View All Photos

Rio Grande do Sul Conference headquarters, 2018. Accessed on November 11, 2019. http://bit.ly/2NUSRzS

Photo courtesy of Rio Grande do Sul Conference Archives.

Associação Sul-Rio-Grandense

By Renato Gross

×

Renato Gross

First Published: June 7, 2021

A Associação Sul-Rio-Grandense (ASR) é uma unidade administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD), localizada no território da União Sul Brasileira (USB). Atualmente, sua sede fica na Av. Caí, nº 82, bairro de Cristal, CEP 90810-120, na cidade de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul, Brasil. 1

O território da ASR abrange a parte sul do Rio Grande do Sul, com população de 3.436.654 pessoas. Estão aos cuidados dessa unidade administrativa 18.891 membros, disseminados entre 242 congregações organizadas na região. Assim, a média geral é de um adventista a cada 181 habitantes. 2 

Existem também sob a administração da ASR 10 instituições de ensino, somando cerca de 5.000 alunos. São elas: Colégio Adventista de Porto Alegre, em Porto Alegre, com 1.535 alunos; Colégio Adventista de Viamão, em Viamão, com 531 alunos; Colégio Adventista do Partenon, em Porto Alegre, com 721 alunos; Colégio Adventista Osório , em Osório , com 212 alunos; Colégio Adventista Pr. Ivo Souza, em Rolante, com 136 alunos; Colégio Adventista do Rio Grande, em Rio Grande, com 453 alunos; Colégio Adventista de Santa Cecília, em Viamão, com 432 alunos; Colégio Adventista de Santa Isabel, em Viamão, com 284 alunos; Colégio Adventista de Santo Antônio da Patrulha, em Santo Antônio da Patrulha, com 137 alunos; e o Colégio Adventista de Pelotas, em Pelotas, com 475 alunos. 3

No território da ASR também há postos de assistência médica, como o Lar Adventista para Idosos e o Centro de Vida Saudável. Ambas as instituições ficam em Porto Alegre. Com relação aos funcionários da ASR, há 614 servidores, dos quais 42 são ministros ordenados e 11 são ministros licenciados. 4

Origem da Obra Adventista no Território da Associação

O Pastor Huldreich Ferdinand Graf (1855-1946) foi o primeiro pastor adventista a visitar oficialmente o Rio Grande do Sul. Certa vez, ele relatou: “Quando cheguei ao estado em outubro de 1897, encontrei muitas portas abertas, pois nossos colportores haviam feito um bom trabalho. Em Porto Alegre, a capital, tive o privilégio de batizar seis pessoas - as primeiras a se unirem à igreja no Rio Grande do Sul”. 5

Em 1897, o Pastor Graf organizou as duas primeiras igrejas do Rio Grande do Sul - uma em Ijuí, em outubro, e outra em Santa Cruz do Sul, em novembro. Assim, outubro de 1897 é considerada a data inaugural da obra adventista no estado. Ainda em 1897, uma escola domiciliar começou a funcionar em Porto Alegre, na sala do casal John e Berta Lipke, 6 que foi a primeira escola adventista7 do Rio Grande do Sul.

No ano seguinte, 1898, Graf retornou ao Rio Grande do Sul, onde, na região do Passo Fundo, batizou cerca de 40 pessoas. 8 Além disso, durante esse esforço missionário, ele organizou a terceira igreja do estado, na cidade de Não-Me-Toque, atual Lagoa Dos Três Cantos. 9 Dentre os que decidiram se batizar na região do Passo Fundo estavam os filhos de Guilherme e Helena Kümpel. Na mesma ocasião, “em São Pedro do Sul, eles ficaram entusiasmados ao encontrar o irmão Lindermann e sua família. Três dias após sua chegada, o Pastor Graf batizou os três filhos mais velhos do Sr. Linderman.” 10 Ambas as famílias, Kümpel e Lindermann, haviam emigrado da Alemanha em 1892 já como Adventistas do Sétimo Dia. 11

Na virada do século XX, Porto Alegre possuía um pequeno templo onde se reunia uma igreja recém-organizada. O relato da época menciona: “No dia 18 de fevereiro, às 20h, coincidindo com o início da série evangelística no Rio Grande do Sul, foi inaugurada a capela da igreja. O modesto prédio ainda tem um aspecto belo, reunindo cerca de 160 pessoas. A capela fica em uma campina chamada Campo da Redenção; e sem se esconder dos olhos de ninguém, exaltada como a luz do lampião, atende muito bem os habitantes de Porto Alegre. 12

