View All Photos

Central Parana Conference headquarters, 2016.

Photo courtesy of Central Parana Conference Archive, accessed on October 8, 2019, http://bit.ly/33gFqR9.

Associação Central Paranaense

By Renato Gross, and Samuel Wesley Pereira de Oliveira

×

Renato Gross

Samuel Wesley Pereira de Oliveira

First Published: May 31, 2021

A Associação Central Paranaense (ACP) é uma unidade administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia, localizada no território da União Sul Brasileira (USB). Atualmente, sua sede fica na Avenida Deputado João Ferreira Neves, nº 159, bairro de Vista Alegre, CEP 80820-380, na cidade de Curitiba, capital do estado do Paraná, Brasil.1

Essa associação abrange 82 cidades da região metropolitana de Curitiba, e das regiões central e norte paranaenses. Seu time de colaboradores é responsável por atender 25.246 membros (números de 2017), divididos entre 43 distritos pastorais e 231 congregações (entre igrejas e grupos organizados). A população total do território coberto pela ACP é de 3.493.782 pessoas, ou um adventista para cada 138 habitantes do território. Para atender às necessidades desse campo tão amplo, a associação conta com 734 funcionários, incluindo 55 ministros ordenados e 11 licenciados.2

As instituições educacionais mantidas pela ACP na cidade de Curitiba são: o Colégio Adventista de Boa Vista, com 851 alunos; o Colégio Adventista Boqueirão, com 1.149 alunos; o Colégio Adventista de Portão, com 1.114 alunos; a Escola Adventista de Vista Alegre, com 140 alunos; e a Escola Adventista de Santa Efigênia, com 411 alunos. A ACP também mantém o Colégio Adventista de Araucária, na cidade de Araucária, com 621 alunos; a Escola Adventista de Castro, em Castro, com 154 alunos; o Colégio Adventista de Guarapuava, em Guarapuava, com 364 alunos; a Escola Adventista de Ponta Grossa, em Ponta Grossa, com 406 alunos; e o Colégio Adventista Telêmaco Borba, em Telêmaco Borba, com 472 alunos. Ao todo, são 5.682 estudantes distribuídos dentre essas unidades escolares.3

Ainda sob a administração da ACP está o Lar de Meninas Jardim Pinheiros, localizado na Rua Padre José Martini, no bairro de Santa Felicidade, em Curitiba. Em consonância com o Estatuto da Criança e do Adolescente previsto na legislação brasileira, esse lar para meninas aceita crianças na faixa etária entre dois e sete anos, enviadas pelos Conselhos Tutelares, Tribunal de Menores e Estatuto da Criança e do Adolescente. A instituição oferece serviço acolhedor e cristão, com uma dieta saudável, escolarização, cuidados médicos e odontológicos e todas as condições para uma vida digna.4

O campo da Associação Central Paranaense também é alcançado pelo sinal do Centro de Mídia Adventista no Brasil – com audiência estimada que ultrapassa a marca de dois milhões de pessoas.5

Origem da Obra Adventista no Território da Associação

Em janeiro de 1896, o colportor Albert B. Stauffer chegou a Curitiba. Stauffer e outros colportores planejavam vender literatura e plantar as sementes da mensagem Adventista do Sétimo Dia nas terras do Paraná. Em um dos primeiros contatos realizados, esses colportores venderam o livro Cristus unser Heiland (Vida de Jesus – edição alemã, publicada em Hamburgo), de Ellen G. White. Esse foi o primeiro livro adventista vendido no estado do Paraná, e uma das compradoras foi a Sra. Anna Piedrich Otto, a parteira mais conhecida da cidade.6

Após uma longa noite de estudos, no domingo seguinte, Anna Piedrich e seu esposo, Oscar Emílio Otto, aceitaram a fé adventista, tonando-se os primeiros conversos no estado do Paraná.7 No sábado daquela mesma semana, em 18 de janeiro de 1896, foi realizada a primeira Escola Sabatina do estado – uma reunião conduzida na própria sala de estar da família Otto.8 Anna foi batizada no mesmo ano, pelo Pastor Frank Henry Westphal. Westphal foi o primeiro pastor ordenado adventista a pisar em solo brasileiro.9

