira”. Revista Adventista 60, n. 11 (novembro de 1965).

Cláudio C. Belz, “Como Vai a Missão Mineira”. Revista Adventista 62, n. 7 (julho de 1967).

“Conferências já Levaram 222 ao Batismo em Montes Claros”. Revista Adventista, outubro de 1987.

“Dividindo-se Para Crescer”. Revista Adventista, fevereiro de 1983.

Enéas, Jael. “Missão na selva de pedra”. Revista Adventista 102, n. 1192 (setembro de 2007).

Flaiz, T. R. “Lanchas médicas”. Revista Adventista 54, n. 8 (agosto de 1959).

Fonseca, Alexandre Brasil. “Muito Além do Sábado: O Pionerismo Adventista na Mídia Eletrônica Religiosa”. Revista de Estudos da Religião– REVER, ano 08 (setembro de 2008).

Freire, Pedro Conceição. “História de Nosso Trabalho em Montes Claros, Minas”. Revista Adventista 45, n. 8 (agosto de 1950).

Freire, Pedro H. “Notícias de Montes Claros”. Revista Adventista 49, n. 9 (setembro de 1954).

“Grandes projetos entusiasmam a Mineira Central”. Revista Adventista, maio de 1996.

Guedes, Leônidas Verneque. Olhando Para Trás, Nos Movemos Para a Frente: 100 anos de história da União Sudeste Brasileira. Maringá, PR: Massoni Gráfica e Casa Publicadora, 2019.

Haynes, Carlyle B. “The Meetings in Brazil [Reuniões no Brasil].” Revista Mensal 24, n. 3 (março de 1929).

“Inaugurações, Batismos, Conferências. É o Trabalho na União Este”. Revista Adventista, outubro de 1979.

Jorgensen, L. G. “Impressões de Teófilo Otoni”. Revista Mensal 21, n. 10 (outubro de 1926).

Keppke, Emílio. “Notícias de Minas Geraes”. Revista Mensal 21, n. 9 (setembro de 1926).

“Lancha-Hospital percorre o São Francisco”. Revista Adventista, junho de 1962.

Lemos, Felipe. “Fábrica de discípulos”. Revista Adventista 110, n. 1301 (setembro de 2015).

Lessa, Rubens e Mercedes Silva. “Mineira Central”. Revista Adventista 84, n. 1 (janeiro de 1988).

Lobo, Jorge Pereira. “Luminar II – Pirapora”. Revista Adventista 57, n. 6 (junho de 1962).

Lobo, Jorge Pereira. “Nótulas da União Este Brasileira”. Revista Adventista 64, n. 10 (outubro de 1969).

Medrado, Rocha. “Portadores de Luz em Montes Claros”. Revista Adventista 47, n. 5 (maio de 1952).

“Mineira Central faz concílios e evangelismo”. Revista Adventista novembro de 1995.

“Mineiros vibram com a nova Associação”. Revista Adventista, março de 1991.

“Missão Mineira”. Revista Adventista, junho de 1973.

Nigri, Moisés. “1ª Convenção das Lanchas Adventistas”. Revista Adventista 47, n. 11 (novembro de 1952).

Nogueira, Carlos. “De Quem São Êstes Molhos?”. Revista Adventista 54, n. 7 (julho de 1959).

“Nova Escola”. Revista Adventista, maio de 1986.

Novo Tempohttps://www.novotempo.com/.

Nunes, Samuel. “Comunidade Quilombola celebra inauguração de templo”. Notícias Adventistas (Online) 10 de julho de 2018.

Nunes, Samuel. “Duas igrejas são inauguradas no Norte de Minas”. Notícias Adventistas (Online) 9 de novembro de 2019.

Nunes, Samuel. “Igreja Adventista recebe homenagem da Câmara Municipal em Montes Claros”. Notícias Adventistas (Online) 25 de maio de 2018.

Nunes, Samuel. “Montes Claros – Lançada Pedra Fundamental do novo Colégio Adventista de Montes Claros”. Jornal Montes Claros (Online) 5 de fevereiro de 2019.

