View All Photos

Construction of Varzea Grande Adventist Academy.

Photo courtesy of National Adventist Memory Center in Brazil Archives.

Missão Oeste Mato-Grossense

By Lucas Vítor Alves Rodrigues Sena

×

Lucas Vítor Alves Rodrigues Sena

First Published: November 29, 2021

A Missão Oeste Mato-grossense (MisOM) é uma unidade administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia, localizada no território da União Centro-Oeste Brasileira (UCOB). A sede temporária da Missão Oeste Mato-Grossense fica na Rua da Bondade, n° 182, bairro Jardim Gloria II, CEP 78140-770, Várzea Grande, MT, Brasil.

O território da MisOM abrange os municípios de Nova Monte Verde, Colíder, Alta Floresta, Colniza, Aripuanã, Juína, Juara, Tangará da Serra, Barra do Bugres, Curvelândia, Cáceres, Poconé, Pontes e Lacerda, Guarantã do Norte, Matupá, Peixoto de Azevedo, Sinop e Várzea Grande. O campo tem 18.853 membros, divididos entre 107 igrejas organizadas, 119 grupos e trinta distritos pastorais.1 Com população total de 1.373.083 habitantes na região,2 a média é de um adventista por 72 habitantes.

A Missão Oeste Mato-Grossense administra três escolas, que até o momento da redação somavam 2.618 alunos matriculados. São elas: o Colégio Adventista de Várzea Grande, na cidade de Várzea Grande, com 923 alunos matriculados; o Colégio Adventista de Cáceres, em Cáceres, com 751 alunos matriculados; e o Colégio Adventista de Sinop, em Sinop, com 944 alunos matriculados. A rede Novo Tempo é transmitida no canal 3, um canal aberto, na cidade de Colíder, com alcance potencial de 33.438 pessoas.3

A MisOM emprega uma equipe de 41 pessoas, das quais 20 são parte do pessoal de apoio, sete são obreiros credenciados e 14 são obreiros licenciados. O campo emprega 35 pastores, dos quais 21 são ordenados e 14, licenciados.

Origem da Obra Adventista no Território da Missão

A obra adventista começou em Mato Grosso por volta de 1920, quando o território foi incorporado ao do Mato Grosso do Sul para formar um único estado. Os colportores Antônio Souza e Egídio Machado chegaram inicialmente ao sul do estado. Em novembro de 1920, Max Rohde, acompanhado de Antônio Souza, visitou a cidade de Entre Rios, onde organizou a primeira Escola Sabatina com dez membros.4 Rohde também encontrou um grupo de observadores do sábado em um lugar “no meio de uma enorme mata virgem” na região, onde organizou outra classe da Escola Sabatina com 20 membros.5

Em 1921, Rohde visitou a cidade de Ponta Porã, na divisa com o Paraguai, no atual território mato-grossense. Ali conheceu o casal Israel e Castorina do Amaral, que conheceram a Igreja Adventista enquanto moravam na Argentina. Rohde realizou reuniões de estudo da Bíblia em Ponta Porã e, em 29 de maio de 1921, realizou um dos primeiros batismos registrados no território.6 No mesmo ano, a Missão Mato-Grossense foi estabelecida, tendo Rohde como presidente e único ministro licenciado. A sede da missão estava localizada na cidade de Campo Grande.7 O trabalho incansável de Rohde em prol da missão adventista acabou prejudicando sua saúde, o que o obrigou a se aposentar em 1927. Ele permaneceu como líder da Missão Mato-Grossense até 1929.8 Durante 1930, a missão ficou sem diretor,9 até que Elmer H. Wilcox, então presidente da União Sul Brasileira, assumiu-a em 1931.10

Em meio a mudanças administrativas, o trabalho evangelístico não parou em Mato Grosso. No início da década de 1930, Longino Niz chegou a Cuiabá para colportar.11 Em maio de 1933, havia vendido mais de “dez contos de réis12 em literatura” (cerca de 3.250,00 dólares) em materiais.13 Naquela época, Niz atendia uma população de aproximadamente 18 mil habitantes em Cuiabá e cidades próximas, como Poconé.14 Em julho de 1934, graças ao trabalho do colportor, Cuiabá já tinha quatro classes de Escola Sabatina organizadas e dez pessoas prontas para o batismo.15

