View All Photos

Piauí Mission headquarters.

Photo courtesy of Piauí Mission Archives.

Missão Piauiense

By Rodolfo Figueiredo de Sousa

×

Rodolfo Figueiredo de Sousa lives in the State of Goiás, Brazil. He holds a degree in theology, languages and history from Brazil Adventist University. For a time he served as a writing assistant on the editorial team of the Encyclopedia of Seventh-day Adventists at the South American Division.

First Published: July 5, 2021

A Missão Piauiense (MPi) é uma unidade administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD), localizada no território da União Noroeste. Está sediada na Rua Acésio do Rêgo Monteiro, nº 1977, CEP 64049-610, bairro Planalto Ininga, na cidade de Teresina, no estado do Piauí, Brasil.

O estado do Piauí tem 251.616.823 km² e uma população estimada de 3.264.531 pessoas.1 Entre elas, há 19.899 membros adventistas batizados, distribuídos em 94 igrejas,2 o que corresponde à média de um adventista por 164 habitantes. A Igreja no Piauí possui 127 clubes de Desbravadores,3 com 3.145 membros, e mais 56 clubes de Aventureiros,4 com 1.105 membros.

A equipe da MPi conta com 50 servidores, dos quais 15 são credenciados e nove são ministros licenciados; os restantes são obreiros, dos quais 16 são credenciados e 10 são licenciados.6

Origem da Obra Adventista no Território da Missão

Em geral, os estados do nordeste do Brasil possuem grandes extensões territoriais, todos banhados pelo Oceano Atlântico. Os habitantes da região têm suas raízes históricas na cultura indígena, nos povos africanos e no forte catolicismo que penetrou nessas terras.7  A região tem a maior proporção de católicos do país até hoje.8 Devido a dificuldades geopolíticas, ali existem os maiores índices de analfabetismo e os menores índices de urbanização e expectativa de vida no país.9 Esses fatores levaram muitos a considerar a região nordeste como a "Janela 10/40" no Brasil.10 Há muitos desafios para a pregação do Evangelho nessa região.

Na década de 1920, o território da Associação Norte Brasileira era formado pelos estados da Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Ceará, Maranhão, Amazonas e Goiás. O estado do Piauí, administrativamente, estava entre esses cinco campos da União do Norte Brasileira,11 mas naquela época, assim como os estados do Amazonas, Ceará, Maranhão e Pará, permaneceu sem a presença oficial de organizações adventistas (igrejas, hospitais, escolas).12

Um fator indispensável para o desenvolvimento do adventismo nesse contexto foi o trabalho dos colportores.13 Foi dito sobre o trabalho deles naquela região que, "nem a seca, nem pessoas áridas e inóspitas, nem o preconceito, nem a falta de conforto que muitos deles têm que enfrentar, os detém em seu desejo de conquistar aquelas terras para Cristo, através da página impressa."14 As pessoas a quem eles alcançavam eram convidadas a participar de congressos e conferências, e assim a Igreja Adventista estava se fortalecendo na região.15

Tanto quanto sabemos, a mensagem adventista foi pregada pela primeira vez no estado do Piauí em 2 de outubro de 1949. O Pastor Gustavo S. Storch, que presidiu a Missão Costa Norte (Ceará, Piauí e Maranhão) de 1948 a 1955,16 realizou uma série de reuniões intitulada "Cruzada Nacional das Boas Novas". As reuniões aconteceram de 2 de outubro a 31 de dezembro de 1949, em um cinema desativado em frente à Praça Rio Branco, na cidade de Teresina, capital do estado do Piauí.17

Além do Pastor Gustavo Storch e sua esposa, as reuniões foram apoiadas pelos pastores Emery Cohen e F. C. Pritchard, juntamente com suas esposas. Foi o Pastor Pritchard quem substituiu o Pastor Leo Blair Halliwell no comando do barco "Luzeiro I"18 (1942-1948). Em 10 de dezembro de 1949, realizou-se no Piauí a primeira cerimônia batismal adventista. A cerimônia foi realizada às margens do rio Parnaíba e marcou a entrada de 31 membros para a Igreja Adventista. O segundo batismo ocorreu em 31 de dezembro do mesmo ano, quando 23 pessoas testemunharam publicamente sua entrega a Cristo. Ambos os batismos foram oficializados pelo Pastor Storch. Ao final das conferências, o Pastor Pritchard assumiu o comando do Luzeiro III, como seu primeiro capitão (1950-1951). Mês após mês, ele e sua família retornaram à cidade de Teresina para servir os necessitados em seu barco.19

