View All Photos

Central Planalto Conference headquarters, 2019.

Photo courtesy of Central Planalto Conference Archives.

Associação Planalto Central

By Julia Castilho, Tatty Barreto, and Otoniel Ferreira

×

Julia Castilho

Tatty Barreto

Otoniel Ferreira

First Published: June 4, 2021

A Associação Planalto Central (APlaC) é uma unidade administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia, localizada no território da União Centro-Oeste Brasileira (UCOB). Sua sede fica entre os blocos 7/8 (Quadra EQRSW 7/8), Lote 02 do Setor Sudoeste de Brasília, CEP 70.675-760, Distrito Federal, Brasil.1

Essa unidade administrativa é responsável por liderar o avanço da missão adventista no Distrito Federal e em alguns municípios do estado de Goiás, incluindo cidades localizadas nas microrregiões da Chapada dos Veadeiros, Vão do Paranã e parte dos arredores de Brasília. No total, o território da APlaC engloba uma área de 82.919.900 km², que abriga uma população de cerca de 3.735.507 habitantes, dos quais 31.219 são adventistas. Esses membros estão disseminados entre 275 congregações (161 igrejas organizadas e 114 grupos) e 50 distritos. Existe atualmente uma média de um adventista por 119 habitantes.2

Aproximadamente 6.300 crianças e adolescentes da região são atendidos pela educação adventista através das oito unidades escolares no território da APlaC. Esses estudantes estão distribuídos nas seguintes instituições de ensino: Centro Educacional Adventista do Gama, localizado na região administrativa do Gama, fundado em 1978, atualmente com 1.542 estudantes; Colégio Adventista Dr. Milton Afonso, em Brasília, fundado em 1970, com 1.191 estudantes; Colégio Adventista de Planaltina, na região administrativa de Planaltina, fundado em 1982, com 1.247 estudantes; Colégio Adventista de Taguatinga, na região administrativa de Taguatinga, fundado em 1964, com 1.060 estudantes; e a Escola Adventista do Guará, na região administrativa do Guará, fundado em 1984, com 335 estudantes - todas essas escolas localizadas no Distrito Federal. Além disso, há também a Escola Adventista de Formosa, na cidade de Formosa, fundada em 1967, atualmente com 664 estudantes; Escola Adventista de Posse, na cidade de Posse, fundada em 1988, com 136 estudantes; e, por fim, a Escola Adventista de Valparaíso, em Valparaíso de Goiás, fundada em 2019, com 117 estudantes; essas três últimas unidades estão localizadas no estado de Goiás.3

Na área de assistência social, duas instituições atendem a comunidade carente do Distrito Federal e entorno. Na região administrativa de Samambaia Sul, no Distrito Federal, funciona o Centro Adventista de Desenvolvimento Comunitário (CADEC), que visa atender a comunidade e ser um fator de integração social, promovendo o desenvolvimento socioeconômico por meio de diversas oficinas, como de costura, ginástica, aulas e outros.4 Na cidade de Planaltina de Goiás, no estado de Goiás, encontra-se o Núcleo Adventista de Desenvolvimento e Amparo a Crianças (NADAC), fundado em 2003, que oferece vários projetos para crianças, incluindo reforço nutricional, aulas de reforço, ensino de música, educação artística, esportes, empreendedorismo, entre outros. Atualmente, cerca de 140 crianças e adolescentes de sete a 16 anos de idade são beneficiados por essa instituição.5

Quanto ao evangelismo por meio das mídias sociais, há uma forte cobertura da Rede Novo Tempo de Comunicação, que desde 2011 tem sido transmitida em Brasília através de um canal analógico. A partir de 2016, o canal tornou-se digital, facilitando a transmissão aos residentes da cidade. Atualmente, o sinal chega a todo o Distrito Federal e arredores, espalhando a mensagem do evangelho por toda vasta região do território da APlaC.6

Desde 2019, a Associação Planalto Central tem 893 funcionários e 73 pastores ativos para servir a região. Desse total de pastores, 61 são ordenados e 12 são licenciados; 57 são pastores distritais, seis são pastores em escolas adventistas e 10 são administradores, líderes de departamento e secretários de campo.7

Origem da Obra Adventista no Território da Associação

A história da atuação adventista no território da APlaC começou com a transferência da capital federal - que até então era no Rio de Janeiro - para Brasília. Em 31 de janeiro de 1956, Juscelino Kubitscheck assumiu a presidência da república e, nesse mesmo ano, em cumprimento à sua promessa de campanha, iniciaram-se as obras da nova capital do Brasil, que foi chamada de Brasília. A construção de Brasília durou apenas três anos e 10 meses. Entre 1956 e 1960, pessoas de várias partes do país deslocaram-se para o Centro-Oeste a fim de ajudar na construção da nova capital nacional. Por fim, em 21 de abril de 1960, já abrigando cerca de 142 mil habitantes, Brasília foi inaugurada e o Rio de Janeiro deixou de ser a sede administrativa do governo brasileiro.8