Mais cedo, naquele mesmo ano, o Pastor Huldreich von Graf chegou a Curitiba, que foi o primeiro pastor adventista a ser enviado para o Brasil pela Associação Geral (na época, ainda com sede em Battle Creek). Ele e a família moraram na Rua Paula Gomes, nº 290. Pouco depois de se estabelecerem, Graf conduziu reuniões evangelísticas na região e, em pouco tempo, a escola adventista (conhecida como Colégio Internacional de Curitiba, fundado em 1º de julho de 1896) foi aberta, e os primeiros conversos foram batizados.10 O sucesso missionário de dois casais de colportores - Guilherme e Maria Stein (professores no Colégio), e o casal Graf - garantiram que, no ano seguinte, a primeira igreja adventista no Paraná fosse organizada (hoje conhecida como Igreja Adventista Central de Curitiba), em janeiro de 1897.11

Em 1898, ainda em Curitiba, a primeira reunião (assembleia) foi realizada em uma casa alugada na Rua Paula Gomes (que serviu de moradia para as famílias Graf e Stein, para uma igreja e um colégio), com a presença de todos os obreiros no Brasil – menos de uma dúzia, incluindo pastores, professores e colportores. O interessante é que essa construção ainda existe, mais de um século depois.12

Até 1905, o avanço da obra adventista no estado do Paraná (e pelo Brasil) foi administrada pela Associação Brasileira, com sede na cidade do Rio de Janeiro. Essa associação havia sido organizada em 1902 sob a liderança de H. Graf como presidente, e A. B. Stauffer como secretário/tesoureiro.13 Contudo, em 1906, a Associação Brasileira foi reorganizada, dando origem a quatro novas unidades administrativas no território brasileiro: Associação Sul-Rio-Grandense, Associação Santa Catarina-Paraná, Missão Norte Brasileira e Missão Paulista. Dessa forma, os adventistas no Paraná passaram a ser administrados pela liderança da Associação Santa Catarina-Paraná.14

Em 1910, a Associação Paranaense foi organizada, sob a direção do Pastor Jacob G. Kroeker. Assim, o estado do Paraná estabeleceu sua própria sede administrativa, que respondia especificamente a essa região do Brasil.15 Essa instituição passou a ser chamada Missão Paranaense em 1914. Em seguida, em 20 de janeiro de 1915, foi inaugurada a primeira igreja de Curitiba, que seria usada para cultos religiosos na cidade, e também como sede da Missão Paranaense – erigida na Rua Saldanha Marinho, nº 1110. A construção foi liderada por Guilherme Malsbendem (arquiteto e construtor), e a pintura foi feita pelo irmão de Otto Weber – os dois adventistas que haviam migrado da Alemanha para o Brasil com suas famílias em 1913.16

Anos depois, em 1921, a primeira mesa diretiva da Liga dos Voluntários Missionários (hoje conhecida como Sociedade Jovem Adventista) foi organizada. O diretor da liga, na época, era Emílio Doehnert, e Martha R. Doehnert era a secretária. Frederico Kümpel foi o primeiro pastor adventista a ser designado para trabalhar em Curitiba, que anos depois cedeu o lugar para o Pastor Alberto Hägen e, mais tarde, para o Pastor Henrique Stöehr. Antes da chegada do Pastor Kümpel, a igreja era assistida por pastores e obreiros da Missão Paranaense.17 Na época, já havia dois grupos de adventistas em Curitiba: um que falava alemão e, outro, português. Por isso, eram realizados dois cultos aos sábados: um pela manhã, para falantes do alemão, e outro à tarde, para falantes do português.18

Com relação às mudanças da obra adventista no estado do Paraná, em 1927 houve uma reorganização administrativa pela qual congregações nos estados do Paraná e Santa Catarina se uniram para formar a “Missão Santa Catarina-Paraná”. A reunião para formalizar a decisão foi dirigida pelos Pastores G. W. Schubert (representando a Associação Geral) e Niels P. Nielsen (da União Sul Brasileira).19