Nunes, Samuel. “Nomeados líderes de departamentos da IASD no Norte de Minas”. Notícias Adventistas (Online) 15 de novembro de 2016.

Nunes, Samuel. “Nova Escola Adventista será construída em Montes Claros”. Notícias Adventistas (Online) 4 de outubro de 2017.

Nunes, Samuel. “Nove voluntários arrecadam 100 kg de alimentos em uma hora”. Notícias Adventistas (Online) 20 de novembro de 2019.

Nunes, Samuel. “Servidores da Igreja Adventista no Norte de Minas compartilham esperança”. Notícias Adventistas (Online) 26 de maio de 2019.

Nunes, Samuel. “Um folheto fez toda a diferença para a entrada do Adventismo no Norte de Minas”. Notícias Adventistas (Online) 12 de novembro de 2014.

Nunes, Samuel. “Voluntários aceitam desafio de abrir 26 novas igrejas em até dois anos”. Notícias Adventistas (Online) 25 de fevereiro de 2019.

Nunes, Samuel. “Voluntários arrecadam em poucas horas 400 quilos de alimentos”. Notícias Adventistas (Online) 11 de novembro de 2019.

“O Bom Samaritano do rio São Francisco”. Revista Adventista abril de 1992.

Oliveira, J. Jeremias. “Boas Novas do São Francisco”. Revista Adventista 43, n. 9 (setembro de 1948).

Oliveira, José F. “Com a Lancha Luminar, no Vale do São Francisco”. Revista Adventista 49, n. 10 (outubro de 1954).

Oliveira, José F. “Vale do São Francisco – Distrito Promissor”. Revista Adventista 55, n. 1 (janeiro de 1960).

Oliveira, Saturnino. “Despedida da Baía – Recordações dos Outros Campos”. Revista Adventista 38, n. 11 (novembro de 1943).

Portal da Igreja Adventista do Sétimo Diahttp://www.adventistas.org/pt/.

“Quadrienal da Unieste Altera Geografia dos Seus Campos”. Revista Adventista fevereiro de 1980.

“Resumo”. Revista Adventista, fevereiro de 1981.

Seidl, Paulo. “Notícias da Missão Rio S. Francisco”. Revista Adventista 48, n. 3 (março de 1953).

Seidl, Paulo. “Sete Mil Kilómetros Através do Rio S. Francisco”. Revista Adventista 44, n. 1 (janeiro de 1949).

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD]. https://www.adventistyearbook.org/.

Silva, Corino Pires. “Educação na Missão Mineira”. Revista Adventista 75, n. 2 (fevereiro de 1980).

Silva, Corino Pires. “Educação na União Este: Mineira e Rio-Minas”. Revista Adventista 74, n. 10 (outubro de 1979).

Soldani, Haroldo. “80 e 1.000”. Revista Adventista 65, n. 3 (março de 1970).

Soldani, Haroldo. “Ecos do Alto São Francisco”. Revista Adventista 64, n. 11 (novembro de 1969).

Soldani, Haroldo. “Ecos do Alto São Francisco”. Revista Adventista 65, n. 4 (abril de 1970).

Soldani, Haroldo. “Ecos do Alto São Francisco”. Revista Adventista 65, n. 10 (outubro de 1970).

Soldani, Haroldo. “Ecos do Alto São Francisco”. Revista Adventista 65, n. 12 (dezembro de 1970).

Soldani, Haroldo. “Mirabela, a Mais Bela”. Revista Adventista 65, n. 4 (abril de 1970).

Soldani, Haroldo. “Mirabela, a Mais Bela”. Revista Adventista 66, n. 2 (fevereiro de 1971).

“Templo doado”. Revista Adventista, abril de 1998.

“UEB: Educação em 1979”. Revista Adventista janeiro de 1980.

Vieira, Paulo Roberto. “As Lanchas no Brazil”. Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1986.