Os dois meses seguintes foram de grande perseguição. Um padre local, percebendo o grande número de pessoas que deixaram as missas, iniciou uma forte campanha contra as reuniões adventistas. Finalmente, o Pastor Storch - que não estava mais acompanhado dos pastores Cohen e Pritchard - teve que ser escoltado pela polícia devido às persistentes ameaças. 20

Nos dias seguintes, o Pastor Storch foi desafiado a participar de um debate público diante de cinco mil pessoas, mas foi impedido de sair de casa pela polícia. Foi então que, de sua residência, ele enviou uma mensagem à liderança religiosa que se opunha ao seu trabalho, com a seguinte proposta: "[...] sugiro que aluguemos o teatro da cidade por três noites consecutivas, [...] para [...] resolver nossa controvérsia amigavelmente à luz da Bíblia Sagrada. [...] meia hora o orador católico fala e meia hora eu falo, alternadamente... e que somente a Bíblia Católica seja usada para este fim [...]." Ao receber a carta, o interlocutor a leu publicamente e, após consultar os sacerdotes presentes, respondeu que não podia aceitar a proposta, pois a doutrina que defendia não se baseava apenas na Bíblia, mas também na tradição. A multidão se dispersou e o pastor pôde continuar o seu trabalho. Com o passar do tempo, novos conversos foram batizados, e foram construídos um templo e uma escola.21

O primeiro lugar de adoração dos novos 54 guardadores do sábado foi um salão na Rua Desembargador Freitas, na esquina da com a Rua David Caldas. Ali, eles se reuniram entre janeiro e março de 1950, enquanto a primeira Igreja Adventista do Sétimo Dia de Teresina estava sendo construída na Rua Areolino de Abreu, nº 1510, no centro-sul da cidade.

Em 1955, a Igreja Adventista de Teresina, a última capital do Brasil a ser evangelizada na época, realizou 111 batismos. A Escola Sabatina tinha 103 membros inscritos e todos os alvos da recolta sugeridos pela Missão Costa Norte foram superados.22 O ano de 1957 trouxe consigo o 50º aniversário dos Missionários Voluntários.23 Em comemoração, a MCN realizou um grande Congresso da Juventude na cidade de Caxias, estado do Maranhão. Uma comitiva de 25 jovens do Piauí esteve presente, onde puderam apresentar os avanços da obra de Deus por meio da juventude de sua igreja.24

Naquela época, o Brasil dobrava sua população a cada 25 anos, mas na realidade do Nordeste, era comum que os casais tivessem em média sete filhos.25 Devido à grande quantidade de filhos, o Pastor Donald J. Sandstrom, então líder dos MVs da Missão Costa Norte, organizou vários eventos da Escola Cristã de Férias para Crianças26. Ele reuniu e instruiu professores e membros leigos da Igreja Adventista em Teresina. O projeto recebeu muitas crianças, e mais da metade delas não provinha de lares adventistas.27

Como resultado, vários alunos frequentaram a Escola Sabatina e muitos outros se matricularam na escola adventista da região na época. Os colportores também relataram que as famílias beneficiadas pela Escola Cristã de Férias receberam livros adventistas sem preconceito religioso. Esse projeto foi replicado com sucesso simultaneamente nas cidades de Fortaleza e São Luiz, as capitais dos estados do Ceará e Maranhão, respectivamente. 28

Em maio de 1962, grandes congressos MV foram realizados no território da MCN, sob a liderança do Pastor Francisco N. Siqueira da Divisão Sul-Americana (DSA), e do líder departamental MV do campo, o Pastor Melvin Northrup. Houve vários batismos, palestras sobre problemas sociais e ensino da Bíblia.29

A cidade de Teresina também contou com a transmissão do programa de rádio A Voz da Profecia como um meio de evangelização. As transmissões eram realizadas na Rádio Teresina, aos domingos, às 18h30.30 Em 1965, a igreja de Teresina foi ampliada, recebeu um tanque de batismo e foi novamente dedicada a Deus. Como parte do programa, 15 obreiros leigos foram solenemente consagrados para o trabalho missionário.31 Este também foi o ano do primeiro acampamento MV do Piauí, quando mais de 70 jovens se reuniram durante três dias de recreação.32