Em 1934, a União Sul Brasileira enviou Alfredo Méier para trabalhar na Missão Mato-Grossense.16 Em 1936, Méier assumiu a presidência da missão, ainda com sede em Campo Grande.17 A Missão Mato-Grossense realizou sua primeira conferência geral nos dias 18 a 22 de julho de 1934. O Pastor E. H. Wilcox batizou três pessoas em Cuiabá dias antes da conferência e outras cinco na cidade de Poconé.18

O avanço da obra e das conferências realizadas em 1938 e 1939 possibilitou a inauguração da Igreja Adventista do Sétimo Dia em Cuiabá no início do ano de 1941.19 No mesmo ano, José R. dos Passos aceitou a liderança da Missão Mato-Grossense e passou a concentrar esforços na evangelização da região norte do estado. Até então, a missão tinha apenas quatro igrejas organizadas, sete grupos e 174 membros batizados.20 Em 1943, o número de adventistas em todo o estado de Mato Grosso aumentou para 225.21

Não há registro de quando a mensagem adventista chegou oficialmente à cidade de Várzea Grande. No entanto, em setembro de 1942, a Revista Adventista relatou que havia um grupo de 45 a 60 participantes regulares nos cultos de sábado e quinta-feira na cidade.22 Em fevereiro de 1943, Oscar dos Reis informou que havia 56 pessoas matriculadas na Escola Sabatina, e nove pessoas haviam sido batizadas.23

A Igreja nessa região tinha grandes preocupações quanto à educação. A missão forneceu um professor para Várzea Grande, que ministrou o curso primário de admissão.24 Foi o início da escola adventista da cidade, que se tornou o Colégio Adventista de Várzea Grande, como é conhecido hoje. As aulas da nova escola começaram em 15 de março de 1943, sob a direção de Rubens Ségre Ferreira, oferecendo as quatro séries do ensino fundamental e o curso de admissão ao ginásio. Em agosto de 1943, a escola tinha 45 alunos matriculados em ambos os cursos.25

Com a fundação do Colégio Adventista de Várzea Grande, considerado o primeiro colégio adventista no território, a obra adventista em Mato Grosso começou a crescer. Em 1945, o estado tinha 260 membros;26 em 1950, o número de membros havia chegado a 299.27 Diante de uma população aproximadamente 520 mil habitantes, o número de adventistas no estado chegou a 529 em 1955.28 A obra evangelística também avançou na cidade de Cuiabá, que registrou 59 batismos em março de 1958, após uma grande série de reuniões evangelísticas iniciadas em abril de 1957.29 Devido a esses esforços, em 1960 a Igreja Adventista no território tinha 1.272 membros.30

Na década de 1960, a mensagem adventista alcançou municípios mais distantes de Cuiabá e Campo Grande, como Barra do Bugres. Em 1966, as famílias adventistas de Antônio Ambrósio Filho e Luciano Pereira da Silva mudaram-se da cidade de Pereira Barreto, no estado de São Paulo, para Barra do Bugres, no Mato Grosso, estabelecendo-se na fazenda Córrego Vermelhinho. No ano seguinte, outras famílias adventistas chegaram e fortaleceram o pequeno grupo de adventistas na cidade, que recebeu assistência do Pastor Enéas Simon.31

Entre 1969 e 1975, o grupo de Barra do Bugres se reunia na garagem da casa de Tiburtino Pereira, e aos poucos o número de membros foi crescendo, resultando em batismos. O espaço ficou muito pequeno e, em 1975, a Prefeitura de Barra do Bugres doou um terreno na área urbana para a construção de uma igreja. Porém, o terreno foi vendido e com o dinheiro o grupo adquiriu uma propriedade ainda maior em outro local. No mesmo ano, o grupo de adventistas foi oficialmente organizado em uma igreja durante um culto especial com a presença de Elias Lombardi, presidente da Missão Mato-Grossense.32

Na cidade de Tangará da Serra, a mensagem adventista chegou por meio de um homem chamado José Joaquim Nascimento em novembro de 1969. Na época, funcionava em sua casa uma classe de Escola Sabatina cujos primeiros integrantes eram migrantes das cidades de Paranavaí e Tamboara, no estado do Paraná. Em 1977, essa classe tinha 253 membros.33 Um ano antes, a cidade havia sediado um congresso de educação e mordomia, onde foi abordada a necessidade de construir uma escola cristã. O Colégio Adventista de Tangará da Serra, no entanto, não foi inaugurado até 19 de fevereiro de 2019, matriculando apenas alunos do jardim de infância e primeira série.34