“Viva a entrega”. Revista Adventista 114, n. 1346 (junho de 2019).

Wensell, Paulo. “O Vale do São Francisco”. Revista Adventista 38, n. 7 (julho de 1943).

Westcott, H. B. “Missão Rio-Minas Geraes”. Revista Adventista 26, n. 7 (julho de 1931): 13.

Wilcox, E. H. “Notícias”. Revista Mensal 25, n. 6 (junho de 1930).

Notas de fim

  1. Seventh-day Adventist Online Yearbook, “North Minas Mission [Missão Mineira Norte],” acessado em 3 de setembro de 2019, https://bit.ly/2lRIjqV.
  2. Elias Malaquias dos Anjos, mensagem de e-mail para Carlos Flávio Teixeira (editor associado da ESDA), 28 de novembro de 2019.
  3. João L. Brown, “Do sertão mineiro”, Revista Mensal19, n. 2 (fevereiro de 1924): 13-14.
  4. Emílio Keppke, “Notícias de Minas Geraes”, Revista Mensal21, n. 9 (setembro de 1926): 15.
  5. L. G. Jorgensen, “Impressões de Teófilo Otoni”, Revista Mensal21, n. 10 (outubro de 1926): 11-12.
  6. Carlyle B. Haynes, “As Reuniões no Brasil”, Revista Mensal24, n. 3 (março de 1929): 7-8.
  7. E. H. Wilcox, “Notícias”, Revista Mensal 25, n. 6 (junho de 1930): 11.
  8. H. B. Westcott, “Missão Rio-Minas Geraes”, Revista Adventista26, n. 7 (julho de 1931): 13.
  9. Werner Bleck, “Organização do Grupo de Montes Claros”, Revista Adventista45, n. 4 (abril de 1950): 12.
  10. Samuel Nunes, “Um folheto fez toda a diferença para a entrada do Adventismo no Norte de Minas”, Notícias Adventistas, 12 de novembro de 2014, acessado em 3 de setembro de 2019, https://bit.ly/2ksC1xA.
  11. Haroldo Soldani, “80 e 1.000”, Revista Adventista65, n. 3 (março de 1970): 21.
  12. Carlos Nogueira, “De Quem São Êstes Molhos?”, Revista Adventista54, n. 7 (julho de 1959): 28-29.
  13. Saturnino M. de Oliveira, “Despedida da Baía – Recordações dos Outros Campos”, Revista Adventista38, n. 11 (novembro de 1943): 24.
  14. Paulo E. Wensell, “O Vale do São Francisco”, Revista Adventista38, n. 7 (julho de 1943): 10-11.
  15. “A Escola Radiopostal servia para viabilizar o envio de lições dos alunos de cursos bíblicos e para responder as correspondências dos ouvintes.” Alexandre Brasil Fonseca, “Muito Além do Sábado: O Pioneirismo Adventista na Mídia Eletrônica Religiosa”, Revista de Estudos da Religião – REVER, 8 (setembro de 2008): 96.
  16. “A Voz da Profecia é o programa evangélico mais antigo do rádio brasileiro, tendo início em 1943. Desde seu início, conta com a participação musical do quarteto Arautos do Rei. Atualmente, o programa também tem a sua versão para a TV, e é apresentado pelo Pastor Gilson Brito, que está no ministério pastoral há mais de 30 anos. São sermões bíblicos que apresentam a mensagem de esperança e salvação.” Novo tempo, “A voz da Profecia”, acessado em 28 de janeiro de 2020, https://bit.ly/2RzGrRh.
  17. Pedro Conceição Freire, “História de Nosso Trabalho em Montes Claros, Minas”, Revista Adventista45, n. 8 (agosto de 1950): 24.
  18. Ibid.
  19. “Rio São Francisco Mission [Missão Rio São Francisco],” Seventh-day Adventist Yearbook(Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1950), 161-162.
  20. Leônidas Verneque Guedes, Olhando Para Trás, Nos Movemos Para a Frente: 100 anos de história da União Sudeste Brasileira (Maringá, PR: Massoni Gráfica e Casa Publicadora, 2019), 59-60.
  21. Ibid.
  22. Moisés S. Nigri, “1ª Convenção das Lanchas Adventistas”, Revista Adventista47, n. 11 (novembro de 1952): 13.