Um dos membros regulares dessa igreja era o irmão Paul Kramer, um ex-pastor batista, natural de Hamburgo, convertido à Igreja Adventista do Sétimo Dia e amigo do Pastor Graf. Paul Kramer e sua esposa lecionaram na Escola de Curityba (atual Colégio Adventista do Bom Retiro) até 1904, quando foram transferidos para a capital do estado. 13 Como membro leigo, Kramer se destacou na pequena comunidade adventista localizada em Porto Alegre. Participava de todas as reuniões importantes, escrevia para revistas norte-americanas, dando notícias sobre a obra missionária no país, além de hospedar os pastores que vinham à cidade. 14

Enquanto isso, a obra missionária avançava no interior do estado, assim como em Porto Alegre. Além disso, na virada do século XX, “muitas congregações foram formadas, principalmente em Ijuí, Santa Maria, Campo dos Quevedos, Rolante, Fazenda Passos e Taquari”. O avanço do Adventismo no Rio Grande do Sul ocorreu em duas frentes principais - nas colônias alemãs e nos territórios formados por famílias brasileiras. 15 Os colportores evangelistas pioneiros, 16 que quase sempre precederam a chegada dos poucos pastores existentes, colaboraram com o andamento da obra na região. Assim, as publicações adventistas tiveram duas funções no Rio Grande do Sul - semear a verdade e ampliar seus efeitos.17

Trabalhando com a pronta entrega de livros e viajando em mulas, os colportores Alberto e Frederico Berger - irmãos e imigrantes da Alemanha - sem mencionar Henrique Tonjes, Guilherme Conrado , Emílio Fröeming, Hans Mayr, Saturnino Mendes de Oliveira, Antônio L. Penha, José Negrão, André Gedrath, Domingos César da Silva, Emiliano de Oliveira e Guilherme Landskron, 18 continuaram a colportar por todo o Brasil. 19 Como recompensa, em 8 de outubro de 1905, eles realizaram a primeira reunião na igreja recém-concluída de Campo dos Quevedos, a primeira Igreja Adventista de alvenaria no estado e uma das primeiras do tipo no Brasil. 20

História Organizacional da Associação

Em 15 de abril de 1906, durante a sessão ordinária da Associação Brasileira, realizada em Porto Alegre, foi organizada a Associação Rio-Grandense, com sede em Taquari - onde permaneceu até 1913, quando foi transferida para Porto Alegre. Para liderar a obra adventista no estado, o Pastor Graf foi nomeado presidente dessa nova unidade administrativa. 21 A ocasião contou com a presença dos pastores Willian Spicer, da Associação Geral; J. A. Westphal, presidente da União Sul-Americana, na Argentina; F. W. Spies, da cidade do Rio de Janeiro; e Emilio Hoezle, do Paraná.

Na época de sua criação em 1906, a Associação Rio-Grandense assistia 439 adventistas, divididos em seis igrejas no estado. Posteriormente, em 1911, foi inaugurada a Igreja Adventista Central de Porto Alegre. 22 No entanto, pouco depois, o imóvel foi vendido e foi adquirido um terreno próximo ao centro da cidade para a construção de uma nova igreja - a qual foi inaugurada e dedicada nos dias 7 e 8 de fevereiro de 1936. 23

Em 10 de abril de 1920, foi realizado em Porto Alegre o 14º Encontro Anual da Associação Rio-Grandense. “Os irmãos haviam vindo de lugares diferentes. Muitos deles trouxeram suas próprias barracas e permaneceram vários dias em local agradável, ouvindo os relatos de trabalho dos diversos departamentos e também os belos sermões pregados pelos primeiros pastores a trabalharem nessas regiões [...] Pela primeira vez na história da Igreja Adventista do Sétimo Dia no Brasil, um brasileiro foi ordenado ao santo ministério para atuar como pastor no país”. 24 Era o Pastor José Amador dos Reis (1891-1935).” 25

Além disso, durante a década de 1920, mais especificamente em 14 de novembro de 1928, o Pastor Abraham Classen Harder e sua esposa, Mary, ambos missionários norte-americanos, adquiriram uma propriedade de 50 hectares na cidade de Taquara para a construção de um colégio. 26 Em 11 de março de 1929 tiveram início as primeiras aulas da nova instituição, com apenas 27 alunos presentes. 27 O primeiro professor do colégio foi o alemão Ernesto Roth, que também era carpinteiro e construiu ele mesmo o prédio das salas de aula, que também servia de dormitório. 28