Mais tarde, devido ao aumento da membresia, o prédio da Rua Saldanha Marinho tornou-se muito pequeno para abrigar os cultos. Por isso, foi necessário construir um novo espaço físico para as reuniões. O novo prédio da igreja foi inaugurado em 25 de janeiro de 1935, na Rua Dr. Ermelino de Leo, nº 170, e sua construção também foi liderada pelo arquiteto e construtor Guilherme Malsbendem. O primeiro batismo a ser realizado nesse novo local ocorreu na noite da abertura, quando Edith Anniess, Izabel Braga e Wolfgang Weber foram batizados.20

No início da década de 1940, o primeiro programa de rádio adventista do estado do Paraná – chamado Momentos de Meditação - foi transmitido nacionalmente. O programa era transmitido através da rádio P.R.B.2, e o primeiro locutor foi o Pastor Durval Stockler de Lima (que também foi o fundador do programa). A obra adventista continuou a progredir no território paranaense, e durante aquela década foram realizadas séries evangelísticas na capital, no bairro de São Braz – durante as quais houve vários outros batismos.21

Logo, o prédio na Rua Dr. Ermelino de Leão não tinha mais capacidade para acomodar todos os membros durantes os cultos ali realizados. Portanto, em 1952, foi conduzida a primeira reorganização da igreja de Curitiba, com o estabelecimento da Igreja Adventista de Juvevê. No entanto, o grande aumento da membresia no final da década de 1950 demandou uma nova reorganização. Assim, um grupo foi organizado no bairro de Vista Alegre, uma vez que um bom número de membros morava ali.22

O primeiro Clube de Desbravadores23 da igreja central de Curitiba foi organizado em 1962. O clube foi denominado Pinheirais, com início das atividades em 1963. Em outubro do mesmo ano, o local de reuniões dos membros da igreja central de Curitiba foi alterado para um novo endereço na Rua Carlos de Carvalho, nº 400. A abertura oficial dessa nova igreja aconteceu em 24 de dezembro de 1966, e a cerimônia de dedicação foi realizada em 5 de dezembro de 1968, pois os membros estavam esperando pela visita do Pastor Robert Pierson, presidente da Associação Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia.24

Em 26 de março de 1971, a Telepaz-Curitiba foi inaugurada. O serviço oferecido nesse projeto era procurado diariamente por mais de 1.000 pessoas. Uma mensagem gravada com 2-3 minutos de duração era reproduzida assim que o telefone tocava, e se o autor da chamada precisasse de ajuda, ele poderia falar após o término da mensagem, quando alguém atenderia a ligação. A pessoa poderia solicitar uma visita ou entrevista pessoal na sede da igreja. Este foi o primeiro projeto do tipo a ser realizado no território brasileiro. Tinha como sede a igreja central de Curitiba.25

A igreja central de Curitiba era a maior igreja adventista do Brasil na época, com capacidade para 1.500 pessoas. Além disso, um salão de jovens tinha a capacidade de assentos para 700 pessoas. Na época, havia um total de sete congregações na cidade.26 Não obstante, 10 anos depois, uma nova demanda por espaço foi sentida pelos membros da igreja em Curitiba. Isso levou à organização de uma igreja jovem, com a participação de ao menos 110 jovens. A membresia dessa igreja continuou a crescer ao ponto de, aproximadamente uma década depois, em 1989, a Igreja Jovem ter ganhado seu prédio próprio no Colégio Adventista Curitibano, localizado na Rua Nilo Peçanha, nº 501. O novo prédio tinha a capacidade para acomodar 500 pessoas.27

A jornada acima mostra que o zelo e entusiasmo missionário, dirigidos pela ação divina, levou os pioneiros adventistas em solo brasileiro a organizar a Igreja Adventista firme e gradualmente, de maneira intencional e bem estruturada. Missões e associações logo surgiram nos três estados sulinos brasileiros. Em 1989, somente no estado do Paraná, já havia duas associações: a Associação Sul Paranaense (ASP) e a Associação Norte Paranaense (ANP). O estabelecimento dessas novas associações desencadeou um crescimento exponencial tanto na região norte como sul do estado. Tal crescimento resultou no aumento do número de membros e distritos pastorais na região.28

Quase uma década depois, em 2000, o número de associações era de aproximadamente 52.819 pessoas. O número de igrejas organizadas em ambos os territórios ultrapassava a marca de 250 congregações – sem incluir os grupos organizados. O crescimento era tão grande no Paraná que foi necessário criar uma nova associação para melhor atender a membresia da região.29