  23. J. Jeremias de Oliveira, “Boas Novas do São Francisco”, Revista Adventista43, n. 9 (setembro de 1948), 10; José F. de Oliveira, “Com a Lancha Luminar, no Vale do São Francisco”, Revista Adventista 49, n. 10 (outubro de 1954): 28.
  24. Paulo Roberto Vieira, “As Lanchas no Brasil” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1986), 13.
  25. Leônidas Verneque Guedes, Olhando Para Trás, Nos Movemos Para a Frente: 100 anos de história da União Sudeste Brasileira (Maringá, PR: Massoni Gráfica e Casa Publicadora, 2019), 60; Paulo S. Seidl, “Notícias da Missão Rio S. Francisco”, Revista Adventista48, n. 3 (março de 1953): 13-14.
  26. Paulo Seidl, “Sete Mil Kilómetros Através do Rio S. Francisco”, Revista Adventista44, n. 1 (janeiro de 1949): 9-12.
  27. Werner Bleck, “Organização do Grupo de Montes Claros”, 12.
  28. Pedro Conceição Freire, “História de Nosso Trabalho em Montes Claros, Minas”, Revista Adventista45, n. 8, (agosto de 1950): 24.
  29. Werner Bleck, “Organização do Grupo de Montes Claros”, 12.
  30. Rocha Medrado, “Portadores de Luz em Montes Claros”, Revista Adventista47, n. 5 (maio de 1952): 12.
  31. “A Escola Sabatina Filial consiste em uma classe da Escola Sabatina que funciona em uma região, cidade ou bairro que não tem presença Adventista. Nesse local, os membros da classe desenvolvem um trabalho social, comunitário e missionário. Seu principal objetivo é levar a mensagem adventista a lugares que ainda não foram alcançados.” Adventistas do Sul do Paraná “#16- Escola Sabatina Filial- Pr. Clemente” (vídeo de introdução, Escola sabatina filial, Clemente Ramos, 8 de abril de 2019), acessado em 30 de janeiro de 2020, https://bit.ly/2t6I5jI; Paulo Seidl, “Notícias da Missão Rio S. Francisco”, Revista Adventista48, n. 3 (março de 1953): 13-14.
  32. Pedro H. Freire, “Notícias de Montes Claros”, Revista Adventista49, no. 9 (setembro de 1954): 14.
  33. “Rio Sao Francisco Mission [Missão Rio São Francisco],” Seventh-day Adventist Yearbook
  34. “Minas Mission [Missão Mineira],” Seventh-day Adventist Yearbook(Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1956), 144; “Bahia and Sergipe Mission [Missão Bahia e Sergipe],” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1956), 143.
  35. José F. Oliveira, “Vale do São Francisco – Distrito Promissor”, Revista Adventista55, n. 1 (janeiro de 1960): 29-30.
  36. T. R. Flaiz, “Lanchas médicas”, Revista Adventista54, n. 8 (agosto de 1959): 26-27.
  37. “Minas Mission [Missão Mineira],” Seventh-day Adventist
  38. Rodolpho Belz, “Nótulas do Este”, Revista Adventista57, n. 3 (março de 1962): 30.
  39. Jorge Pereira Lobo, “Luminar II – Pirapora,” Revista Adventista57, n. 6 (junho de 1962): 22.
  40. “Lancha-Hospital percorre o São Francisco”, Revista Adventistajunho de 1962, 22-23.
  41. Rodolpho Belz, “Nótulas do Este”, 27.
  42. Obra Filantrópica da Assistência Social Adventista (OFASA) foi uma entidade ligada à Igreja Adventista do Sétimo Dia que prestava assistência em situações de emergência ou de calamidade pública. A OFASA também mantinha clínicas médicas e odontológicas, oferecendo serviços gratuitos à população, assim como Programas de Alfabetização de Adultos, Cursos de Costura, entre outras coisas. Foi a antecessora da Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA).” Joel S. Camacho, “A OFASA Inicia Cursos de Artesanato”, Revista Adventista 62, n. 1 (janeiro de 1967): 22.