Alguns anos mais tarde, em 1936, o Pastor Harder doou a escola para a Associação Rio-Grandense, que rapidamente expandiu as instalações do colégio. Em 1938, o governo finalmente reconheceu a escola oficialmente, que passou a ser conhecida como Ginásio Adventista de Taquara. Esse nome só mudaria na década de 1960, quando foi alterado para Instituto Cruzeiro do Sul e, posteriormente, para Instituto Adventista Cruzeiro do Sul (IACS). 29 Quando a escola completou 70 anos, o lema escolhido foi: “IACS: 70 anos fazendo brilhar estrelas”. 30

A obra continuou avançando na região e, em 14 de fevereiro de 1946, a Associação Rio-Grandense assumiu o nome de Associação Sul-Rio-Grandense (ASR), que permanece até hoje. 31 Em 1950, foi realizada uma série evangelística em tendas na cidade de Porto Alegre, sede da ASR. O pregador do evento foi o Pastor Walter Schubert, líder do departamento de Evangelismo da Divisão Sul-Americana da IASD. Schubert inovou as séries evangelísticas na América do Sul, que anteriormente se iniciavam com estudos proféticos. Seus primeiros temas eram sobre bem-estar, família e saúde. Mais tarde, o pastor falaria sobre temas teológicos. 32

Embora tenha sido a primeira experiência de evangelismo com tais características no Brasil, a série liderada pelo Pastor Schubert teve sucesso. Como resultado, 70 pessoas decidiram ser batizadas nas duas primeiras cerimônias batismais. Como assistentes, a equipe organizadora do projeto contou com os pastores Araceli de Melo, Roberto Azevedo, Silas Gianini Renato Oberg e mais três obreiras bíblicos, Irma Conrado, Rosália Engel e Maria Pacífica de Oliveira. A partir de então, essa experiência evangelística moldou a maneira como os adventistas fazem evangelismo no país. 33

Assim, a igreja cresceu em toda a região assistida pela ASR a ponto de cinco anos depois, em 1955, haver mais de 5.200 adventistas e 30 igrejas organizadas na região. 34 Devido ao bom andamento do trabalho no sul do estado, o número de membros ligados à ASR dobrou, alcançando 11.492 pessoas em 1965. No mesmo ano, havia pelo menos 45 igrejas organizadas em todo Rio Grande do Sul. 35 Finalmente, em 1971, a ASR adquiriu sua primeira sede, onde está localizada atualmente. 36

Posteriormente, em 25 de agosto de 1973, devido ao rápido crescimento de jovens adventistas no território da ASR, um acampamento adventista foi inaugurado no município de Campestre. O local foi organizado e preparado para receber campais, congressos, cursos e treinamentos. Ao longo dos anos, outros investimentos e inaugurações aconteceram no sul do estado. Em setembro de 1981, o Lar para Meninas foi inaugurado em Taquara; em 1988, foi inaugurada a Clínica Adventista Zona Norte, em Porto Alegre; e, em 1992, iniciaram-se as atividades do Centro Adventista de Desenvolvimento Comunitário (CADEC), qualificando e otimizando as obras assistenciais na cidade de Caxias do Sul. 37

Além disso, em agosto de 1992, a Rádio Tempo Novo passou a funcionar no município de Sapiranga, com 1 kW de potência. Em 1994, o sinal passou para 10 kW e sua sede foi transferida para a cidade de Nova Hamburgo. Essa estação foi a primeira rádio adventista na região sul do país e a primeira a ter um sistema totalmente digital na região. 38

Em 1996, devido à expansão do adventismo no território da ASR nas décadas anteriores, os líderes da Divisão Sul-Americana aprovaram a divisão do campo missionário do Rio Grande do Sul em duas regiões administrativas, criando assim a Missão Oeste Sul-Rio-Grandense (MOSR), com sede em Ijuí. 39 Após essa reorganização, a ASR ficou responsável por atender às demandas de cerca de 28.870 membros, distribuídos em 108 igrejas, 40 diferente do ano anterior, quando atendia 35.806 pessoas, distribuídas por 120 igrejas organizadas. 41

Dois anos depois, em 1998, devido aos investimentos em nome da educação adventista, a Colégio Adventista de Porto Alegre (CAPA) inaugurou seu novo prédio cerca de 35 anos após sua fundação. 42 Mais tarde, em 2006, ocorreu uma nova divisão no território assistido pela ASR. Na ocasião, foi criada a Conferência Central do Rio Grande do Sul (ACRS), com sede em Porto Alegre. 43 Após essa nova reorganização, a ASR foi responsável por liderar 24.766 membros, em 102 igrejas, enquanto a nova conferência foi responsável por mobilizar 19.797 membros. 44

Ao longo da existência da ASR, várias atividades missionárias foram realizadas. A instituição tem liderado inúmeras iniciativas para cumprir os propósitos evangelísticos da Igreja em sua região de atuação. Destacamos sua contribuição para a criação do IACS, em 1928, bem como de mais duas unidades administrativas da IASD - a Missão Oeste Sul-Rio-Grandense, em 1996, e a Associação Central Sul-Rio-Grandense, em 2006. Nesse contexto, todas as atividades realizadas pela equipe de liderança ASR foram realizadas a fim de corroborar com os planos propostos pela liderança da Igreja Adventista do Sétimo Dia a nível sul-americano e mundial.