História Organizacional da Associação

Em 2008, foram tomados três votos históricos, respectivamente: pela Associação Norte Paranaense, o voto nº 2008-142; pela Associação Sul Paranaense, o voto nº 2008-144-3; e pela União Sul Brasileira, o voto nº 2008-099. Por meio dessas deliberações, foi feita uma solicitação à Divisão Sul-Americana (DSA) para reorganizar o território do Paraná, a fim de formar uma nova associação e, assim, servir melhor as igrejas e incentivar o cumprimento da missão. Em resposta, a Divisão Sul-Americana nomeou um comitê de estudo, de acordo com o voto da DSA nº 2009-008, a fim de avaliar o projeto de criação de uma nova associação no território da USB.30

A reunião da mesa aconteceu em 12 de fevereiro de 2009, às 9h da manhã, nas dependências da USB, localizada na Rua João Carlos de Souza Castro, nº 562, bairro de Guabirotuba, em Curitiba, Paraná. Os administradores da DSA incluíam: os pastores Erton Köhler e Marino J. de Oliveira da USB; pastores Ignácio L. Kalbermatter, Valdilho Quadrado e Davi Contri da ANP; pastores Ronaldo Bertazzo, Elieser C. Vargas e o Sr. João A. Rodrigues da ASP; pastores Antonio A. G. Moreira, Stanley E. Arco e o Sr. Uilson Garcia, pastores distritais; Josias F. da Fonseca e Gilson Grüdtner; e os membros leigos Sr. Ademar Reis e Sr. Neudo Ribeiro Bueno.31

A fim de avaliar a iniciativa da construção do novo campo, algumas considerações foram discutidas: o crescimento da Associação Sul Paranaense - com 39.413 membros espalhados por 365 congregações e 68 distritos pastorais; o crescimento concomitante da Associação Norte Paranaense; a extensão do território; e as dificuldades em atender às necessidades das congregações, visto que ainda havia 39 cidades sem presença adventista. Nesse contexto, percebeu-se a necessidade de impulsionar o processo de pregação do evangelho na região, bem como otimizar o crescimento e o equilíbrio financeiro da Associação Sul Paranaense. 32

Na mesma reunião, realizada em 12 de fevereiro de 2009, após análise do levantamento e estudos realizados, um acordo foi feito quanto à viabilidade de criação do novo campo missionário, sendo estabelecido que a nova sede administrativa passaria a ser denominada Associação Sul Paranaense, e a sede anterior, Associação Central Paranaense. Assim, foi recomendada a criação da ACP e, em sequência, autorizada em assembleia, a qual seria responsável pelo atendimento de cerca de 21.551 membros, organizados entre 108 igrejas localizadas na região central do Paraná. O escritório da ACP foi então estabelecido na Rua Deputado João Ferreira Neves, nº 159, no bairro Vista Alegre, em Curitiba, capital do estado do Paraná - onde permanece até hoje. 33

A ACP iniciou suas atividades em 1º de janeiro de 2010. 34 Desde então, o progresso missionário alcançado nesse campo foi notável. Isso inclui a abertura de cinco novos distritos nos últimos anos, o treinamento anual e a capacitação de cerca de 7.000 membros da igreja, e a reabertura de 22 escritórios distritais com investimentos no valor de 3.990.210,68 dólares (713.812,28 reais, em 2020).35

Entre 2011 e 2015, foram abertas 68 igrejas na região abrangida pela ACP. Em 2015, foram investidos 1.054.479,68 dólares (188.636,79 reais, em 2020) na construção e projetos arquitetônicos para modernizar 18 novas igrejas no território. Segundo Laudecir Miotto Mazzo, o então tesoureiro da associação, “o sonho é ter nossas igrejas mais bonitas e funcionais do que nossas próprias casas, pois a casa de Deus deve dignificar Seu nome”. Algumas das igrejas inauguradas na época foram: Igreja Adventista do Sétimo Dia Monte Castelo, na cidade de Colombo; Igreja Adventista de Inácio Martins, em Inácio Martins; Igreja Adventista do bairro de São João, em Irati; e Igreja Adventista do Sétimo Dia de Araucária, em Araucária. 36