  43. Ibid., 24.
  44. Cláudio Belz, “Como Vai a Missão Mineira”, Revista Adventista60, n. 11 (novembro de 1965): 19.
  45. Rodolpho Belz, “Nótulas do Este”, 30.
  46. Arnaldo B. Christianini, “O Ministério da Cura nas Plagas Mineiras”, Revista Adventista62, n. 3 (março de 1967): 19-20.
  47. Cláudio C. Belz, “Como Vai a Missão Mineira”, 19-20.
  48. Arnaldo B. Christianini, “Noticiário Mineiro”, Revista Adventista63, no. 6 (junho de 1968): 32.
  49. “Upper San Francisco Mission [Missão Alto São Francisco]”, Seventh-day Adventist Yearbook(Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1969), 210.
  50. Jorge Pereira Lobo, “Nótulas da União Este Brasileira”, Revista Adventista64, n. 10 (outubro de 1969): 32.
  51. Haroldo Soldani, “Ecos do Alto São Francisco”, Revista Adventista64, n. 11 (novembro de 1969): 29.
  52. Ibid., 26-27.
  53. Jorge Pereira Lobo, “Nótulas da União Este Brasileira”, 32.
  54. “Upper San Francisco Mission [Missão Alto São Francisco]”, Seventh-day Adventist Yearbook, 216.
  55. Haroldo Soldani, “Mirabela, a Mais Bela”, Revista Adventista65, n. 4 (abril de 1970): 21.
  56. Haroldo Soldani, “Ecos do Alto São Francisco”, 26-27.
  57. Ibid., 30.
  58. Ibid., 31.
  59. Ibid.
  60. “Upper San Francisco Mission [Missão Alto São Francisco],” Seventh-day Adventist Yearbook,
  61. Haroldo Soldani, “Missão Alto S. Francisco”, Revista Adventista66, n. 2 (fevereiro de 1971): 28-29.
  62. “Missão Mineira”, Revista Adventistajunho de 1973, 29-30.
  63. Antônio Moisés de Almeida, “Unieste Educa Para a Eternidade”, Revista Adventista72, n. 6 (junho de 1977): 23-24.
  64. “EBUC: Educação em 1979”, Revista Adventistajaneiro de 1980, 23.
  65. Corino Pires da Silva, “Educação na União Este: Mineira e Rio-Minas”, Revista Adventista74, n. 10 (outubro de 1979): 22-23.
  66. “Inaugurações, Batismos, Conferências. É o Trabalho na União Este”, Revista Adventistaoutubro de 1979, 18-20.
  67. “Minas Mission [Missão Mineira],” Seventh-day Adventist Yearbook,261-262.
  68. “Quadrienal da Unieste Altera Geografia dos Seus Campos”, Revista Adventistafevereiro de 1980, 20-21.
  69. Corino Pires da Silva, “Educação na Missão Mineira” 21.
  70. “Resumo”, Revista Adventistafevereiro de 1981, 32.
  71. “Dividindo-se Para Crescer”, Revista Adventista fevereiro de 1983, 18-19.
  72. “Nova Escola”, Revista Adventistamaio de 1986, 21.
  73. “Conferências já Levaram 222 ao Batismo em Montes Claros”, Revista Adventistaoutubro de 1987, 41.
  74. Rubens Lessa e Mercedes Silva, “Mineira Central”, Revista Adventista84, n. 1 (janeiro de 1988): 24.
  75. “Central Minas Mission [Missão Mineira Central],” Seventh-day Adventist Yearbook(Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 1990), 269.
  76. “Mineiros vibram com a nova Associação”, Revista Adventistamarço de 1991, 22.
  77. “Missão Global é braço da missão da linha de frente da Missão Adventista, um departamento da sede mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Os projetos da Missão Global começam como iniciativas locais. Ela apoia as iniciativas locais do ministério da linha de frente em áreas não penetradas e ajuda a envolver todos os departamentos da igreja nessa tarefa.” Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “O que é Missão Global”, acessado em 4 de fevereiro de 2020, http://bit.ly/35Wz9e0.