No final da década de 1970, um importante evento político contribuiu para a expansão da Igreja Adventista no território. Em 1977, o presidente do Brasil, Ernesto Geisel, assinou a Lei Complementar nº 31, de 11 de outubro de 1977, que dividia o grande estado em Mato Grosso, com capital em Cuiabá, e Mato Grosso do Sul, com capital em Campo Grande.35 Na época, a sede da Missão Mato-Grossense ainda ficava em Campo Grande, o que dificultava a gestão do vasto território que cobria os dois estados.36 Portanto, em 1979, a administração da missão solicitou que a União Sul Brasileira (atual União Central Brasileira) dividisse a Missão Mato-Grossense.37

A divisão oficial do campo ocorreu na décima sexta assembleia bienal da Missão Mato-Grossense, entre os dias 2 e 4 de novembro de 1979, em Cuiabá. O território da nova Missão Mato-Grossense abrangeu todo o estado de Mato Grosso, com sede em Cuiabá, enquanto a Missão Sul Mato-Grossense (atual Associação Sul Mato-Grossense) manteve o território de Mato Grosso do Sul, com sede em Campo Grande. Para presidente da nova missão, o comitê diretivo da USB escolheu Antenor Cruz da Costa. Jairo de Oliveira foi o secretário-tesoureiro.38 Em janeiro de 1980, o campo contava com sete distritos pastorais (Barra do Garças, Cáceres, Cuiabá Central, Cuiabá Porto, Rondonópolis, Sinop e Várzea Grande),39 com 14 igrejas e 5.139 membros.40

Nos anos que se seguiram, o campo continuou a crescer. A primeira igreja da nova Missão Mato-Grossense, Pedra Preta, foi inaugurada no município de Rondonópolis em 1980.41 Em julho de 1982, na segunda assembleia trienal da missão, foi relatado que, entre 1980 e 1981, 1.377 novos membros foram batizados, elevando o número total de membros para 6.352 adventistas no estado de Mato Grosso, no final de 1981.42 No final do ano seguinte, a Missão Mato-Grossense contava com 6.414 membros, divididos entre 20 igrejas nos bairros de Sinop, Porto, Central de Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Barra do Garças, Mirassol D'Oeste, Barra do Bugres e Cáceres.43

Em novembro de 1983, foi inaugurada a nova sede da Missão Mato-Grossense, em Cuiabá, na Rua São Sebastião, n° 3682, no bairro Santa Helena.44 O novo escritório contava com instalações modernas, como uma loja para o Serviço Educacional Lar e Saúde (Sels) e apartamentos para obreiros. A inauguração da nova estrutura foi um reflexo do constante crescimento da igreja, que em 1983 contava com 21 igrejas organizadas e 7.114 membros.45

A expansão da missão também envolveu a obra educacional. Em abril de 1985, as oito escolas do território da Missão Mato-Grossense tinham cerca de 1.300 alunos matriculados,46 enquanto a missão tinha um total de 27 igrejas com 8.936 membros.47 Em 1987, o número de distritos pastorais aumentou de 15 para 19 em cidades como Nova Xavantina, Alta Floresta e Peixoto de Azevedo.48 No mesmo ano, a Missão Mato-Grossense adquiriu um terreno em Cuiabá, onde funcionaria a Clínica Adventista de Saúde.49 A construção da unidade de saúde teve início em 21 de fevereiro de 1988,50 com inauguração prevista para 1993.51

A década de 1990 representou novas oportunidades de crescimento para a Igreja Adventista em Mato Grosso. O campo mato-grossense iniciou esse período com 40 igrejas e 12.453 membros,52 e a obra adventista se expandiu para outras cidades do oeste. Em Tangará da Serra, por exemplo, embora um grupo se reunisse desde 1977, a construção da igreja da cidade finalmente começou em agosto de 1991 com o lançamento da pedra fundamental. Naquele mesmo mês, na cidade de Barra do Bugres, o Centro de Assistência Social Adventista (CASA) tornou-se ativo, oferecendo cursos de tricô, crochê, pintura, costura e outras atividades domésticas. Três pessoas já foram batizadas pelo trabalho do CASA.53