Desde o início dos trabalhos da ACP, seus membros têm se envolvido em projetos liderados pela Divisão Sul-Americana. Exemplos disso são o Quebrando o Silêncio, 37 a Missão Calebe 38 e Impacto Esperança. 39 Em 2015, assim como em outras localidades, foi lançado o Projeto Quebrando o Silêncio, em Cianorte, cidade conhecida nacionalmente como a capital do vestuário - por conta das centenas de confecções ali existentes. Durante o projeto, foi realizada a Expo Saúde (feira de saúde preventiva com atendimento gratuito), e mais de 1.500 boletins informativos foram entregues sobre prevenção de abusos e violência doméstica. 40

No início de 2018, mais de 2.700 adolescentes e jovens adventistas da região central paranaense participaram do projeto da Missão Calebe. Em todo o sul do país, cerca de 20.000 jovens puderam participar dessa mobilização missionária e, em todo o país, cerca de 64.200 participantes estiveram envolvidos no projeto. Os adolescentes e jovens participantes puderam realizar diversas ações sociais no território central do Paraná, incluindo a implantação de uma horta orgânica nas residências do município de Itaperuçu, no interior do estado; a realização de uma feira de degustação de comida vegetariana saudável em Curitiba; visitas às famílias da região; e a realização de esforços de prevenção e combate à dengue 41na cidade industrial da região de Curitiba, entre outros. 42

Em 2019, o projeto Impacto Esperança aconteceu em 25 de maio, sábado, e os adventistas em toda a América do Sul puderam participar ativamente do processo de evangelização por meio da distribuição de livros missionários. Da mesma forma, no sul do Brasil, apenas nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, cerca de 3 milhões de livros foram entregues aos moradores. A publicação distribuída foi o livro "Esperança para a Família: caminho para um final feliz", dos autores Willie e Elaine Oliver. 43

Por meio do envolvimento e empenho de dirigentes e membros, o crescimento da obra tem avançado no território missionário da ACP. Isso porque os líderes entenderam a necessidade de se aproximar de seus liderados e de conhecer suas dificuldades e necessidades, a fim de acompanhá-los e apoiá-los mais de perto. Além disso, o crescimento da ACP também se deve ao fato de que pessoas comprometidas dedicaram seu tempo e talento para pregar o evangelho intensamente. Também é importante notar que a educação adventista recebeu investimentos significativos para o crescimento. O objetivo principal é expandir ainda mais a rede escolar para que mais pessoas possam ter contato com a mensagem de salvação. 44

Nos 10 anos de existência da ACP, houve muitos desafios. No entanto, as bênçãos recebidas foram maiores. Exemplos de tais bênçãos incluem o estabelecimento de igrejas em cidades da Missão Global, onde os clubes de Desbravadores estão operando ativamente, e a abertura de um centro de influência que fez a diferença na comunidade onde foi estabelecido, resultando no batismo de seis pessoas. Contudo, enquanto as bênçãos estão sendo colhidas, muitos desafios ainda precisam ser superados. 45

O objetivo da equipe de liderança da ACP é plantar igrejas adventistas em cidades que ainda não têm presença adventista. Quanto à educação adventista, o objetivo é expandir as unidades e, assim, receber mais alunos – de maneira que seja possível educar crianças e jovens para a salvação, a fim de que tenham o desejo de andar com Cristo. No contexto atual, o cenário econômico e social é bastante desafiador. Portanto, todos os esforços serão direcionados para alcançar os objetivos missionários.46

Nesse sentido, pretende-se também fortalecer e inspirar os membros a se comprometerem ainda mais com a Escola Sabatina, para que seja uma extensão de Cristo com propósito de atender às necessidades da comunidade ao redor. Uma Unidade de Ação da Escola Sabatina ativa gera membros ativos, e esse movimento atrai a atenção da comunidade. Assim, as pessoas do bairro começam a se interessar em fazer parte desse grupo que faz a diferença na sociedade.47

