View All Photos

New Life product line in 1985

Photo courtesy of Brazil National Center of Adventist History Archives.

Produtos Alimentícios New Life

By Caiky Xavier Almeida

×

Caiky Xavier Almeida

First Published: January 6, 2022

A New Life foi uma indústria de alimentos vegetarianos pertencente à Igreja Adventista do Sétimo Dia no Brasil, que funcionou de 1957 a 1997. Esteve localizada no Centro Universitário Adventista de São Paulo, campus Engenheiro Coelho, e seu objetivo era contribuir para o planejamento, produção, venda e distribuição de produtos que correspondessem ao ideal bíblico de saúde integral e à visão adventista de um estilo de vida saudável. Sua última sede localizava-se na Estrada Municipal Pastor Walter Boger, km 3,4, CEP 13445-970, no bairro Lagoa Bonita, cidade de Engenheiro Coelho, estado de São Paulo, Brasil.

Origens

Em 1915, a presença adventista instaurou-se na região da capital paulista que, mais tarde, ficou conhecida como bairro do Capão Redondo. Seu crescimento contribuiu para a criação do Seminário Adventista, conhecido atualmente como Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), sob a direção de dois missionários adventistas – os pastores John Boehm e John Lipke. Com o progresso da escola, muitas famílias adventistas se mudaram para a região, com o objetivo principal de trazer suas crianças para estudar ali.1

Nas décadas seguintes, a obra adventista se expandiu rapidamente na cidade de São Paulo e arredores. A mensagem foi pregada de diferentes maneiras e alcançou novos lugares. Uma das frentes missionárias que tornou isso possível foi a distribuição de literatura adventista. Em 1922, o missionário Cyrillo Martins teve sucesso em oferecer literatura nas regiões do Capão Redondo e Itapecerica. Segundo seu relato, em 42 dias de trabalho, ele foi bem aceito pelas pessoas e gerou uma renda satisfatória com a venda dos livros, embora trabalhasse numa região onde 40% da população não tinha educação formal.2

Em 1935, o Seminário Adventista inaugurou o Departamento Industrial de Produtos Superbom, que se tornou um fator importante de progresso para a vizinhança e um forte promotor da mensagem adventista de saúde na região.3 A reforma de saúde baseada nos princípios bíblicos foi, desde cedo, um aspecto importante na missão da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Por meio do conselho de Ellen G. White, a Igreja foi orientada sobre a importância da mensagem de saúde dada por Deus e a relevância de mantê-la ligada à mensagem do evangelho.4 Ellen White mencionou que “a produção de alimentos saudáveis em fábricas para isso destinadas é um dos instrumentos do Senhor para satisfazer a uma necessidade.”5

O valor da mensagem de saúde pôde ser testemunhado através da Superbom, no bairro do Capão Redondo. A presença de uma fábrica de alimentos contribuiu para o crescimento da população da região, especialmente da população adventista que ali buscava melhores condições de vida. Sua criação também foi de grande interesse para os adventistas que ali viviam, pois podiam trabalhar na instituição e ao mesmo tempo consumir os seus produtos saudáveis.6 No entanto, as terras do bairro do Capão Redondo não eram o melhor local para a criação de novas indústrias, devido ao seu terreno irregular e acidentado que dificultava muito o transporte e a distribuição dos produtos. Além disso, não havia eletricidade e o bairro ficava bastante longe das ferrovias. Contudo, algumas fábricas funcionavam no Capão Redondo. Por exemplo, destaca-se a fábrica que produzia geleia real. Por esse motivo, o bairro era conhecido há muito tempo como a “capital da geleia real.”7

Após avaliar os prós e contras, os líderes da Igreja decidiram construir a fábrica de alimentos na região. Um dos principais fatores a favor dessa decisão foi que a chegada de novos produtos ao mercado contribuiria para a promoção do estilo de vida saudável adventista. Além disso, muitas famílias adventistas se beneficiariam com as oportunidades de emprego na nova fábrica.