Em novembro de 1994, dados apresentados na terceira assembleia trienal do campo mostraram que o estado de Mato Grosso tinha 16 mil adventistas distribuídos em um total de 200 congregações. Em proporção, havia um adventista para cada 130 habitantes.54 Um ano depois, a missão lançou a pedra fundamental do Instituto Adventista do Mato Grosso (Iamat), um internato localizado na rodovia MT-140, na cidade de Campo Verde. A propriedade escolhida para a construção da escola possuía “excelente clima, abundantes nascentes, estradas asfaltadas, podendo receber alunos de outras regiões do país”. A missão escolheu o professor Osvaldo Leão para liderar o novo internato.55

Foi também na década de 1990 que surgiu o primeiro meio de comunicação sob a direção da IASD em Mato Grosso. Em 1996, com produção e apresentação de Wilson Pereira, foi veiculado nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande o programa de rádio Comunicando Jesus. O caráter social, cultural e espiritual do programa foi bem recebido pela população. Em agosto de 1996, era líder de audiência entre os programas religiosos veiculados em Cuiabá. Além das rádios, o programa contava com uma equipe que visitava os ouvintes em suas residências.56

Todas as iniciativas evangelísticas na década de 1990 contribuíram para um número de batismos que ultrapassou duas mil pessoas. Assim, o estado de Mato Grosso iniciou o ano de 2000 com 105 igrejas organizadas e 23.481 adventistas, em comparação a uma população total de 2.191.081 pessoas.57 No final de 2003, o número de adventistas subiu para 26.816.58 O crescimento em toda a região levou a Divisão Sul-Americana a criar a União Centro-Oeste Brasileira em maio de 2004, que abrange os estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. A nova união começou suas atividades em janeiro de 2005.59

Nos anos 2000, a imprensa local destacou um importante trabalho realizado pela educação adventista no estado. Em 2004, no Colégio Adventista de Sinop, um programa foi implementado para incluir alunos surdos, que envolveu o Coral de Libras e o ensino da Língua Brasileira de Sinais para alunos não surdos. A TV Centro América apresentou o projeto em um de seus noticiários, inclusive entrevistando um dos alunos surdos da escola.60 Enquanto projetos na área social foram destacados, a frente evangelística avançou com a expansão da obra adventista para municípios que, até então, não contavam com a presença da Igreja Adventista. Em dezembro de 2007, o estado tinha 117 igrejas organizadas com 23.484 membros61 em 122 igrejas. Em dezembro de 2008, havia 24.184.62

À medida que o número de membros adventistas crescia no estado de Mato Grosso, representantes de todos os adventistas da região se reuniram em Cuiabá nos dias 23 a 25 de novembro de 2008, para a sétima assembleia quadrienal da Missão Mato-Grossense, onde o campo se tornou a Associação Mato-Grossense (AMT).63 Em 2009, em seu primeiro ano oficial como associação, a AMT finalizou o mês de dezembro com 133 igrejas organizadas e 24.992 membros.64 Nos anos seguintes, a Igreja Adventista em Mato Grosso experienciou crescimento considerável. Em dezembro de 2013, havia 164 igrejas com 27.501 membros.65 No final de 2015, havia 176 igrejas com 28.877 membros66 e, no final de 2016, havia 187 igrejas com 29.956 membros.67

História Organizacional da Missão

Com o crescimento da obra adventista no estado de Mato Grosso, em 2019 a Divisão Sul-Americana aprovou a reorganização da Associação Mato-Grossense em dois novos campos: a Missão Oeste Mato-Grossense e a Associação Leste Mato-Grossense.68 O voto da DSA foi registrado pelo comitê diretivo da União Centro-Oeste Brasileira em 9 de junho de 2019.69

A justificativa apresentada para a divisão do campo mato-grossense envolvia a grande extensão do território, o elevado número de membros e a baixa densidade demográfica. Além disso, o crescimento dos setores evangelístico, educacional e missionário da igreja demandam a presença constante da liderança, o que não era permitido pela extensão do território e seu rápido crescimento. Assim, com a criação da nova unidade administrativa, a Igreja Adventista do Sétimo Dia acredita que o evangelho poderá ser pregado de forma mais eficiente no estado de Mato Grosso.70 O voto da DSA prevê ainda que, na sua segunda assembleia ordinária, a MisOM terá seu status alterado para associação, passando a ser chamada Associação Oeste Mato-grossense (AOM).71