Esse movimento já tem acontecido no território da associação e, por meio das iniciativas do Projeto Maná,48 busca-se ampliar ainda mais o envolvimento dos fiéis para que esse compromisso cresça e frutifique na vida dos participantes. Outro objetivo é aumentar o número de igrejas a fim de cumprir a missão de pregar o evangelho a todos os povos e nações. Para tanto, o plano é incentivar a fidelidade dos membros na devolução dos dízimos e ofertas, a fim de que cada um deles entenda que seu papel é abençoar outras pessoas, permitindo que o evangelho avance para a salvação de outros. 49

Com o mesmo propósito, o projeto “Cada Um Salvando Um" foi desenvolvido com congregações da ACP, o qual visa enfatizar o valor e o papel das pessoas em ganhar outros para Cristo. A ênfase tem sido no discipulado entre os membros - especialmente os novos conversos, para que possam ser comprometidos e prósperos na realização da missão evangélica. Assim, mais membros serão envolvidos no lema Comunhão, Relacionamento e Missão.50

Cronologia dos Executivos Administrativos 51

Presidentes: Antônio Alberto G. Moreira (2010-2011); Lourival Gomes de Souza (2011-).

Secretários: Marcelo Ferreira Cardoso (2010-2011); Paulo Cesar Machado da Rosa (2012-).

Tesoureiros: Laudecir Miotto Mazzo (2010-2017); Ilton Cesar Hübner (2018-). 52

Referências

Almeida, Wendy. “Passeata contra pornografia e feira de saúde alcançam milhares de pessoas em Cianorte-PR,” Notícias Adventistas (Online), 26 de agosto, 2015.

Minutas da Mesa Executiva da Associação Sul Paranaense da IASD, junho de 2009, voto nº 2009-107.

Belz, Cláudio. “TELEPAZ Torna Mais Feliz a Cidade de Curitiba,” Revista Adventista (outubro, 1971): 22.

Bonfim, Luciene. “Em Curitiba livro missionário é entregue pelo serviço do CéuDeux Carteiros da Esperança,” Notícias Adventistas (Online), 28 de maio, 2019.

Bonfim, Luciene. “Igreja cresce e 18 novos templos são inaugurados na região central do Paraná,” Notícias Adventistas (Online), 10 de dezembro, 2015.

Bonfim, Luciene. “Trabalho social dos Calebes estimula frutos nas comunidades do Paraná,” Notícias Adventistas (Online), 14 de fevereiro, 2018.

Cancélia, João Maria de Souza. “A Igreja Adventista do Sétimo Dia Central de Curitiba Paraná” Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1985.

Doehnert, R. e Esther Adler Doehnert, A mensagem do advento em Curitiba. Curitiba, PR: Instituto Adventista de Bom Retiro, 2002.

Gross, Renato, Colégio Internacional de Curitiba: Uma história de fé e pioneirismo. Rio de Janeiro, RJ: Collins, 1996.

Neilsen, N. P. “Associação Catarinense.” Revista Mensal 22, no. 5 (maio, 1927): 10.

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário Adventista do Sétimo Dia]. Vários anos. https://www.adventistyearbook.org/.

Site da Associação Paulista. https://ap.adventistas.org/. 

Valle, Arthur de Souza. “Manchetes do Paraná,” Revista Adventista, ano 61 (fevereiro, 1966): 22.

Valle, Arthur de Souza. “O Maior Templo Adventista do Brasil,” Revista Adventista, ano 60 (março, 1965): 21-22.

Westphal, A. L. “A Obra em Curityba,” Revista Mensal 19, no. 12 (dezembro, 1924): 11.