O fundador dessa nova fábrica alimentícia foi o Pastor Durval Stockler de Lima que, no passado, teve um problema cardíaco e foi tratado nos Estados Unidos. Durante o seu tratamento, baseado em alimentos e remédios naturais, ele percebeu que ter uma alimentação saudável o ajudou em sua recuperação. Ele testemunhou que esses produtos lhe deram uma nova vida (em inglês, “new life”). De volta ao Brasil, decidiu abrir uma pequena fábrica de alimentos integrais e naturais, à qual chamou New Life.8 Assim, o empenho do Pastor Stockler em partilhar o bem que a alimentação saudável lhe trouxe contribuiu para a criação da empresa de alimentos saudáveis New Life em 1957.9

Fundação

A New Life, como ficou conhecida, foi uma fábrica alimentícia que teve um começo bastante simples.10 Sua primeira sede foi estabelecida na casa do Pastor Durval, localizada na Estrada de Itapecerica da Serra, km 23, bairro Capão Redondo. Sua atividade industrial começou com a produção da geleia real, que era o produto mais comum no mercado de alimentos naturais daquela região. Em pouco tempo, a pequena fábrica de Durval encontrou espaço no mercado, produzindo de 100 a 200 potes de geleia real por dia.11

No final de 1957, o Pastor Durval oficializou o funcionamento da sua empresa com as entidades de registro comercial, nomeando-a Produtos Alimentícios New Life Ltda. Os objetivos da empresa eram usar alimentos naturais e orgânicos e levar o evangelho por meio de seus produtos.12 Assim, sua missão era simples e clara: trazer mais saúde às pessoas adventistas e aos outros brasileiros.13

Os primeiros produtos, além de serem produzidos na casa do Pastor Durval, eram também distribuídos no mesmo lugar. A comercialização oficial da geleia real começou em 27 de junho de 1958. Esse produto, que mudou a vida do Pastor Durval, tornou-se tão singular que as pessoas faziam fila à sua porta para comprá-lo.14 A geleia real era embalada em vidro. A fábrica focava na qualidade da produção e buscava a satisfação dos consumidores de todas as classes sociais. A partir de 1960, a fábrica começou a produzir cereais integrais e granola.15 Além dessa importante adição, a fim de melhor satisfazer as crescentes exigências do público, outros produtos logo foram introduzidos, tais como Fumil, Germel, leite de soja, Levemil e proteínas vegetais, como carne vegetal de várias formas.16

Nos seus primeiros anos de funcionamento, a empresa foi muito bem-sucedida. A fábrica foi amplamente reconhecida como uma instituição empenhada na saúde.17

História

Contudo, mesmo com o crescimento experimentado anteriormente, no início da década de 1970, a New Life sofreu uma persistente crise financeira que dificultou a sua manutenção. Além disso, em 1975, o Pastor Durval aposentou-se e propôs doar a fábrica para uma organização adventista que queria continuar o negócio. Ele pediu que lhe fosse dado 5% do lucro enquanto vivesse. A proposta não foi aceita pela Igreja Adventista e, pouco tempo depois, a fábrica foi vendida a uma pessoa não adventista chamada Gil Medeiros.18

A fábrica continuou a sua produção, embora mais tarde tenha sido novamente oferecida à Igreja. Em 19 de março de 1985, a Superbom, através de negócios realizados com a aprovação da Companhia de Alimentos (uma entidade que administrava as indústrias de alimentos adventistas no território da Divisão Sul-Americana), comprou todas as ações da fábrica New Life. Com a aquisição da New Life, a Superbom ampliou suas vendas no mercado, que apreciava os produtos da New Life. Visto que sua embalagem era simples, os preços finais dos produtos eram mais acessíveis. O objetivo era disponibilizar bons produtos aos consumidores de todas as classes, incluindo aqueles com menor poder aquisitivo, sem reduzir a qualidade.19

Sob nova direção, a New Life pôde continuar seu trabalho. Seu endereço foi mudado, começando a funcionar na Estrada de Itapecerica, nº 23480, CEP 058858, na cidade de Santo Amaro, estado de São Paulo. Devido à sua expansão, e com a ajuda de outras empresas adventistas, a New Life patrocinou vários atletas, tais como o maratonista Eli Vieira, que aos 56 anos de idade venceu a Corrida de São Silvestre na sua categoria nos anos de 1987 e 1988.20 Como a empresa se concentrava na promoção da saúde, patrocinou e apoiou continuamente outros tipos de atividades que promoviam um estilo de vida saudável.