O campo iniciou suas atividades com 18.853 adventistas organizados em 226 congregações e 30 distritos pastorais. Para liderar a nova missão, que também faz parte da União Centro-Oeste Brasileira (UCoB), Evaldo Oliveira foi nomeado presidente,72 Abdoval Cavalcanti, secretário executivo,73 e Paulo Fabrício Dias Júnior, tesoureiro. Em dezembro de 2019, a MisOM realizou sua primeira assembleia geral ordinária durante a qual os líderes de departamento foram eleitos: Edimar Sena Oliveira Júnior (Educação e Liberdade Religiosa); Krysthyann Zeferino (Mistérios Jovem, Desbravadores, Aventureiros, Música e Universitários Adventistas); Marcos Roberto Pereira Nunes (Associação Ministerial, Pequenos Grupos e Lar e Família); Reverson Silva Almeida (Escola Sabatina, Evangelismo e Ministério Pessoal); Tiago Lima (Espírito de Profecia e Ministérios de Publicações e Saúde); e Yasna Liz Cardenas Seguel Oliveira (Ministérios da Mulher, Criança e Adolescente).74

O campo da Missão Oeste Mato-Grossense apresenta alguns desafios para o bom cumprimento da missão da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Além da grande distância entre os municípios e da baixa densidade populacional, há a necessidade de um crescimento sustentável, especialmente na área de mordomia, fidelidade cristã e discipulado. Apesar desses desafios, a liderança da MisOM tem planos ousados para os próximos anos. O primeiro deles é o plantio de 31 novas congregações em todo o campo no ano de 2020. A missão visa atingir um crescimento de 10% em dízimos e ofertas; a inauguração de um Colégio Adventista no bairro Jardim América, na cidade de Várzea Grande; o treinamento de 12 novos colportores em 2020; a consolidação e expansão do Colégio Adventista de Tangará da Serra; e a construção de uma nova sede.75

A Missão Oeste Mato-Grossense capacita membros leigos, obreiros e pastores para evangelizar, pregando o evangelho em unidade de espírito e dependência de Deus. Com base nesses pilares, os líderes e membros da missão seguirão com incansáveis esforços na busca do cumprimento dos propósitos missionários para os quais a instituição foi fundada e na certeza de que, pela graça de Deus, muitas pessoas serão conduzidas a Cristo.76

Lista de Oficiais Administrativos

Presidentes: Evaldo Oliveira (2019-)

Secretários: Francisco Abdoval da Silva Cavalcanti (2019-)

Tesoureiros: Paulo Fabrício Dias Júnior (2019-)

Referências     

Arruda, Gerson G. de. “Missão Mato-Grossense e sua história.” Monografia: Instituto Adventista de Ensino, 1985.

Ata da Divisão Sul-Americana, maio, 2019, voto no. 2019-070.

Ata da Missão Mato-grossense, abril, 1979, voto no. 79-038.

Ata da União Centro-Oeste Brasileira, junho, 2019, voto no. 2019-091.

Azevedo, Paulo César de. “Perspectiva para a obra médico-missionária no Brasil. Revista Adventista, janeiro, 1993.

Barros, Nilza. “Série de Conferências no Centro da América do Sul.” Revista Adventista, março, 1958.

Brasil. “Lei Complementar no. 31, de 11 de outubro, 1977.” Portal do Governo Federal, 11 de outubro, 1977.

“Campos da UCB realizam trienais.” Revista Adventista, fevereiro, 1995.

“Concílios de Planejamento.” Revista Adventista, abril, 1985.

Costa, Antenor Cruz da. “Dois marcos históricos na nova Missão Mato-Grossense.” Revista Adventista 75, no. 7 (julho, 1980): 30-31.

Erthal, Henilson. “Trabalho em favor de deficientes auditivos é destaque na mídia. Revista Adventista, outubro, 2004.

Félix, Oswaldo T. “Notas e Notícias.” Revista Adventista, dezembro, 1983.