Notas de Fim

  1. Seventh-day Adventist Online Yearbook, “Santa Catarina Conference [Associação Catarinense],” acessado em 15 de julho, 2019, http://bit.ly/2Ochb3Z.
  2. Paulo Machado, mensagem por e-mail para Renato Gross, 12 de abril, 2016.
  3. Paulo Machado, mensagem por e-mail para Renato Gross, 12 de novembro, 2017.
  4. Ibid.
  5. Ibid.
  6. Renato Gross, Colégio Internacional de Curitiba: Uma história de fé e pioneirismo (Rio de Janeiro, RJ: Collins, 1996), 20-22.
  7. João Maria de Souza Cancélla, “A Igreja Adventista do Sétimo Dia Central de Curitiba Paraná” (Monografia, Instituto Adventista de Ensino, 1985), 4.
  8. Renato Gross, Colégio Internacional de Curitiba: Uma história de fé e pioneirismo (Rio de Janeiro, RJ: Collins, 1996), 22.
  9. R. Doehnert e Esther Adler Doehnert, A mensagem do advento em Curitiba (Curitiba, PR: Instituto Adventista Bom Retiro, 2002), 11.
  10. Renato Gross, Colégio Internacional de Curitiba: Uma história de fé e pioneirismo (Rio de Janeiro, RJ: Collins, 1996), 23, 28.
  11. Edgar Link, mensagem por e-mail para Renato Gross, 12 de junho, 2016.
  12. Paulo Machado, mensagem por e-mail para Renato Gross, 22 de novembro, 2017.
  13. “Brazilian Conference [Associação Brasileira],” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1906), 84.
  14. Site da Associação Paulista, “História da Associação Paulistana,” acessado em 23 de maio, 2019, https://bit.ly/30SffQq.
  15. “Parana Conference [Associação Paranaense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1911), 126.
  16. R. Doehnert e Esther Adler Doehnert, A mensagem do advento em Curitiba (Curitiba, PR: Instituto Adventista de Bom Retiro, 2002), 13.
  17. Ibid., 16.
  18. A. L. Westphal, “A Obra em Curitiba,” Revista Mensal 19, no. 12 (dezembro, 1924): 11.
  19. N. P. Neilsen, “Santa Catharina Conference [Associação Catarinense],” Revista Mensal 22, no. 5 (maio, 1927): 10.
  20. R. Doehnert e Esther Adler Doehnert, A mensagem do advento em Curitiba (Curitiba, PR: Instituto Adventista de Bom Retiro, 2002), 16-19.
  21. Ibid., 19-20.
  22. Ibid., 21-22.
  23. Os Desbravadores são compostos de “meninos e meninas com idades entre 10 e 15 anos, de diferentes classes sociais, cor, religião. Reúnem-se, em geral, uma vez por semana para aprender a desenvolver talentos, habilidades, percepções e o gosto pela natureza.” Esses meninos e meninas “vibram com atividades ao ar livre. Gostam de acampamentos, caminhadas, escaladas, explorações nas matas e cavernas. Sabem cozinhar ao ar livre, fazendo fogo sem fósforo.” Além disso, eles demonstram “habilidade com a disciplina através de ordem unida e têm a criatividade despertada pelas artes manuais. Combatem, também, o uso do fumo, álcool e drogas.” Acessado em 9 de outubro, 2019, http://bit.ly/2FDRqTh.
  24. R. Doehnert and Esther Adler Doehnert, A mensagem do advento em Curitiba (Curitiba, PR: Instituto Adventista de Bom Retiro, 2002), 24-27.
  25. Cláudio Belz, “TELEPAZ Torna Mais Feliz a Cidade de Curitiba,” Revista Adventista (outubro, 1971): 22.
  26. Arthur de Souza Valle, “O Maior Templo Adventista do Brasil,” Revista Adventista, ano 60 (março, 1965): 21-22; Arthur de Souza Valle, “Manchetes do Paraná,” Revista Adventista, ano 61 (fevereiro, 1966): 22.
  27. R. Doehnert e Esther Adler Doehnert, A mensagem do advento em Curitiba (Curitiba, PR: Instituto Adventista de Bom Retiro, 2002), 45.
  28. “North Parana Conference [Associação Norte Paranaense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 1990), 279; “South Parana Conference [Associação Sul Paranaense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 1990), 281.
  29. “North Parana Conference [Associação Norte Paranaense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 2001), 277; “South Parana Conference [Associação Sul Paranaense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 1990), 279.
  30. Relatório do Levantamento da Mesa Administrativa para a reorganização dos territórios da Associação Norte Paranaense e Associação Sul Paranaense, 12 de fevereiro, 2009.
  31. Ibid.
  32. Ibid.