Dois anos após a compra da New Life, a Superbom também passou por um período de dificuldades financeiras. Por essa razão, em agosto de 1987, a New Life deixou de ser gerenciada pela Superbom e foi colocada sob a gestão da Companhia de Alimentos da Divisão Sul-Americana. Entre julho de 1988 e julho de 1989, sob a direção de Gilson Borda, um administrador da DSA, a New Life foi classificada como a primeira em termos de crescimento financeiro entre as fábricas da Igreja Adventista no território Sul-Americano.21

No entanto, à medida que a década de 1990 se aproximava, a New Life enfrentou novamente uma grave crise financeira.22 Como resultado, em 23 de outubro de 1990, o Instituto Adventista de Ensino, localizado em Engenheiro Coelho (atual Unasp-EC), votou que o colégio assumisse a fábrica e se tornasse responsável pela sua administração e produção. Segundo o Pastor Walter Boger, diretor do IAE, a chegada da New Life seria muito benéfica para a instituição educacional, além de beneficiar os arredores da região com acesso rápido e fácil aos produtos naturais.23

Após a transferência da New Life para o IAE, Boger organizou a fábrica como um departamento escolar, para que os estudantes pudessem trabalhar ali e assim pagar pelos seus estudos. Sob a nova administração, a produção atingiu uma média de 15 toneladas de produtos por mês, sendo operada por uma equipe de 38 funcionários. Naquela época, a empresa tinha uma grande variedade de produtos e, entre eles, destacava-se a produção de granola.24

Embora houvesse uma melhoria considerável na situação financeira da empresa, uma nova crise ocorreu nos anos seguintes e a New Life foi incapaz de se manter. Assim, a fábrica foi declarada falida e terminou suas atividades em julho de 1997.25

Lista de Diretores

Durval Stockler de Lima (1957-1975); Gil Medeiros (1976-1984); Rene Marquete (1985-1987); Gilson Z. Borda (1988-1990); Flávio Machado Pasini (1991-1997).

Referências

Almeida, Wilson de, e Robson Marinho. “Realizada em Brasília.” Revista Adventista 85, nº 8 (agosto de 1989).

“Atleta adventista honra o sábado.” Revista Adventista, ano 85, nº 05, maio de 1989.

Centro de Pesquisas Ellen G. White Brasil http://www.centrowhite.org.br/.

Centro Nacional da Memória Adventista do Brasil. https://bit.ly/2lVh6Er.

Farias, Mauro. “Superbom Compra a New Life.” Revista Adventista 80, nº 3 (março de 1985).

Gomes, Moyses Pontes. “New Life.” Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1990.

Hosakawa, Elder. “Da Colina, Rumo ao Mar.” Dissertação de mestrado, Faculdade de Filosofia, Línguas e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2001.

Kanna, Birgitta Lilian, Cléa Ninon de Moura, Marbene Fiuza de Andrade e Maria Aparecida Trevilato. “O Instituto Adventista de Ensino: entre outras escolas.” InBairro do Capão Redondo, editado pela Turma de Formandos em Técnico de Contabilidade. São Paulo, SP: 1965.

Lamblet, Luiz Carlos Ribeiro. “Ellen G. White e a New Life.” Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1990.

Lima, Daniel Tavares de, Oder Fernandes de Mello e Oséas Wichert. “Indústrias e Artesanatos.” InBairro do Capão Redondo, editado pela Turma de Formandos em Técnico de Contabilidade. São Paulo, SP: 1965.

Lima, Fany Stockler de. Entrevistada pelo autor, Engenheiro Coelho, 19 de junho de 2019.

Martins, Cyrillo. “O progresso nas minhas experiências.” Revista Adventista 19, nº 5 (abril de 1922).

“New Life Desvincula-se da Superbom.” Revista Adventista, nº 12, ano 83, dezembro de 1987.

“Novo IAE continua avançando.” Revista Adventista, nº 1, ano 87, janeiro de 1991.

Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia (Brasil)http://www.adventistas.org/pt/.

Quiles, Gerson Jorge, e Eliseu Caputo. “A New Life.” Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1990.