Nesse contexto, em 1956, um colportor 9 que morava no sul do país, em uma cidade chamada Paranavaí, no estado do Paraná, sentiu forte desejo de pregar o evangelho a seus parentes que viviam em uma fazenda em Abadia, Goiás. Rosalvo Arcanjo Novais, o colportor, resolveu fazer as malas e, após um acordo com a Missão Goiano-Mineira, se mudou para a cidade de Formosa, no estado de Goiás, onde poderia estar mais próximo aos seus familiares.10

No entanto, como a cidade era pequena, em poucos dias Rosalvo foi capaz de completar o seu trabalho. Naquela época, a construção de Brasília estava no início e, uma vez que Rosalvo ainda não tinha um campo definido para ir após o término de seu trabalho em Formosa, decidiu trabalhar em Núcleo Bandeirante, que faz parte da região administrativa do Distrito Federal.11

Durante três semanas, aquele colportor pensou ser o único adventista em Brasília, mas foi surpreendido em uma manhã de sábado, quando estava perto de um riacho estudando a Bíblia. Enquanto lia as Sagradas Escrituras, três homens bem vestidos se aproximaram e o parabenizaram por estudar a Bíblia. Esses homens eram Walter León, Albino Dias e Abner, três adventistas que já moravam na futura capital do país. Depois desse encontro, foi formado o primeiro grupo relatado de Adventistas do Sétimo Dia no território do Distrito Federal.12

Certa vez, ao colportar em um hospital, Rosalvo se aproximou de um idoso febril e acamado chamado Quirino. Falando sobre seu trabalho naquela região, Rosalvo foi questionado com a seguinte pergunta: "Você é colportor?" Havia outro adventista que também morava em Brasília.13 Mais tarde, em 1957, um grupo de 14 fiéis foi formado e começou a se reunir em Núcleo Bandeirante, em um barracão improvisado. Em 5 de abril de 1958, foi realizado o primeiro batismo em Brasília, oficiado pelo Pastor Paulo Seidl.14

Esses pioneiros adventistas residiam em áreas sob disputa judicial na região de Núcleo Bandeirante e, repentinamente, foram transferidos para Taguatinga - outra região administrativa do Distrito Federal. Foram dias difíceis para os irmãos - famílias inteiras passaram noites em campo aberto. Era necessário reconstruir casas para as famílias. Nesse contexto, Tonico, Abner e Ponciano assumiram a liderança, uma vez que possuíam mais experiência em carpintaria. Assim, ajudaram a reconstruir vários casebres onde as famílias pudessem morar.15

Nessa época, os cultos eram realizados nas casas (recém-construídas) dos fiéis, sem local fixo para os membros da igreja se reunirem. No entanto, mesmo diante dessa situação, a obra adventista continuou a avançar naquela região, a ponto de o primeiro batismo na área de Taguatinga acontecer pouco depois - em 14 de fevereiro de 1959. Na bela cerimônia batismal, oficiada pelo Pastor Paulo Seidl, Francisco Merencio e Maria Brito, sua esposa, confessaram publicamente sua fé.  No mesmo ano, o primeiro acampamento da Igreja Adventista foi realizado na região administrativa do Gama.16

Os seguintes nomes estão entre os principais pioneiros da mensagem adventista em Brasília: Joaquim Novais, Rafael Novais, Maria Conceição Novais, Benice Novais, José Carlos Amorim, Tonico, Otacílio, Antenor Macena, Lázaro Leite, Valdemar Melo, Manoel Rocha, Felinto, Florípes Dias Brito, Alaor de Araújo, Lázaro de Araújo, Euclides Silva, Célia Borges, Miltinho e José Nicodemos. Estes e muitos outros pioneiros vieram a Brasília oriundos de várias regiões do país, e começaram a evangelizar o vasto campo.17

Em 1960, chegou a Brasília a primeira família pastoral - o Pastor José Dias Campos e sua esposa Nildes, natural de Ituiutaba, no estado de Minas Gerais. Eles enfrentaram vários desafios na capital brasileira, recém-criada. Um deles foi a grande dificuldade em se conseguir água potável para atender às necessidades da família.18

Com relação aos desafios ministeriais, foi difícil encontrar um terreno para construir a primeira Igreja Adventista do Sétimo Dia no Distrito Federal. A primeira opção foi uma pequena área, situada entre dois lotes. O Pastor Campos, não muito convencido de que aquela área era uma boa opção, orou a Deus por um terreno maior em frente a uma grande avenida. Pensando que haviam encontrado um terreno que se encaixava no perfil desejado, outra organização se adiantou e adquiriu o terreno, obrigando a igreja a procurar outro lugar.19

Em resposta à oração, foi encontrado um lugar duas vezes maior que o anterior, voltado para uma avenida movimentada. Logo, foi construído um barracão, que por algum tempo funcionou como uma casa de culto. Em 25 de março de 1962, foi lançada a pedra fundamental da Igreja Central de Taguatinga, a primeira Igreja Adventista em Brasília e arredores, com uma bela cerimônia.20

Enquanto a irmã Nildes Campos arrecadava materiais para a construção, o Pastor José Dias liderava o ritmo da obra. Os irmãos aguardavam ansiosamente pela inauguração, sendo esta a primeira igreja adventista da região. Quando chegou o momento, a cerimônia inaugural foi agendada para 12 de outubro de 1963, e autoridades municipais e locais foram convidadas a comparecer. Naquele dia, às 9 horas, o administrador regional de Taguatinga cortou a fita, e o Pastor Roberto Azevedo, girando a chave, abriu as portas da igreja. Nessa celebração, 75 pessoas foram batizadas.21