  33. “Central Parana Conference [Associação Central Paranaense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 2011), 302-303; “Central Parana Conference [Associação Central Paranaense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Nampa, ID.: Pacific Press Publishing Association, 2018), 252.
  34. Minutas da Mesa Executiva da Associação Sul Paranaense da Igreja Adventista do Sétimo Dia, junho de 2009, voto nº 2009-107.
  35. Paulo Machado, mensagem por e-mail para Renato Gross, 12 de novembro, 2017.
  36. Luciene Bonfim, “Igreja cresce e 18 novos templos são inaugurados na região central do Paraná,” Revista Adventista, 10 de dezembro, 2015, acessado em 16 de julho, 2019, http://bit.ly/32xGWyO.
  37. “Quebrando o Silêncio é um projeto educativo e de prevenção contra o abuso e a violência doméstica promovido anualmente pela Igreja Adventista do Sétimo Dia em oito países da América do Sul, (Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai) desde o ano de 2002.” Acessado em 9 de outubro, 2019, https://bit.ly/2HFxj8K.
  38. “O Projeto Missão Calebe é um programa voluntário, serviço social e testemunho que desafia os jovens adventistas a dedicarem suas férias ao evangelismo em lugares onde não há presença adventista, para fortalecer as congregações pequenas e conquistar novas pessoas para o reino de Deus.” Acessado em 9 de outubro, 2019, http://bit.ly/2HRpvRi.
  39. “O Impacto Esperança é um programa que incentiva a leitura e provê a distribuição anual de livros em massa por parte dos Adventistas do Sétimo Dia em todo o território Sul-Americano.” Acessado em 9 de outubro, 2019, https://bit.ly/2WZNdzY.
  40. “Passeata contra pornografia e feira de saúde alcançam milhares de pessoas em Cianorte-PR,” Notícias Adventistas, 26 de agosto, 2015, acessado em 16 de julho, 2019, http://bit.ly/2SjzPoC.
  41. Doença transmitida por meio do mosquito Aedes Aegypti (inseto que precisa de água parada para se proliferar) que pode infligir dores musculares intensas, maleita, perda de apetite, manchas vermelhas na pele, febre alta, dores de cabeça e dores ao mover os olhos. Acessado em 17 de junho, 2019, http://bit.ly/2KloqUl.
  42. Luciene Bonfim, “Trabalho social dos Calebes estimula frutos nas comunidades do Paraná,” Notícias Adventistas, 14 de fevereiro, 2018, acessado em 16 de julho, 2019, http://bit.ly/2XHG8se.
  43. Luciene Bonfim, “Em Curitiba livro missionário é entregue pelo serviço do CéuDeux Carteiros da Esperança,” Notícias Adventistas, 28 de maio, 2019, acessado em 16 de julho, 2019, http://bit.ly/2JE4Ml3.
  44. Paulo Machado, mensagem por e-mail para Renato Gross, 12 de novembro, 2017.
  45. Idem.
  46. Idem.
  47. Idem.
  48. “O projeto maná é um esforço unido da Igreja para alcançar o maior número de pessoas de todas as idades com a Lição da Escola Sabatina e motivá-las no estudo diário da Palavra de Deus” Acessado em 9 de outubro, 2019, http://bit.ly/2XXpYGu.
  49. Paulo Machado, mensagem por e-mail para Renato Gross, 12 de novembro, 2017.
  50. Ibid.
  51. “Central Parana Conference [Associação Central Paranaense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 2011), 302-303; “Central Parana Conference [Associação Central Paranaense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Nampa, ID: Pacific Press Publishing Association, 2018), 252. Ver também os Anuários da IASD (Seventh-day Adventist Yearbooks) de 2011 a 2018.
  52. Mais informações sobre a Associação Central Paranaense estão disponíveis no site: asp.org.br, ou nas mídias sociais – Facebook: @centralparanaense, Twitter: @iasdacp e Youtube: Associação Central Paranaense.

 

×

Gross, Renato, Samuel Wesley Pereira de Oliveira. "Central Parana Conference." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. May 31, 2021. Accessed March 01, 2024. https://encyclopedia.adventist.org/article?id=IGDU.

Gross, Renato, Samuel Wesley Pereira de Oliveira. "Central Parana Conference." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. May 31, 2021. Date of access March 01, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=IGDU.

Gross, Renato, Samuel Wesley Pereira de Oliveira (2021, May 31). Central Parana Conference. Encyclopedia of Seventh-day Adventists. Retrieved March 01, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=IGDU.