Devido à expansão patrimonial da ASR, de janeiro de 2015 a fevereiro de 2016 foram inauguradas 16 novas igrejas, além de uma nova escola na cidade de Gravataí. Além disso, foram adquiridos 12 terrenos para novas construções. Outro resultado expressivo foi obtido através do Impacto Esperança de 2014 a 2016. Durante a realização desse projeto, os participantes distribuíram cerca de 595.098 livros evangelísticos em todo o território da ASR. Ao final desse período, a associação contava com 150 colportores em tempo integral, que obtiveram grande êxito em vendas. 45

Em 2017, através dos votos nº 2017-124 e 2017-170, da USB, e voto nº 2017-217, da Divisão Sul-Americana, foi realizada a primeira reorganização territorial dos três campos em operação no estado. 46 O objetivo dessa reorganização foi melhorar a eficácia administrativa e evangelística em todo o território do Rio Grande do Sul. Assim, com essas mudanças, a ACRS ficou responsável pela região central do estado; 47 a Missão Norte Sul-Rio-Grandense (antiga Missão Oeste) ficou responsável pelas regiões norte e nordeste e pela região do Vale do Sinos; 48e a ASR ficou responsável pela porção sul do território do Rio Grande do Sul. 49

A liderança da ASR entende que, embora seja uma das primeiras associações da Igreja no Brasil, sua missão ainda não foi totalmente cumprida. Para os líderes, o número de pessoas preparadas para o retorno de Cristo deve estar aumentando continuamente em sua região missionária. Além disso, o caráter de Cristo precisa ser reproduzido em Seu povo, aliado ao testemunho da verdade cada vez maior. Para isso, a liderança está ciente de que a pregação do evangelho eterno ainda não atingiu o último habitante em seu campo missionário.

Em relação às lições aprendidas ao longo da história organizacional da ASR, destaca-se que Deus sonha com ações mais ousadas, planos mais ousados, um evangelismo que Ele mesmo proporciona; um compromisso total dos crentes; uma igreja que clama por novos dons; uma firme unidade de propósito, conseguindo pregar o evangelho em todo o mundo nestes dias por pessoas que refletem o caráter de Cristo e testemunham Seu amor em sua vida. Nesse sentido, uma das maiores ênfases da ASR tem sido o envolvimento dos membros no projeto Comunhão, Relacionamento e Missão (CRM). Essa iniciativa visa favorecer a comunhão diária com Deus, a relação entre a Igreja e a comunidade e a compreensão da urgência no cumprimento da missão.

A implantação de igrejas também é uma das metas do campo, que espera estabelecer novas congregações em Porto Alegre. Outros planos para o futuro da ASR envolvem a expansão da área educacional, com a implementação de pelo menos uma nova unidade escolar e um aumento contínuo de 10% ao ano no número de alunos. Para alcançar essas metas, o departamento de Mordomia Cristã tem estado cada vez mais ativo, convidando os membros a serem adoradores verdadeiros por meio dos dízimos e ofertas. Além disso, a ASR trabalha para resgatar ex-adventistas. Da mesma forma, para que novos batismos ocorram, a associação usa o evangelismo como sua principal ferramenta de apoio. 50

Um dos maiores sonhos da atual liderança da ASR é que o campo não complete mais um século aqui nesta Terra, mas que o evangelho em breve seja pregado e Cristo retorne em poder e glória. Portanto, a ASR utiliza todos os meios possíveis para cumprir sua missão, isso é, oferecer a muitas pessoas a oportunidade de conhecer o amor de Deus. Assim, em breve, todos poderão comemorar juntos as conquistas desta e de outras instituições missionárias da Igreja - reconhecendo o legado de fé dos pioneiros e líderes que passaram pelo Rio Grande do Sul. Cada um deixou sua contribuição para que o campo estivesse onde está hoje.