A organização administrativa da igreja aconteceu em 14 de novembro de 1964, quando os anciãos, o diretor da Escola Sabatina e o primeiro diretor de jovens foram eleitos. No mesmo ano, a escola adventista começou a funcionar sob a direção da professora Carmen Paiva e, um ano mais tarde, a professora Célia Paiva tomou posse. Desde então, o trabalho da Igreja Adventista do Sétimo Dia foi expandido no Distrito Federal, dando origem a outras congregações, tais como Brasília Central, Taguatinga Norte, Taguatinga Sul, Asa Norte, Ceilândia Sul e Areal, entre outras. A mensagem tem sido pregada, e o número dos que aceitam o evangelho disseminado pela igreja remanescente cresce a cada dia.22

Quase 10 anos depois, em setembro de 1973, havia 12 congregações estabelecidas em Brasília (incluindo igrejas e grupos), e pelo menos três distritos pastorais - o que mostra o grande progresso da obra adventista nesse território. Além disso, o número de habitantes da região crescia cada vez mais, chegando a 800.000 habitantes. Consequentemente, no ano seguinte, a liderança da igreja decidiu iniciar a construção da nova sede da Divisão Sul-Americana (DSA) da Igreja Adventista do Sétimo Dia em Brasília.23 A pedra fundamental da nova sede da DSA foi lançada em 15 de janeiro de 1974.24 A cerimônia de inauguração ocorreu em 22 de junho de 1976, marcando o 60º aniversário da organização da DSA (embora o prédio já tivesse sido usado antes dessa data).25

A obra adventista continuou a crescer na região e várias novas igrejas foram organizadas. Uma delas teve início a partir de um hospital - o Hospital Adventista de Brasília, e foi organizada com vários membros, incluindo os irmãos ligados à construção do hospital e os vários residentes da região do Lago de Brasília. Em 4 de setembro de 1982, o Pastor Anísio Chagas, da Igreja Adventista Central de Brasília, batizou 10 pessoas como resultado das bênçãos divinas e da obra da igreja no hospital.26

Em meados da década de 1990, a sede administrativa do campo estava localizada em Goiânia. Contudo, com a crescente expansão da igreja em Brasília e arredores, surgiu a necessidade de apoio local. Nesse contexto, foi criada a Associação Planalto Central, com o objetivo de prestar assistência mais próxima a essa região estratégica, onde se encontram também as sedes da Divisão Sul-Americana e da União Centro-Oeste Brasileira.

História Organizacional da Associação

Em dezembro de 1994, foi criada a APlaC, fruto de decisões da antiga Associação Brasil Central (ABC) que, em sua III Assembleia Trienal, realizada de 14 a 17 do mesmo mês, reorganizou o território missionário. A partir de então, a Associação Planalto Central ficou responsável pela obra no Distrito Federal e no estado do Tocantins, além dos municípios da microrregião da Chapada dos Veadeiros: Alto Paraíso de Goiás, Campos Belos, Cavalcante, Serra Sul, Monte Alegre de Goiás, Nova Roma, São João D'Aliança e Teresina de Goiás.27

A APlaC também ficou responsável pelas microrregiões do Vale do Paranã: Alvorada do Norte, Damanópolis, Flores de Goiás, Divinópolis de Goiás, Guarani de Goiás, Iaciara, Mambaí, Posse, São Domingos, Simolândia e Sítio D'Abadia. Além disso, as seguintes regiões do Mato Grosso também ficaram sob sua assistência: municípios de São Félix do Araguaia, Luciara e Santa Terezinha. Por fim, seu território incluía também as regiões do entorno de Brasília: Água Fria de Goiás, Cabeceiras, Formosa, Luziânia, Cidade Ocidental, Mimoso de Goiás, Padre Bernardo, Planaltina e Santo Antônio do Descoberto.28

Em todo esse vasto território, a Associação Planalto Central foi responsável por assistir aproximadamente 16.033 membros e 45 igrejas organizadas. A região tinha uma população total de 2.663.829 habitantes e, na época da fundação da APlaC, havia cerca de um adventista para cada 166 habitantes no território.29 O primeiro presidente da Associação Planalto Central foi o Pastor Manoel Xavier de Lima, que permaneceu no cargo durante o período de 18 de dezembro de 1994 a 3 de maio de 1999. O primeiro a ocupar os cargos de secretário e tesoureiro foi o Pastor Josias de S Fragoso, que permaneceu em ambas as funções entre 1994 e 1997.30

Uma vez estabelecida, o escritório da APlaC foi instalado em uma casa adaptada, fornecida pela Igreja Adventista do Sétimo Dia de Brasília Central, localizada próxima à sede da Divisão Sul-Americana (DSA), na Avenida L3, SGAS 611, Conjunto D, Parte C, Asa Sul, Brasília, Distrito Federal. A inauguração da sede provisória da associação ocorreu em 2 de maio de 1995, contando com a presença de obreiros do campo, dirigentes da União Central Brasileira (UCB), líderes e membros da mesa administrativa da Divisão Sul-Americana, além de membros de igrejas de várias localidades da região.31