“Igrejas Organizadas.” 2ª Assembleia Trienal—Missão Mato-Grossense da I.A.S.D. De 23 a 25 de julho, 1982.

Jokura, Leonardo R. “Igreja Adventista de Barra do Bugres.” Monografia: Centro Universitário Adventista de São Paulo, 2001.

Lessa, Rubens. “Mesa plenária histórica.” Revista Adventista, junho, 2004.

Margarido, Manoel. “Do pioneiro da página impressa nas plagas mattogrossenses.” Revista Adventista, setembro, 1933.

Margarido, Manoel. “Nas Regiões Mattogrossenses.” Revista Adventista, maio, 1933.

“Mato-grossenses contabilizam vitórias evangelísticas.” Revista Adventista, agosto, 1996.

Mato Grosso. Censo Brasileiro 2010. População estimada. IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), acessado em 9 de janeiro de 2020, https://cidades.ibge.gov.br/.

Mato Grosso, Colíder. In: Censo Brasileiro 2010. População estimada. IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), acessado em 29 de agosto de 2019, https://bit.ly/34cpmRp.

 “Missão Mato-Grossense Inaugura Sua Sede.” Revista Adventista, dezembro, 1983.

Mondego, Paulo. “Missão Mato-Grossense alcança status de Associação. Revista Adventista, janeiro, 2009.

“Movimento de Membros.” 2ª Assembleia Trienal – Missão Mato-Grossense da I.A.S.D. De 23 a 25 de julho, 1982.

“Na XVI Assembleia da Mato-Grossense surgem duas missões.” Revista Adventista, janeiro, 1980.

“Nasce o internato mato-grossense.” Revista Adventista, janeiro, 1996.

Nascimento, Carlos Maciel do. “Pesquisa sobre Missão do Mato Grosso.” Monografia: Instituto Adventista de Ensino, s.d.

Nascimento, Dayane. “Comissão Diretiva escolhe administradores do novo campo de Mato Grosso.” Notícias Adventistas (Online), 5 de junho, 2019.

Nascimento, Dayane. “Eleitos líderes da Igreja Adventista para o oeste de Mato Grosso.” Notícias Adventistas (Online), 8 de dezembro, 2019.

“Notícias da MMT.” Revista Adventista, janeiro, 1987.

Passos, José R. dos. “Reuniões Gerais na Missão Mato-Grossense.” Revista Adventista, agosto, 1942.

“Pastores Buscam Poder.” Revista Adventista, abril, 1988.

Pereira, João Luiz. “Escola Primária e Curso de Admissão em Várzea Grande, Mato Grosso.” Revista Adventista, agosto, 1943.

“Rápidas.” Revista Adventista, julho, 1987.

“Rápidas.” Revista Adventista, novembro, 1981.

Rebello, Gilberto. “Congresso de Educação e Mordomia em Tangará. Revista Adventista, janeiro, 1977.

“Rede Adventista inaugura unidade em Tangará da Serra.” Diário da Serra (Online), 20 de fevereiro, 2019.

Reis, Oscar. “Ceifando Abundante Messe.” Revista Adventista, fevereiro, 1943.

Reis, Oscar. “Notícias do Oeste.” Revista Adventista, setembro, 1942.

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia]. Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 1984-2014.

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia]. Nampa, ID: Pacific Press Publishing Association, 2016-2017.

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia]. Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1922-1981.

Vieira, Jenny. “Definidos novos líderes para a Igreja no Centro-Oeste brasileiro e no Oeste Mato-Grossense.” Notícias Adventistas (Online), 1º de dezembro, 2019.

Vieira, Jenny. “Igreja vota criação da Missão Oeste Mato-Grossense.” Notícias Adventistas (Online), 9 de junho, 2019.

Wilcox, E. H. “Notícias.” Revista Adventista, julho, 1934.