No contexto dessa expectativa, a visão da ASR é “que em harmonia com as grandes profecias das Escrituras, o clímax do plano de Deus é a restauração de toda a Sua criação em plena harmonia com Sua perfeita vontade e justiça”. Nesse cenário, sua missão declarada é “anunciar as boas novas para o mundo no contexto das três mensagens angélicas, levando as pessoas a aceitar a Jesus como seu Salvador pessoal e unir-se à Igreja Adventista do Sétimo Dia, a fim de se preparar para Seu breve retorno.” 51

Cronologia dos Executivos Administrativos 52

Presidentes: Huldreich Graf (1906); John Lipke (1907-1908); Waldemar Ehlers (1909-1913); Henry Meyer (1914-1918); John Lipke (1919-1920); Ricardo Sussmann (1921); Frederick Weber Spies (1922); Abraham Calvin Harder (1923-1931); John H. Boehm (1932-1939); A. L. Westphal (1940-1941); Germano Streithorst (1942-1943); Jeronimo Granero Garcia (1944-1947); Domingos Peixoto da Silva (1947-1949); Renato Emir Oberg (1950-1951); Frederico C. Webster (1952-1953); José Rodrigues dos Passos (1954-1957); Donald Robert Christmann (1958-1961); Emanuel Zorub (1962-1963); Oscar Luís dos Reis (1964-1967); Benito Raymundo (1968-1972); Floriano Xavier dos Santos (1973-1978); Arno H. Köhler (1979-1982); Wandyr Mendes de Oliveira (1983-1984); Alberto Ribeiro de Sousa (1985-1986); Ivanau do Barbosa de Oliveira (1987-1988); David Moróz (1989-1998); Samuel G. F. Zukowski (1999-2000); Marlinton Lopes (2001-2005); José Elias Zanotelli (2006-2012); Marcos Luiz Lima de Oliveira Junior (2012-2015); Milton Luiz Pereira de Andrade (2015-2018); Milton Andrade (2019); Charlles Britis (2020-atual).

Secretários: A. Pages (1906-1908); August Preuss (1908-1910); Mary Ehlers (1911-1912; August Preuss (1913-1915); E. Langenstrassen (1916); L. Lotz (1917-1922); U. Wissner (1923-1924); Henrique L. Zipp (1925); G. Doerner (1926-1928); Santiago Schmidt (1929-1934); B. Schuenemann (1935-1940); Gustavo Bergold (1942-1943); Henrique S. Bergold (1944-1950); G. F. Ebinger (1952-1955) ; E. W. Olm (1956-1958); J. F. Walting (1959-1960); Henrique Marquart (1961-1963); Geraldo Boekenkamp (1964-1966); Holbert Schmidt (1967-1968); Ivo Souza (1969-1970); Francisco Nascimento (1973-1974); Arno. H. Köhler (1975); J. O. Correia (1976-1978); I. S. Paiva (1979); L. L. Fuckner (1979-1980); Vilson F. Oliveira (1981); Wandyr Mendes de Oliveira (1982); Alberto Ribeiro de Souza (1983-1984); Arthur M. L. Fortes (1985); Ivanaudo Barbosa de Oliveira (1986); Athaliba Huf (1987-1988); Antônio A. G. Moreira (1989-1993); Marlinton Souza Lopes (1994-2000); Milton Ceza de Souza (2001); Erton Carlos Köhler (2002); Moisés de Mattos (2003-2004); Otávio Almeida Fonseca (2005-2010); Marcos Luiz Lima de Oliveira Junior (2011); Milton Luiz Pereira de Andrade (2012-2015); Leonardo Preuss Garcia (2016-atual).

Tesoureiros: A. Pages (1906-1908); August Preuss (1908-1910); Mary Ehlers (1911-1912; August Preuss (1913-1915); E. Langenstrassen (1916); L. Lotz (1917-1922); U. Wissner (1923-1924); Henrique L. Zipp (1925); G. Doerner (1926-1928); Santiago Schmidt (1929-1934); B. Schuenemann (1935-1940); Gustavo Bergold (1942-1943); Henrique S. Bergold (1944-1950); G. F. Ebinger (1952-1955) ; E. W. Olm (1956-1958); J. F. Walting (1959-1960); Henrique Marquart (1961-1963); Geraldo Boekenkamp (1964-1966); Holbert Schmidt (1967-1968); Ivo Souza (1969-1970); Francisco Nascimento (1973-1974); Vilson F. Oliveira (1975-1982); Arthur M. L. Fortes (1983-1985); Vilson P. Keller (1986-1988); Marino F. de Oliveira (1989); Paulo Cândido dos Reis (1990-2003); Davi Contri (2004-2007); Marcelo Cristiano Bif (2008); Telson Bombassaro Vargas (2009-2011); Harlei Mazzo de Queiroga (2012-2017); Márcio Luz da Silva (2018-atual). 53

Referências

Ata da Associação Sul-Rio-Grandense, voto nº 2018-270, 5 de dezembro, 2018.