Posteriormente, em 8 de maio de 1997, foi lançada a pedra fundamental para a construção da sede oficial da Associação Planalto Central, em Brasília. A cerimônia contou com a presença do Dr. Alípio Rosa da Divisão Sul-Americana, Pastor Tércio Sarli da União Central Brasileira, e do Pastor Valdir Soares, presidente regional da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), além de administradores, obreiros e adventistas do campo.32

A construção tinha cerca de 3.000 m². Atualmente é composta por três pisos com subsolo (garagem), com edifícios suficientes para alojar os escritórios da igreja. O custo de construção foi estimado em aproximadamente R$800.000,00. A conclusão estava prevista para o final de 1999, dependendo dos recursos financeiros. O engenheiro, coronel Oswaldo Castanho, e o administrador, Pastor Josias de Souza Fragoso, foram os responsáveis pelas obras da sede da associação. Alguns anos depois, em 2001, os funcionários da APlaC realizaram o "Culto de Ação de Graças", em agradecimento pelas novas instalações de seu escritório administrativo no prédio em construção.33

Em 2008, começou a funcionar outra unidade administrativa da igreja, que assumiu a liderança das igrejas da região mais setentrional, que até então faziam parte do território da Associação Planalto Central. Essa nova unidade administrativa foi nomeada de Missão Tocantins (MTo). Com a criação dessa nova missão, a geografia da APlaC foi alterada e a Associação Planalto Central se empenhou ainda mais desde então, com maior atenção à região de Brasília e regiões vizinhas.34

Antes dessa divisão ter sido feita no campo administrativo da APlaC, havia cerca de 30.864 membros vinculados à associação, distribuídos entre 137 igrejas organizadas.35 No entanto, após a criação da Missão Tocantins, a Associação Planalto Central começou a liderar cerca de 20.835 membros e 101 igrejas organizadas, sendo responsável por direcionar o avanço da obra adventista no Distrito Federal.36

Essa reorganização impulsionou o crescimento, conforme evidenciado pelos dados sobre o número de membros e igrejas no território publicados no ano seguinte. Segundo esses dados, cerca de um ano após a divisão do território, havia cerca de 22.081 membros batizados vinculados à APlaC, e pelo menos 108 igrejas organizadas. Isso mostra o bom progresso feito durante esse período de um ano - mais de 1.000 novos membros foram agregados à igreja nessa região e pelo menos sete novas igrejas foram organizadas.37

Tal progresso destaca o foco missionário mantido por essa instituição. A APlaC tem como objetivo cumprir a missão dada por Jesus aos Seus discípulos - o que fica evidente por meio dos inúmeros projetos que são realizados pela instituição em parceria com as igrejas da região. Como um incentivo para “comunhão com Deus”, por exemplo, em 2014 teve início o projeto do Seminário de Enriquecimento Espiritual,  cobrindo uma gama de outros projetos relacionados que auxiliam o desenvolvimento espiritual de cada membro da igreja (sejam eles adultos, jovens ou crianças).38

A APlaC também desenvolveu o Projeto Mel, que incentiva mulheres a serem missionárias,39 além de feiras de saúde. Durante a realização desse projeto, a importância dos oito remédios naturais ensinados por Ellen G. White é enfatizada, e estudos bíblicos são oferecidos aos participantes.40

Outra ação missionária promovida pela Associação Planalto Central é a doação de sangue. O projeto reúne centenas de pessoas aos fins de semana para doações de sangue em hospitais, e já ajudou um grande número de pessoas necessitadas. Além disso, a APlaC também desenvolveu o Evangelismo da Colheita. Todos os anos, esse modelo de evangelismo leva pessoas a entregar sua vida a Cristo. Somente em 2018, 519 batismos foram registrados como resultado das bênçãos de Deus derramadas durante esse tipo de evangelismo.41

A equipe da Associação Planalto Central tem se empenhado em incentivar a participação de crianças, adolescentes e jovens nas atividades propostas pela igreja, divididas por faixa etária. Dentre elas, destaca-se o Aventuri da APlaC (Acampamento dos Aventureiros),42 que em 2017 reuniu cerca de 1.500 aventureiros. Outro destaque são os clubes de Desbravadores.43 Existem 153 clubes ativos e cerca de 4.821 participantes em toda a APlaC. Esses desbravadores puderam participar  de um campori de grande porte,44 organizado pela UCOB em 2017, quando mais de 15.000 desbravadores da região foram reunidos. Além disso, o AdoleCamp é outra atividade notável promovida pela APlaC. Esse projeto envolve a realização de um acampamento que visa proporcionar momentos especiais para os adolescentes, possibilitando que passem um final de semana em um retiro espiritual, mais próximos a Deus.45

Os líderes da APlaC e membros da igreja têm estado envolvidos também com o Impacto Esperança, um projeto da Igreja Adventista do Sétimo Dia na América do Sul que incentiva a leitura e distribuição anual gratuita de livros. Somente em 2018, cerca de 550.000 livros evangelísticos foram distribuídos no Distrito Federal e arredores. A maioria desses livros foi entregue em 26 de maio. Naquele dia, funcionários da sede administrativa da APlaC, juntamente com funcionários da Educação Adventista de Planaltina, puderam comparecer ao evento e aproveitaram a oportunidade para fazer um convite especial para a reabertura do colégio adventista – ocorrida alguns dias depois.46