Notas de Fim

  1. Elder Hosakawa, “Da colina, rumo ao mar” (Dissertação de mestrado, Faculdade de Filosofia, Línguas e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2001), 65-100.
  2. Cyrillo Martins, “O progresso nas minhas experiências,” Revista Adventista 19, nº 5 (abril de 1922): 14.
  3. Daniel Tavares de Lima, Oder Fernandes de Mello e Oséas Wichert, “Indústrias e Artesanatos,” InO Bairro do Capão Redondo, editado pela Turma de Formandos em Técnico de Contabilidade (São Paulo, SP: 1965), 36-42.
  4. Centro de Pesquisas Ellen G. White, “Sobre a Igreja Adventista,” acessado em 14 de setembro de 2020, https://bit.ly/3khixp7.
  5. Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia (Brasil), “Nossas Fábricas,” acessado em 14 de setembro de 2020, https://bit.ly/3iuJ7L5.
  6. Birgitta Lilian Kanna, Cléa Ninon de Moura, Marbene Fiuza de Andrade e Maria Aparecida Trevilato, “O Instituto Adventista de Ensino: entre outras escolas,” InO Bairro do Capão Redondo, ed. Turma de Formandos em Técnico de Contabilidade (São Paulo, SP: 1965), 15-16.
  7. Daniel Tavares de Lima, Oder Fernandes de Mello e Oséas Wichert, “Indústrias e Artesanatos,” InO Bairro do Capão Redondo, ed. Turma de Formandos em Técnico de Contabilidade (São Paulo, SP: 1965), 36-42.
  8. Centro Nacional da Memória Adventista, “Produtos Alimentícios New Life,” acessado em 19 de junho de 2019, https://bit.ly/2lVh6Er.
  9. Daniel Tavares de Lima, Oder Fernandes de Mello e Oséas Wichert, “Indústrias e Artesanatos,” InO Bairro do Capão Redondo, ed. Turma de Formandos em Técnico de Contabilidade (São Paulo, SP: 1965), 36-42.
  10. Gerson Jorge Quiles e Eliseu Caputo, “A New Life” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1990), 3.
  11. Daniel Tavares de Lima, Oder Fernandes de Mello e Oséas Wichert, “Indústrias e Artesanatos,” InO Bairro do Capão Redondo, ed. Turma de Formandos em Técnico de Contabilidade (São Paulo, SP: 1965), 36-42; Moyses Pontes Gomes, “New Life” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1990), 10.
  12. Luiz Carlos Ribeiro Lamblet, “Ellen G. White e a New Life” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1990), 6.
  13. Moyses Pontes Gomes, “New Life” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1990), 3.
  14. Ibid., 3.
  15. Ibid., 10.
  16. Mauro Farias, “Superbom Compra a New Life,” Revista Adventista 80, nº 3 (março de 1985): 33.
  17. Luiz Carlos Ribeiro Lamblet, “Ellen G. White x New Life” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1990), 3.
  18. Mauro Farias, “Superbom Compra a New Life,” Revista Adventista 80, nº 3 (março de 1985): 33.
  19. Ibid., 32.
  20. “Atleta adventista honra o sábado,” Revista Adventista, ano 85, nº 05, maio de 1989, 28.
  21. “New Life Desvincula-se da Superbom,” Revista Adventista, nº 12, ano 83, dezembro de 1987, 21.
  22. Gerson Jorge Quiles e Eliseu Caputo, “A New Life” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1990), 58.
  23. “Novo IAE continua avançando,” Revista Adventista, nº 1, ano 87, janeiro de 1991, 30.
  24. Fany Stockler de Lima, entrevistada pelo autor, Engenheiro Coelho, 19 de junho de 2019.
  25. Ibid.
×

Almeida, Caiky Xavier. "New Life Health Food Products." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. January 06, 2022. Accessed June 17, 2024. https://encyclopedia.adventist.org/article?id=CJ8E.

Almeida, Caiky Xavier. "New Life Health Food Products." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. January 06, 2022. Date of access June 17, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=CJ8E.

Almeida, Caiky Xavier (2022, January 06). New Life Health Food Products. Encyclopedia of Seventh-day Adventists. Retrieved June 17, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=CJ8E.