Bertotti, Fabiana. “Direto nas fontes.” Revista Adventista, novembro de 2013.

Camacho, Joel. “Associação Sul-Rio-Grandense Inaugura Nova Sede.” Revista Adventista, setembro de 1971.

Departamento de Educação da Associação Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia. A História da Nossa Igreja. Santo André, SP: Casa Publicadora Brasileira, s.d.

Dornelles, Isaias. “Ecos da Bienal Riograndense.” Revista Adventista, junho de 1956.

Fonseca, Emanuele. “Associação Sul rio-grandense elege novo presidente.” Notícias Adventistas (Online), 25 de novembro, 2019.

Fonseca, Odailson; Editor. Associação Sul Rio-Grandense – 100 anos de Fé, Pioneirismo e Ação. Porto Alegre, RS: Associação Sul-Rio-Grandense da Igreja Adventista do Sétimo Dia, s.d.

Graf, Huldreich F., à Associação Geral. s.d. Carta. Arquivos da Associação Geral. Silver Spring, Maryland, U.S.A.

Greenleaf, Floyd, Terra da esperança: o crescimento da Igreja Adventista na América do Sul. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2011.

Gross, Renato. Colégio Internacional Curitiba: uma história de fé e pioneirismo. Rio de Janeiro, RJ: Collins, 1996.

Macedo, Aparecida H. T. Do sonho à realidade: história de uma luz que nunca se apagou. Taquara, RS: Instituto Adventista Cruzeiro do Sul, 1999.

Morais, Evelis. “ASR realiza a 40ª Assembleia Quadrienal rumo ao centenário.” Revista Adventista, janeiro de 2003.

Oberg, Renato Emir. “Conferências no tabernáculo.” Revista Adventista, agosto de 1950.

Pasini, André Marcos. Memorial do Instituto Adventista Cruzeiro do Sul. São Paulo, SP: Centro Nacional da Memória Adventista, Instituto Adventista de Ensino, 1988.

Portal da Igreja Adventista do Sétimo Diahttp://www.adventistas.org/pt/.

Regulamento Interno da Associação Central Sul Rio-grandense da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Porto Alegre, RS, s.d.

Ritter, Orlando. “John Lipke,” inA educação adventista no Brasil: uma história de aventuras e milagres, organizado por A. R. Timm. Engenheiro Coelho, SP: Unaspress, 2004.

Rosa, Manoel, Pioneiros do Sul. Taquara, RS: edição do autor, 2004.

Schimdt, Ivan. José Amador dos Reis: vida e obra. Porto Alegre, RS: Instituto Ritter dos Reis, 1970.

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD]. Vários anos. https://www.adventistyearbook.org/.

Atas da Divisão Sul-Americana. Arquivos da Divisão Sul-Americana. Brasília, DF, Brasil.

Atas da União Sul Brasileira. Arquivos da União Sul Brasileira. Curitiba, PR, Brasil.

Spies, F. W. “Inauguração da capella em Porto Alegre.” Revista Mensal, março de 1913.

Suessmann, R. “Notícias do Rio Grande do Sul.” Revista Mensal, abril de 1921.

Timm, Alberto R. “Primórdios do Adventismo no Brazil – parte 1.” Revista Adventista, janeiro de 2005.

Timm, Alberto R. Igreja de Campo dos Quevedos Adventist 1905-2005 (Engenheiro Coelho, SP: Engenheiro Coelho, SP: Unaspress, 2005.

Westphal, J. W. “A Conferência do Estado Rio Grande do Sul.” Revista Trimensal, julho de 1906.

Wilcox, E. H. “União Sul Brasileira - notícias”. Revista Mensal, maio de 1934.