Dentre os departamentos e ministérios em funcionamento na Associação Planalto Central, um se destaca por ser o único do gênero, no Brasil, a funcionar institucionalmente em uma associação ou missão – o Ministério Carcerário, criado em 11 de dezembro de 2018 e liderado pelo Pastor Jeconias Neto. Esse departamento realiza um trabalho pioneiro com um grupo muito específico, os presos.47 Quando questionado sobre a necessidade de um ministério prisional, em entrevista, o Pastor Jeconias explicou que essa missão se baseia na passagem bíblica de Hebreus 13:3.48 O ministério realiza atividades específicas, não só com os presidiários, mas também com suas famílias. As atividades realizadas com os encarcerados são: escola bíblica, evangelismo público, semanas de ênfase espiritual, discipulado pela televisão através da TV Novo Tempo,49 e entrega de livros missionários por meio do projeto Impacto Esperança. As atividades diferem um pouco quando os familiares são inclusos, mas mantêm o objetivo, que é aproximá-los de Deus. São realizadas visitas aos familiares, estudos bíblicos, pequenos grupos, palestras em igrejas locais e assessoria jurídica.50

O Ministério Carcerário tem se mostrado relevante não só para os presos, mas também para os voluntários que participam. Por meio do curso adventista de capelania em prisões, muitos voluntários se tornaram capelães e encontraram maneiras significativas de servir pessoas necessitadas. Em 2019, havia mais de 170 capelães pregando o evangelho para pessoas encarceradas e suas famílias por meio desse ministério.51

Ao longo dos anos de funcionamento desse departamento, foi possível implantar o canal da Rede Novo Tempo de Comunicação na prisão federal de Brasília, o Complexo Penitenciário da Papuda. Cerca de 15.000 prisioneiros atualmente têm acesso ao canal da Igreja Adventista do Sétimo Dia, possibilitando o acesso de muitas pessoas aos ensinamentos bíblicos. A iniciativa é inédita no Brasil, inaugurada em 10 de dezembro de 2015,52 e tem atraído a atenção de várias agências governamentais.

O Ministério Carcerário salvou muitas pessoas por meio de seu trabalho. Em entrevista, o Pastor Jeconias destacou a história de Valderson - um jovem que ficou três anos preso no Complexo Penitenciário da Papuda. Enquanto cumpria sua pena, esse homem implorou para receber estudos bíblicos de um participante do ministério. Enquanto isso, sua esposa, Regilene, também foi ministrada e apoiada por membros da igreja.53

Após receber estudos bíblicos, Valderson decidiu ser batizado assim que saiu da prisão. Quando terminou de cumprir sua pena, foi batizado e hoje é diácono da Igreja Adventista do Sétimo Dia do Gênesis, em uma região chamada Sol Nascente. Sua esposa também se entregou a Jesus e se tornou capelã do ministério carcerário. Esta e muitas outras histórias testemunham os resultados positivos desse ministério, que mobiliza pessoas para pregar o evangelho aos presos e suas famílias.54

Além dessas frentes missionárias, atenção também é dada às relações interpessoais dos membros da igreja no território da associação. Para tanto, a equipe tem buscado a formação de pequenos grupos (com potencial para formar novos líderes). Os registros mostram que, entre 2018 e 2019, o índice de novos pequenos grupos criados teve um crescimento substancial, contabilizando pelo menos 788 grupos existentes. A história dessa associação mostra que, assim como o início do Adventismo em Brasília começou por meio de grupos reunidos nas casas de alguns membros, nas quais o Adventismo prosperou, esse método do passado ainda pode ser útil no avanço da obra, assim como outras estratégias de sucesso.

No início de 2019, foi criado o projeto Juntos, que se tornou o lema principal da APlaC nesse ano. Seu objetivo é incentivar mais jovens, adultos e crianças a frequentarem o treinamento e as atividades da igreja para serem missionários empenhados no cumprimento da missão. O projeto visa dar oportunidade aos mais experientes de ensinar os membros mais jovens.55 Além do projeto Juntos, foi realizado também o projeto Semeadores da Esperança, que incentiva a oração intercessória, ou seja, a oração por parentes ou amigos próximos. Esse projeto dura ao menos 21 manhãs, e procura ajudar os membros das igrejas adventistas a serem verdadeiros missionários.56

Apesar das muitas propostas para envolver os membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia na missão de pregar o evangelho, alguns desafios permanecem na disseminação da mensagem às pessoas que dela precisam. Muitas regiões foram alcançadas por meio do trabalho desenvolvido por integrantes e funcionários da APlaC. Porém, ainda é necessário levar o evangelho aos bairros mais nobres de Brasília - Park Way, Lago Norte, Lago Sul e Noroeste (bairros onde a igreja ainda não está presente). Construir igrejas nessas regiões apresenta certas dificuldades, como encontrar um terreno a um preço razoável e obter licenças de construção.57

Com relação ao futuro, uma estratégia está sendo estudada com a DSA para iniciar uma igreja na região de Park Way. Segundo a liderança, esse projeto está sendo desenvolvido pela percepção de que essa área está se expandindo - o que revela a necessidade da instituição atuar o quanto antes para viabilizar um ponto de encontro institucionalizado a fim de receber quem entra em contato com a mensagem adventista.58 Dessa forma, a APlaC permanece no cumprimento de sua missão evangélica.