Notas de fim

  1. Matheus Tavares, secretário executivo da União Centro-Oeste Brasileira, mensagem de e-mail para Carlos Flavio Teixeira, editor associado da ESDA, 15 de dezembro de 2019.
  2. Censo Brasileiro 2010, Mato Grosso, população estimada. IBGE, acessado em 9 de janeiro de 2020, http://bit.ly/3020w5i.
  3. Censo Brasileiro 2010, Colíder, Mato Grosso, população estimada. IBGE, acessado em 29 de agosto de 2019, https://bit.ly/34cpmRp.
  4. José R. dos Passos, “Reuniões Gerais na Missão Mato-Grossense,” Revista Adventista, agosto, 1942, 21.
  5. Gerson G. de Arruda, “Missão Mato-Grossense e sua história,” Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1985, 5-7.
  6. Carlos Maciel do Nascimento, “Pesquisa sobre Missão do Mato Grosso,” Monografia: Instituto Adventista de Ensino, s.d., 2.
  7. “Matto Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1922), 129.
  8. “Matto Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1930), 236.
  9. “Matto Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1931), 243.
  10. “Matto Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1932), 243; “Matto Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1933), 169.
  11. Colportagem é uma “atividade de distribuição voluntária e independente de publicações com conteúdo religioso e temas relacionados à saúde da família e qualidade de vida.” Aqueles que trabalham na obra de colportagem são conhecidos como colportores. “Colportagem,” Igreja Adventista do Sétimo Dia (Brasil), acessado em 14 de fevereiro de 2020, https://bit.ly/2RQirbB.
  12. Moeda brasileira usada na época.
  13. Manoel Margarido, “Nas Regiões Mattogrossenses,” Revista Adventista, maio, 1933, 8
  14. Manoel Margarido, “Do pioneiro da página impressa nas plagas mattogrossenses,” Revista Adventista, setembro, 1933, 5.
  15. H. Wilcox, “Notícias,” Revista Adventista, julho, 1934, 13.
  16. José R. dos Passos, “Reuniões Gerais na Missão Mato-Grossense,” Revista Adventista, agosto, 1942, 21.
  17. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1937), 181.
  18. Gerson G. de Arruda, “Missão Mato-Grossense e sua história,” Monografia: Instituto Adventista de Ensino, 1985, 13.
  19. José R. dos Passos, “Reuniões Gerais na Missão Mato-Grossense,” Revista Adventista, agosto, 1942, 24.
  20. Ibid., 22.
  21. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1944), 150.
  22. Oscar dos Reis, “Notícias do Oeste,” Revista Adventista, setembro, 1942, 22.
  23. Oscar dos Reis, “Ceifando Abundante Messe,” Revista Adventista, fevereiro, 1943, 22.
  24. Ibid.
  25. João Luiz Pereira, “Escola Primária e Curso de Admissão em Várzea Grande, Mato Grosso,” Revista Adventista, agosto, 1943, 11-12.
  26. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1946), 159.
  27. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1951), 178.
  28. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1955), 150.
  29. Nilza Barros, “Série de Conferências no Centro da América do Sul,” Revista Adventista, março, 1958, 34.
  30. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1961), 170.
  31. Leonardo R. Jokura, “Igreja Adventista de Barra do Bugres,” Monografia: Centro Universitário Adventista de São Paulo, 2001, 2.
  32. Ibid., 3.
  33. Gilberto Rebello, “Congresso de Educação e Mordomia em Tangará,” Revista Adventista, janeiro, 1977, 21.
  34. “Rede Adventista inaugura unidade em Tangará da Serra, Diário da Serra, 20 de fevereiro, 2019, acessado em 3 de setembro de 2019, https://bit.ly/2lUYrbf.
  35. Ernesto Geisel, “Lei Complementar no. 31, de 11 de outubro de 1977,” Portal do Governo Federal, 11 de outubro, 1977, acessado em 2 de setembro de 2019, https://bit.ly/2lutfiS.
  36. Gerson G. de Arruda, “Missão Mato-Grossense e sua história,” Monografia: Instituto Adventista de Ensino, 1985, 21.
  37. Ata da Missão Mato-grossense, abril, 1979, voto no. 79-038.
  38. “Na XVI Assembleia da Mato-Grossense surgem duas missões,” Revista Adventista, janeiro, 1980, 24-25.
  39. Ibid.
  40. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1981), 281.
  41. Antenor Cruz da Costa, “Dois marcos históricos na nova Missão Mato-Grossense,” Revista Adventista, julho, 1980, 30-31.