  78. “Grandes projetos entusiasmam a Mineira Central”, Revista Adventistamaio de 1996, 27.
  79. “Luminar II,” Seventh-day Adventist Yearbook(Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 1990), 509.
  80. “O Bom Samaritano do rio São Francisco”, Revista Adventistaabril de 1992, 5-6.
  81. Abdoval Cavalcanti, Luzeiros: conheça a surpreendente história das lanchas missionárias adventistas no Brasil (Niterói, RJ: Casa Publicadora Ados, 2010), 49.
  82. “Mineira Central faz concílios e evangelismo”, Revista Adventistanovembro de 1995, 26.
  83. “Grandes projetos entusiasmam a Mineira Central”, 27.
  84. “Templo doado”, Revista Adventistaabril de 1998, 22.
  85. “Central Minas Conference [Missão Mineira Central],” Seventh-day Adventist Yearbook(2001), 264.
  86. Ibid., 275.
  87. Ibid.
  88. Jael Enéas, “Missão na selva de pedra”, Revista Adventista102, n. 1192 (setembro de 2007): 24.
  89. “Central Minas Conference [Associação Mineira Central],” Seventh-day Adventist Yearbook(2011), 270.
  90. Ata da Associação Mineira Central, novembro de 2010, voto n. 2010-125.
  91. Ata da União Leste Brasileira, novembro de 2010, voto n. 2010-085; Leônidas Verneque Guedes (secretário executivo da USeB), mensagem de e-mail para Carlos Flavio Teixeira (editor assistente da ESDA), 4 de setembro de 2019.
  92. Ata de Criação e Organização da Missão Mineira Oeste, novembro de 2012.
  93. Ibid.
  94. “North Minas Mission [Missão Mineira Norte],” Seventh-day Adventist Yearbook(Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 2014), 300.
  95. Samuel Nunes, “Nomeados líderes de departamentos da IASD no Norte de Minas”, 15 de novembro de 2016, acessado em 4 de setembro de 2019, https://bit.ly/2kiuB06.
  96. Samuel Nunes, “Montes Claros – Lançada Pedra Fundamental do novo Colégio Adventista de Montes Claros”, Jornal Montes Claros, 5 de fevereiro de 2019, acessado em 4 de setembro de 2019, https://bit.ly/2lwvv9w.
  97. Samuel Nunes, “Nova Escola Adventista será construída em Montes Claros”, Notícias Adventistas, 4 de outubro de 2017, acessado em 4 de setembro de 2019, https://bit.ly/2krYz1D.
  98. “O Pequeno Grupo é um grupo de pessoas que se reúne semanalmente sob a coordenação de um líder visando o crescimento espiritual, relacional e evangelístico, objetivando sua multiplicação.” Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Pequenos Grupos”, acessado em 4 de fevereiro de 2020, https://bit.ly/2NtcXj7.
  99. Felipe Lemos, “Fábrica de discípulos”, Revista Adventista110, n. 1301 (setembro de 2015): 34-35.
  100. Samuel Nunes, “Comunidade Quilombola celebra inauguração de templo”, Notícias Adventistas, 10 de julho de 2018, acessado em 4 de setembro de 2019, https://bit.ly/2ksGdgY.
  101. Samuel Nunes, “Duas igrejas são inauguradas no Norte de Minas”, Notícias Adventistas, 9 de novembro de 2019, acessado em 20 de novembro de 2019, https://bit.ly/345JtR7.
  102. O projeto "Impacto da Esperança" é um programa que incentiva a leitura e prevê a distribuição anual em massa de livros pelos Adventistas do Sétimo Dia no território da América do Sul.” Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Impacto Esperança” acessado em 4 de fevereiro de 2020, https://bit.ly/34dZROO.