Cronologia dos Funcionários Administrativos 59

Presidentes: Manoel Xavier de Lima (1994-1999); Pavel Oliveira Moura (1999-2002); Ronaldo de Oliveira (2002-2004); Jairo Emerick Torres (2004-2011); Charles Antonio Britis (2011-2018); Max D. Schuabb Couto (2018-atualmente).

Secretários: Josias de S. Fragoso (1994-1997); Valmir Carneiro Gama (1998-2003); Carlos Enoc Pollheim (2004-2007); Gilson Oseias Montin (2008-2012); Uesley Peyerl (2013); Erionildes Oliveira Chagas (2014); Fernando Campanha Rios (2015); Max D. Schuabb Couto (2016-2018); Mark Wallacy da C. Ribeiro (2018-atualmente).

Tesoureiros: Josias de S. Fragoso (1994-1997); Miguel de Oliveira Leão (1998-2000); Ademir de Oliveira (2001-2003); Jabson Magalhães Silva (2004-2008); Uilson Leandro Garcia (2009-2015); Anderson Erthal (2016-atualmente).60

Referências

"21 de abril de 1960: o dia em que o Rio de Janeiro deixou de ser a capital federal." O Globo (Online), 3 de julho de 2013.

Adventistas Planalto Central. "Projeto 'Semeadores de Esperança' APlaC 2019." Vídeo explicativo do Youtube, Adventistas Planalto Central, 22 de fevereiro de 2019.

“APlaC lays the cornerstone [APlaC lança pedra fundamental].” Revista Adventista, julho de 1997.

ASN. "Nomeado novo presidente da Igreja Adventista no Planalto Central." Site notícias adventistas, 7 de fevereiro de 2018.

ASN. "Nomeado novo secretário executivo e diretora do Ministério da Mulher no DF e arredores." Site notícias adventistas, 21 de fevereiro de 2018.

ASN. "TV Novo Tempo expande sinal em várias capitais brasileiras." TV Novo Tempo (Online), 6 de setembro de 2011.

Boas, Luanna Villas. "Doação de sangue marca início da Semana de Oração Jovem em Ceilândia Norte." Site Notícias Adventistas (Online), 3 de agosto de 2019.

“Brasília: Futura Sede da Divisão Sul-Americana." Revista Adventista, junho de 1974.

"Inaugurada a Sede Provisória da Federação Planalto Central." Jornal Alvorada, ano 1, n. 2, abril/maio de 1995.

Lopes, Fabiana e Liane Prestes. "De olho nas profecias." Revista Adventista, março de 2014.

Meireles, Pamela. "Aventuri incentiva crianças a se tornarem missionárias." Site Notícias Adventistas (Online), 5 de julho de 2017.

Meireles, Pamela. “Igreja do Paranoá realiza Feira de Saúde.” Site Notícias Adventistas (Online), 26 de setembro de 2017.

Meireles, Pamela. “Impacto Esperança no DF e entorno incentiva relacionamento.” Site Notícias Adventistas (Online), 29 de maio de 2018.

“Mesários da Divisão Sul-Americana...” Revista Adventista, outubro de 1976.

Moroz, David. "Informativo Nacional.” Revista Adventista, setembro de 1973.

“Movidos pela Esperança.” Revista Relatório Quadrienal, 29-30 de outubro de 2016.

"O Leigo Pioneiro." Informativo Reminiscências, 21-23 de novembro de 2003.

"Participação e colheita." Revista Adventista, novembro de 1982.

Pinto, Carmo Patrocínio. "Como tudo começou." Revista até aqui... e até o Fim, publicação especial para celebrar o 50º Aniversário da Igreja Adventista do Sétimo Dia de Taguatinga, 12 de outubro de 2010.

Prestes, Liane. "Curso capacita mulheres para liderança da Igreja," Site Notícias Adventistas (Online), 7 de outubro de 2015.

Prestes, Liane. "TV Novo Tempo chega ao Complexo Penitenciário da Papuda." Site Notícias Adventistas (Online), 16 de dezembro de 2015.

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD]. Vários anos. https://www.adventistyearbook.org/.

Silva, Quirino José da. "O começo foi assim," Informativo Reminiscências, 40º Aniversário do Informativo da Igreja Adventista do Sétimo Dia Central (21-23 de novembro de 2003): 2.

Vieira, Jenny. "Campori de Desbravadores do Centro-Oeste reúne 15 mil." Site Notícias Adventistas (Online), 7 de setembro de 2017.

Vieira, Jenny. "Concílio Anual tem foco na missão e lança campanha ‘Juntos’." Site Notícias Adventistas (Online), 28 de novembro de 2018.