  42. “Movimento de Membros,” 2ª Assembleia Trienal—Missão Mato-Grossense da I.A.S.D, 23 a 25 de julho, 1982, 10.
  43. “Igrejas Organizadas,” 2ª Assembleia Trienal—Missão Mato-Grossense da I.A.S.D, 23 a 25 de julho, 1982, 11.
  44. Oswaldo T. Félix, “Notas e Notícias,” Revista Adventista, dezembro, 1983, 29-30.
  45. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 1984), 309.
  46. “Concílios de Planejamento,” Revista Adventista, abril, 1985, 27-28.
  47. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 1986), 269.
  48. “Notícias da MMT,” Revista Adventista, janeiro, 1987, 33.
  49. “Rápidas,” Revista Adventista, julho, 1987, 30.
  50. “Pastores Buscam Poder,” Revista Adventista, abril, 1988, 23.
  51. Paulo César de Azevedo, “Perspectiva para a obra médico-missionária no Brasil,” Revista Adventista, janeiro, 1993, 9.
  52. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 1990), 263.
  53. “Rápidas,” Revista Adventista, novembro, 1991, 21.
  54. “Campos da UCB realizam trienais,” Revista Adventista, fevereiro, 1995, 14-15.
  55. “Nasce o internato mato-grossense,” Revista Adventista, janeiro, 1996, 23.
  56. “Mato-grossenses contabilizam vitórias evangelísticas,” Revista Adventista, agosto, 1996, 14.
  57. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 2001), 257.
  58. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 2004), 236.
  59. Rubens Lessa, “Mesa plenária histórica,” Revista Adventista, junho, 2004, 22.
  60. Henilson Erthal, “Trabalho em favor de deficientes auditivos é destaque na mídia,” Revista Adventista, outubro, 2004, 37.
  61. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 2008), 288.
  62. “Mato Grosso Mission” [Missão Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 2009), 293.
  63. Paulo Mondego, “Missão Mato-Grossense alcança status de Associação,” Revista Adventista, janeiro, 2009, 31.
  64. “Mato Grosso Conference” [Associação Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 2010), 299.
  65. “Mato Grosso Conference” [Associação Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 2014), 305.
  66. “Mato Grosso Conference” [Associação Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Nampa, ID: Pacific Press Publishing Association, 2016), 332.
  67. “Mato Grosso Conference” [Associação Mato-grossense], Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da Igreja Adventista do Sétimo Dia] (Nampa, ID: Pacific Press Publishing Association, 2017), 265.
  68. Ata da Divisão Sul-Americana, maio, 2019, voto no. 2019-070.
  69. Ata da União Centro-Oeste Brasileira, junho, 2019, voto no. 2019-091.
  70. Jenny Vieira, “Igreja vota criação da Missão Oeste Mato-Grossense,” Notícias Adventistas, 9 de junho, 2019, acessado em 29 de agosto 2019, https://bit.ly/30HSoqd.
  71. Ata da Divisão Sul-Americana, maio, 2019, voto no. 2019-070.
  72. Dayane Nascimento, “Comissão Diretiva escolhe administradores do novo campo de Mato Grosso,” Notícias Adventistas, 5 de junho, 2019, acessado em 8 de janeiro de 2020, http://bit.ly/2N78zs2.
  73. Jenny Vieira, “Definidos novos líderes para a Igreja no Centro-Oeste brasileiro e no Oeste Mato-Grossense,” Notícias Adventistas, 1 de dezembro, 2019, acessado em 8 de janeiro de 2020, http://bit.ly/300uW7Q.
  74. Dayane Nascimento, “Eleitos líderes da Igreja Adventista para o Oeste de Mato Grosso,” Notícias Adventistas, 8 de dezembro, 2019, acessado em 9 de janeiro de 2020, http://bit.ly/2QC74Er.
  75. Matheus Tavares, secretário executivo da União Centro-Oeste Brasileira, mensagem de e-mail para Carlos Flavio Teixeira, editor associado da ESDA, 15 de dezembro de 2019.
  76. Ibid.
×

Sena, Lucas Vítor Alves Rodrigues. "West Mato Grosso Mission." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. November 29, 2021. Accessed March 01, 2024. https://encyclopedia.adventist.org/article?id=FIG0.

Sena, Lucas Vítor Alves Rodrigues. "West Mato Grosso Mission." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. November 29, 2021. Date of access March 01, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=FIG0.

Sena, Lucas Vítor Alves Rodrigues (2021, November 29). West Mato Grosso Mission. Encyclopedia of Seventh-day Adventists. Retrieved March 01, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=FIG0.