Notas de Fim

  1. Seventh-day Adventist Online Yearbook, “Rio Grande do Sul Conference [Associação Sul-Rio-Grandense],” acessado em 6 de agosto, 2019, http://bit.ly/33gbsNN.
  2. Idem; Sistema Administrativo da Igreja Adventista, acessado em 12 de setembro, 2018.
  3. Formulário preenchido por Luvercy Ferreira, janeiro de 2017.
  4. Idem.
  5. Huldreich F. Graf para a Associação Geral, s.d., carta, arquivos da Associação Geral, (fotocópia traduzida, nos arquivos pessoais do autor, cortesia de David Moróz).
  6. Orlando Ritter, “John Lipke,” inA educação adventista no Brasil: uma história de aventuras e milagres, org. A. R. Timm (Engenheiro Coelho, SP: Unaspress, 2004), 179-185.
  7. Departamento de Educação da Igreja Adventista do Sétimo Dia, História de nossa Igreja (Santo André, SP: Casa Publicadora Brasileira, s.d.), 305-334.
  8. Odailson Fonseca, ed., Associação Sul Rio-Grandense – 100 anos de Fé, Pioneirismo e Ação (Porto Alegre, RS: Associação Sul-Rio-Grandense da IASD, s.d), 21; Fabiana Bertotti, “Direto nas fontes,” Revista Adventista, novembro de  2013, 27.
  9. Manoel Rosa, Pioneiros do Sul (Taquara, RS: edição do autor, 2004), 28.
  10. Idem.
  11. Alberto R. Timm, “Primórdios do Adventismo no Brazil – parte 1,” Revista Adventista, janeiro de 2005, 12-14.
  12. F. W. Spies, “Inauguração da capella em Porto Alegre,” Revista Mensal, março de 1913, 2.
  13. Renato Gross, Colégio Internacional de Curitiba: uma história de fé e pioneirismo (Rio de Janeiro, RJ: Collins, 1996), 45-51.
  14. Lídia Bergold (neta de Paul Kramer), entrevistada por Renato Gross, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, julho de 2015.
  15. Odailson Fonseca, ed., Associação Sul Rio-Grandense – 100 anos de Fé, Pioneirismo e Ação (Porto Alegre, RS: Associação Sul-Rio-Grandense da IASD, s.d), 21.
  16. Colportor evangelista é um missionário que “desenvolve seu ministério adquirindo e vendendo ao público as publicações editadas e aprovadas pela Igreja, com o objetivo de transmitir a seus semelhantes o Evangelho eterno que traz salvação e bem-estar físico e espiritual.” Acessado em 30 de agosto, 2018, http://bit.ly/2J6tY1I.
  17. Manoel Rosa, Pioneiros do Sul (Taquara, RS: edição do autor, 2004), 26.
  18. Ibid.
  19. Alberto R. Timm, Igreja Adventista de Campo dos Quevedos 1905-2005 (Engenheiro Coelho, SP: Unaspress, 2005), 29.
  20. Ibid.
  21. Odailson Fonseca, ed., Associação Sul Rio-Grandense – 100 anos de Fé, Pioneirismo e Ação (Porto Alegre, RS: Associação Sul-Rio-Grandense da IASD, s.d), 25; J. W. Westphal, “A Conferencia do Estado Rio Grande do Sul,” Revista Trimensal 1, no. 3 (julho de 1906): 3-4; Isaias Dornelles, “Ecos da Bienal Riograndense,” Revista Adventista, junho de 1956, 12; Evelise Morais, “ASR realiza a 40ª Assembleia Quadrienal rumo ao centenário,” Revista Adventista, janeiro de 2003, 32.
  22. F. W. Spies, “Inauguração da capella em Porto Alegre,” Revista Mensal, março de 1913, 2.
  23. E. H. Wilcox, “União Sul Brasileira - notícias,” Revista Mensal, maio de 1934, 13.
  24. Ivan Schmidt, José Amador dos Reis: vida e obra (Porto Alegre, RS: Ritter dos Reis Instiute, 1970), 8.
  25. Ibid., 50.
  26. André Marcos Pasini, Memorial do Instituto Adventista Cruzeiro do Sul (São Paulo, SP: Centro Nacional da Memória Adventista, Instituto Adventista de Ensino, 1988), 14.
  27. Aparecida H. T. Macedo, Do sonho à realidade: história de uma luz que nunca se apagou (Taquara, RS: Instituto Adventista Cruzeiro do Sul, 1999), 57; Odailson Fonseca, ed., Associação Sul Rio-Grandense – 100 anos de Fé, Pioneirismo e Ação (Porto Alegre, RS: Associação Sul-Rio-Grandense da IASD, s.d), 46.
  28. Odailson Fonseca, ed., Associação Sul Rio-Grandense – 100 anos de Fé, Pioneirismo e Ação (Porto Alegre, RS: Associação Sul-Rio-Grandense da IASD, s.d), 45.
  29. Ibid., 49.
  30. Aparecida H. T. Macedo, Do sonho à realidade: história de uma luz que nunca se apagou (Taquara, RS: Instituto Adventista Cruzeiro do Sul, 1999), 161.
  31. Ibid.
  32. F. Greenleaf, Terra da esperança: o crescimento da Igreja Adventista na América do Sul (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2011), 520.