Notas de fim

  1. “Central Planalto Conference [Associação Planalto Central],” Seventh-day Adventist Yearbook (Nampa, ID.: Pacific Press Publishing Association, 2018), 264.
  2. Seventh-day Adventist Online Yearbook, “Central Planalto Conference [Associação Planalto Central],” acessado em 3 de julho de 2019, http://bit.ly/2JjoQYp.
  3. Informações obtidas no Sistema de Secretaria de Escola - 2019.
  4. Site da ADRA Brasil, “Núcleo ADRA de Desenvolvimento – Samambaia,” acessado em 3 de julho de 2019, http://bit.ly/2XCD7J1.
  5. Site da ADRA Brasil, Projeto NADAC, acessado em 3 de julho de 2019, http://bit.ly/2FPxRYh; “Central Planalto Conference,” Seventh-day Adventist Yearbook (Nampa, ID: Pacific Press Publishing Association, 2018), 264-265.
  6. ASN, "TV Novo Tempo expande sinal em várias capitais brasileiras," Rede Novo Tempo de Comunicação, 6 de setembro de 2011, acessado em 5 de julho de 2019, http: //bit.ly/2JvFSCy.
  7. Adventist Church Management System [Sistema de Gestão da Igreja Adventista (ACMS)] - União Centro-Oeste Brasileira, 2019.
  8. “21 de abril de 1960: o dia em que o Rio de Janeiro deixou de ser a capital federal,” O Globo, 3 de julho de 2013, acessado em 4 de julho de 2019, https://glo.bo/2FU5Mir.
  9. O colportor evangelista é um missionário que vende ao público publicações editadas e aprovadas pela igreja, com o objetivo de espalhar o evangelho eterno que traz salvação e bem-estar físico e espiritual. Acessado em 30 de agosto de 2018, http://bit.ly/2J6tY1I.
  10. Carmo Patrocínio Pinto, “Como tudo começou,” Revista Até aqui... e até o fim, publicação especial comemorativa dos cinquenta anos da Igreja Adventista do Sétimo Dia Central de Taguatinga Igreja, 12 de outubro de 2010, 6.
  11. Ibid.
  12. "O Leigo Pioneiro," Informativo Reminiscências, 21-23 de novembro de 2003, 1.
  13. Carmo Patrocínio Pinto, "Como tudo começou,” Revista Até aqui... e até o fim, publicação especial comemorativa dos cinquenta anos da Igreja Adventista do Sétimo Dia Central de Taguatinga, 12 de outubro de 2010, 6.
  14. Quirino José da Silva, "O começo foi assim..." Informativo Reminiscências, Quadragésimo Aniversário do Boletim Informativo da Igreja Adventista do Sétimo Dia Central, 21-23 de novembro de 2003, 2.
  15. Carmo Patrocínio Pinto, "Como tudo começou,” Revista Até aqui... e até o fim, publicação especial comemorativa dos cinquenta anos da Igreja Adventista do Sétimo Dia Central de Taguatinga, 12 de outubro de 2010, 6.
  16. Ibid.
  17. Ibid., 6-7.
  18. Ibid., 7.
  19. Ibid.
  20. Ibid.
  21. Ibid.
  22. Ibid.
  23. David Moróz, Informativo Nacional, Revista Adventista, setembro de 1973, 29.
  24. “Brasília: Futura Sede da Divisão Sul-Americana," Revista Adventista, junho de 1974, 20.
  25. “Mesários da Divisão Sul-Americana...” Revista Adventista, outubro de 1976, 18.
  26. "Participação e Colheita," Revista Adventista, novembro de 1982, 32.
  27. “Moved by Hope [Movidos pela Esperança],” Revista Relatório Quadrienal, 29-30 de outubro de 2016, 9.
  28. Idem.
  29. “Central Planalto Conference [Associação Planalto Central],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown MD: Review and Herald Publishing Association, 1996), 271.
  30. Idem.
  31. "Inaugurada a Sede Provisória da Federação Planalto Central," Jornal Alvorada, ano 1, no. 2, abril / maio de 1995, 1.
  32. "APlaC lança pedra fundamental," Revista Adventista, julho de 1997, 20.
  33. Julia Castilho, e-mail enviado para Carlos Flávio Teixeira (editor da ESDA), 1º de julho de 2019.
  34. “Tocantins Mission [Missão Tocantins],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown MD.: Review and Herald Publishing Association, 2010), 301.
  35. “Central Planalto Conference [Associação Planalto Central],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 2009), 292.
  36. “Central Planalto Conference [Associação Planalto Central],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 2010), 299.
  37. “Central Planalto Conference [Associação Planalto Central],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 2011), 312.
  38. Fabiana Lopes e Liane Prestes, "De olho nas profecias," Revista Adventista, março de 2014, 39.
  39. Liane Prestes, "Curso capacita mulheres para liderança da Igreja," Site Notícias Adventistas, 7 de outubro de 2015, acessado em 4 de julho de 2019, http: // bit. ly / 2JatiJY.
  40. Pamela Meireles, "Igreja do Paranoá realiza Feira de Saúde," Site Notícias Adventistas, 26 de setembro de 2017, acessado em 4 de julho de 2019, http: // bit. ly / 2JB4JoT.