  103. Samuel Nunes, “Igreja Adventista recebe homenagem da Câmara Municipal em Montes Claros”, Notícias Adventistas, 25 de maio de 2018, acessado em 4 de setembro de 2019, https://bit.ly/2lZF9BH.
  104. Mauren Fernandes, “Viva a entrega”, Revista Adventista114, n. 1346 (junho de 2019): 42-43.
  105. Samuel Nunes, “Servidores da Igreja Adventista no Norte de Minas compartilham esperança”, Notícias Adventistas, 26 de maio de 2019, acessado em 20 de novembro de 2019, https://bit.ly/346dG2p.
  106. “A "Multirão de Natal" é uma iniciativa que nasceu em uma Igreja Adventista no Brasil, em 1994. A ideia era recolher alimentos e roupas para entregar às pessoas necessitadas durante as festas de fim de ano, especialmente no Natal.” Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Multirão de Natal”, acessado em 4 de fevereiro de 2020, https://bit.ly/2WEKM4W.
  107. Samuel Nunes, “Voluntários arrecadam em poucas horas 400 Kg de alimentos”, Notícias Adventistas, 11 de novembro de 2019, acessado em 20 de novembro de 2019, https://bit.ly/2XwySfr.
  108. Samuel Nunes, “Nove voluntários arrecadam 100 kg de alimentos em uma hora, Notícias Adventistas, 20 de novembro de 2019, acessado em 20 de novembro de 2019, https://bit.ly/333J7ZT.
  109. “North Minas Mission [Missão Mineira Norte],” Seventh-day Adventist Yearbook(2016), 310.
  110. Ibid., 337.
  111. Seventh-day Adventist Online Yearbook, “North Minas Mission [Missão Mineira Norte],” acessado em 20 de novembro de 2019, https://bit.ly/37ofp50.
  112. Samuel Nunes, “Voluntários aceitam desafio de abrir 26 novas igrejas em até dois anos”, Notícias Adventistas, 25 de fevereiro de 2019, acessado em 4 de setembro de 2019, https://bit.ly/2k2KYOb.
  113. Mais informações sobre o Serviço Voluntário Adventista podem ser encontradas no artigo “Adventist Volunteer Service” nesta enciclopédia.
  114. Elias Malaquias dos Anjos (secretário executivo da MMN), mensagem de e-mail para Carlos Flavio Teixeira (editor assistente da ESDA), 28 de novembro de 2019.
  115. Ibid.
  116. “North Minas Mission,” Seventh-day Adventist Yearbook(2014-2020), 300; “North Minas Mission [Missão Mineira Norte],” Seventh-day Adventist Yearbook, 260. Para consulta detalhada de todos os gestores, consulte os Yearbooks da IASD de 2014 a 2018.
  117. Mais informações sobre a Missão Mineira Norte podem ser encontradas em: https://mmn.adventistas.org/; ou nas redes sociais: Facebook – @mineiranorte; Twitter: @mineiranorte; e YouTube: Adventistas Norte de Minas.
×

Guedes, Leônidas Verneque, Lucas Vítor Alves Rodrigues Sena, Yanka de Araújo Pessoa. "North Minas Mission." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. October 22, 2021. Accessed June 17, 2024. https://encyclopedia.adventist.org/article?id=9IAZ.

Guedes, Leônidas Verneque, Lucas Vítor Alves Rodrigues Sena, Yanka de Araújo Pessoa. "North Minas Mission." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. October 22, 2021. Date of access June 17, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=9IAZ.

Guedes, Leônidas Verneque, Lucas Vítor Alves Rodrigues Sena, Yanka de Araújo Pessoa (2021, October 22). North Minas Mission. Encyclopedia of Seventh-day Adventists. Retrieved June 17, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=9IAZ.