  33. Renato Emir Oberg, “Conferências no tabernáculo,” Revista Adventista, agosto de 1950, 11-12.
  34. “Rio Grande do Sul Conference [Associação Sul-Rio-Grandense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1956), 150.
  35. “Rio Grande do Sul Conference [Associação Sul-Rio-Grandense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1965-1966), 208.
  36. Joel Camacho, “Associação Sul-Rio-Grandense Inaugura Nova Sede,” Revista Adventista, setembro de 1971, 21.
  37. Odailson Fonseca, ed., Associação Sul Rio-Grandense – 100 anos de Fé, Pioneirismo e Ação (Porto Alegre, RS: Associação Sul-Rio-Grandense da IASD, s.d), 53, 54, 57.
  38. Ibid., 70.
  39. Ibid., 56-57.
  40. “Rio Grande do Sul Conference [Associação Sul-Rio-Grandense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 1997), 265.
  41. “Rio Grande do Sul Conference [Associação Sul-Rio-Grandense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 1996), 290.
  42. Odailson Fonseca, ed., Associação Sul Rio-Grandense – 100 anos de Fé, Pioneirismo e Ação (Porto Alegre, RS: Associação Sul-Rio-Grandense da IASD, s.d), 54.
  43. “Ata da 1ª Assembleia Ordinária Denominacional da ACSR,” Artigo XV, cláusula 1, Regulamento Interno da Associação Central Sul Rio-grandense da Igreja Adventista do Sétimo Dia (Porto Alegre, RS, s.d), 14-15.
  44. “Rio Grande do Sul Conference [Associação Sul-Rio-Grandense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 2008), 281; “Central Rio Grande do Sul Conference [Associação Central Sul-Rio-Grandense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 2008), 279.
  45. Formulário preenchido por Luvercy Ferreira, janeiro de 2017.
  46. Ata da Divisão Sul-Americana, voto nº 2017-217; Ata da União Sul Brasileira, voto nº 2017-124; Ata da União Sul Brasileira, voto nº 2017-170.
  47. Central Rio Grande do Sul Conference [Associação Central Sul-Rio-Grandense], in Seventh-day Adventist Online Yearbook, “Rio Grande do Sul Conference [Associação Sul-Rio-Grandense],” acessado em 8 de agosto, 2019, http://bit.ly/2JK6Fwr.
  48. North Rio Grande do Sul Mission [Missão Norte Sul-Rio-Grandense], in Seventh-day Adventist Online Yearbook, “Rio Grande do Sul Conference [Associação Sul-Rio-Grandense],” acessado em 8 de agosto, 2019, http://bit.ly/2ONxg03.
  49. Rio Grande do Sul Conference [Associação Sul-Rio-Grandense], in Seventh-day Adventist Online Yearbook, “Rio Grande do Sul Conference [Associação Sul-Rio-Grandense],” acessado em 8 de agosto, 2019, http://bit.ly/33omMHB.
  50. Ata da Associação Sul-Rio-Grandense, voto nº 2018-270, 5 de dezembro, 2018.
  51. Odailson Fonseca, ed., Associação Sul Rio-Grandense – 100 anos de Fé, Pioneirismo e Ação (Porto Alegre, RS: Associação Sul-Rio-Grandense da IASD, s.d), 58.
  52. Ibid., 23; Emanuele Fonseca, “Associação Sul rio-grandense elege novo presidente,” Notícias Adventistas, 25 de novembro, 2019, acessado em 10 de dezembro, 2019, http://bit.ly/36l3Ji9; “Rio Grande Conference [Associação Sul-Rio-Grandense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1907), 95; “Rio Grande do Sul Conference [Associação Sul-Rio-Grandense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Nampa, ID.: Pacific Press Publishing Association, 2018), 254. Para uma visão mais detalhada sobre todos os presidentes, secretário e tesoureiros da Associação Sul-Rio-Grandense, ver os yearbooks [anuários] da Igreja Adventista do Sétimo Dia de 1907 a 2018.
  53. Para mais informações sobre a Associação Sul-Rio-Grandense, acesse o site: asp.org.br, ou as mídias sociais – Facebook: @centralparanaense, Twitter: @iasdacp e Youtube: Associação Sul-rio-grandense da IASD.

 

×

Gross, Renato. "Rio Grande do Sul Conference." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. June 07, 2021. Accessed June 18, 2024. https://encyclopedia.adventist.org/article?id=7GEV.

Gross, Renato. "Rio Grande do Sul Conference." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. June 07, 2021. Date of access June 18, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=7GEV.

Gross, Renato (2021, June 07). Rio Grande do Sul Conference. Encyclopedia of Seventh-day Adventists. Retrieved June 18, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=7GEV.