  41. Luanna Vilas Boas, "Doação de sangue marca início da Semana de Oração Jovem em Ceilândia Norte," Site Notícias Adventistas, 3 de agosto de 2019, acessado em 4 de julho de 2019, http://bit.ly/2JmNHdP.
  42. O Acampamento de Aventureiros é um acampamento realizado com meninos e meninas do Clube de Aventureiros, juntamente com seus pais. Nesse acampamento, as crianças ouvem histórias da Bíblia, jogam e desfrutam de momentos especiais com amigos e familiares. Pamela Meireles, "Aventuri incentiva crianças a se tornarem missionárias," Notícias Adventistas, 5 de julho de 2017, acessado em 4 de julho de 2019, http://bit.ly / 2YAIIww.
  43. Grupo de meninos e meninas, de 10 a 15 anos, de diferentes classes sociais, cores e religiões que costumam se reunir pelo menos uma vez por semana para desenvolver seus talentos, percepções e habilidades sob orientação. Além disso, são realizadas caminhadas ao ar livre, escaladas, explorações em áreas naturais e cavernas, dentre outras atividades. Acessado em 27 de junho, http://bit.ly/2FDRqTh.
  44. Um grande acampamento que reúne jovens, adolescentes e crianças dos Clubes de Desbravadores de uma região. Site da Igreja Adventista do Sétimo Dia, "Campori de Desbravadores da DSA," acessado em 4 de julho de 2019, http://bit.ly/2Ju0ACO.
  45. Jenny Vieira, "Campori de Desbravadores do Centro-Oeste reúne 15 mil," Site Notícias Adventistas, 7 de setembro de 2017, acessado em 4 de julho de 2019, http://bit.ly/2LBjMBy.
  46. Pamela Meireles, "Impacto Esperança no DF e arredores incentiva relacionamento," Site Notícias Adventistas, 29 de maio de 2018, acessado em 23 de julho de 2019, http://bit.l/2YoXt8N.
  47. Jeconias Neto, mensagem de e-mail para os autores, 5 de abril de 2019.
  48. Ibid.
  49. Liane Prestes, "TV Novo Tempo chega ao Complexo Penitenciário da Papuda,"  Site Notícias Adventistas, 16 de dezembro de 2015, acessado em 4 de julho de 2019, http://bit.ly/2FTLdCL .
  50. Jeconias Neto, mensagem de e-mail para os autores, 5 de abril de 2019.
  51. Idem.
  52. Liane Prestes, "TV Novo Tempo chega ao Complexo Penitenciário da Papuda," Site Notícias Adventistas, 16 de dezembro de 2015, acessado em 4 de julho de 2019, http://bit.ly/2FTLdCL.
  53. Jeconias Neto, mensagem de e-mail para os autores, 5 de abril de 2019.
  54. Idem.
  55. Jenny Vieira, "Concílio Anual tem foco na missão e lança campanha ‘Juntos’," Site Notícias Adventistas, 28 de novembro de 2018, acessado em 4 de julho de 2019, http://bit.ly/2FSFLjB.
  56. Adventistas Planalto Central, “Projeto ‘Semeadores de Esperança’ APlaC 2019” (Vídeo explicativo do Youtube, Adventistas do Planalto Central, 22 de fevereiro de 2019), acessado em 4 de julho de 2019, http://bit.ly/2RQYeSv.
  57. Max Schuabb, mensagem de e-mail para o autor, 25 de março de 2019.
  58. Ibid.
  59. ASN, “Nomeado novo presidente da Igreja Adventista no Planalto Central,” Site Notícias Adventistas, 7 de fevereiro de 2018, acessado em 3 de julho de 2019, http://bit.ly/ RVjM0m; ASN, “Nomeados o novo secretário executivo e a diretora do Ministério da Mulher no DF e entorno,” Site Notícias Adventistas, 21 de fevereiro de 2018, acessado em 3 de julho de 2019, http://bit.ly/2FQBmO0; Seventh-day Adventist Online Yearbook, "Central Planalto Conference [Associação Planalto Central]," acessado em 3 de julho de 2019, http://bit.ly/2JjoQYp; "Central Planalto Conference [Associação Planalto Central]," Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown MD .: Review and Herald Publishing Association, 1996), 271; “Central Planalto Conference [Associação Planalto Central],” Seventh-day Adventist Yearbook (Nampa, ID .: Pacific Press Publishing Association, 2018), 264. Para obter mais informações sobre todos os presidentes, secretários e tesoureiros, consulte os Anuários da IASD (Yearbooks) de 1996-2018.
  60. Informações sobre a APlaC podem ser encontradas em aplac.adventistas.org ou nas redes sociais - Twitter: @iasdplanalto, Youtube: Adventistas do Planalto Central , Facebook e Instagram: @adventistasbrasilia
×

Castilho, Julia, Tatty Barreto, Otoniel Ferreira. "Central Planalto Conference." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. June 04, 2021. Accessed February 09, 2023. https://encyclopedia.adventist.org/article?id=3GEL.

Castilho, Julia, Tatty Barreto, Otoniel Ferreira. "Central Planalto Conference." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. June 04, 2021. Date of access February 09, 2023, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=3GEL.

Castilho, Julia, Tatty Barreto, Otoniel Ferreira (2021, June 04). Central Planalto Conference. Encyclopedia of Seventh-day Adventists. Retrieved February 09, 2023, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=3GEL.