A obra de Deus continuou avançando e, ao mesmo tempo, houve vários congressos sobre evangelismo infantil, Escola Sabatina e rádio. Um dos objetivos era preparar os membros para o trabalho com as crianças e jovens. Em uma edição realizada na cidade de São Luís, Maranhão, 15 jovens receberam um prêmio especial em reconhecimento a seus esforços de preparação para o trabalho missionário, ocasião em que houve também o batismo de 33 pessoas.33 No ano seguinte (1966), cinco eventos da Escola Cristã de Férias aconteceram em todo o campo da MCN. Em Teresina, o bairro escolhido foi o de Santa Fé. O plano era de receber 100 crianças; no entanto, a frequência média era entre 115 e 125 crianças por dia. Foi o maior evangelismo infantil realizado até aquele ano.34

Em 1972, a Missão Costa Norte tinha mais de cem pontos de pregação, dos quais 25 ficavam na capital do estado do Piauí.35 Teresina é um ponto de evangelismo estratégico devido à sua geografia. A cidade faz fronteira com o estado do Maranhão, o que atrai pessoas de todos os lugares. Em 1973, outra campanha evangelística foi realizada na cidade pela equipe do programa A Voz da Profecia.36 Essa série de reuniões se estendeu até 1974, quando teve uma audiência de 1.200 espectadores. O auditório onde o programa foi realizado estava lotado, com a presença dos alunos da escola radiopostal37 e dos ouvintes do programa. Essas pessoas foram visitadas diariamente por uma equipe de obreiros locais e, como resultado desse trabalho, mais de 100 pessoas foram batizadas.38

Com o tempo, notou-se que muitos irmãos não frequentavam mais os cultos e a Escola de Sabatina. Foi então que o Dr. Hosea Florencio, médico de Teresina e diretor das Escolas Sabatinas locais, realizou uma pesquisa e descobriu que o motivo da frequência inconstante era, em grande parte, a distância da igreja e a falta de recursos para a locomoção até o local. O Dr. Florêncio decidiu comprar uma casa e a transformou em uma igreja, onde 65 pessoas começaram a frequentar os cultos.39 Ainda em 1974, foram realizadas conferências públicas com a presença do quarteto Arautos do Rei. Na primeira reunião, foram entregues mil certificados da escola radiopostal e 150 pessoas aceitaram o batismo.40

Outra iniciativa missionária realizada em Teresina foi o Congresso intitulado "Bíblias Abertas". O evento aconteceu nos dias 26 e 27 de março de 1976. Na ocasião, jovens foram distribuídos em equipes a fim de realizar diversas atividades, entre elas, a entrega de rosas ao hospital local com mensagens de conforto aos pacientes. As ações dos grupos de jovens foram noticiadas pelos principais jornais do estado do Piauí e do Brasil.41

Após esse período de bênçãos, a região nordeste passou por uma longa estação de seca, uma das maiores do século 20, que durou sete anos (1979-1986). A seca prolongada deixou um rastro de miséria e fome, atingindo todas as classes sociais: os ricos com terras improdutivas e os pobres com desemprego crônico.42 Em 1981, cerca de 1.200 municípios declararam estado de emergência. Em resposta, o governo estadual preparou um programa de emergência para empregar 1 milhão de nordestinos para a construção de barragens com salários de CR$ 15.300,00 por mês. Mas nada parecia reduzir o sofrimento dos 20 milhões de miseráveis que sofriam de sede e desnutrição.43

Em meio a essa calamidade, o presidente da Missão Costa Norte, Pastor Dorvalino R. Souza, fez um apelo na Revista Adventista em nome dos estados atingidos pela seca. Segundo ele, as represas "começaram a secar de um dia para o outro" e os reservatórios, ou estavam "completamente secos", ou tinham "um resquício de água contaminada condenada devido a condições insalubres". Ele também relatou que existiam "famílias com crianças sem nada para comer. Algumas morreram, outras estão a caminho da morte, doentes, desnutridas e necessitadas de água potável."44

Aqueles que ainda possuíam recursos venderam o que tinham e foram para os estados do Maranhão, Pará, São Paulo e Rio de Janeiro. A Assistência Social Adventista atendeu às pessoas afetadas pela seca na medida dos recursos disponíveis. Mas, como relatado, "o desespero causado pela falta de água e alimentos, bem como pelo desemprego, aumentava cada vez mais as invasões ao comércio, às casas de abastecimento do governo, enquanto os mais desesperados tentavam o suicídio." A igreja realizou uma intensa campanha para ajudar as vítimas. A União Norte e a Divisão Sul-Americana estavam ajudando a MCN com parte dos recursos emergenciais.45

A situação começou a melhorar no final de 1984. Naquele ano, a Igreja Adventista promoveu um curso de oratória para pregadores voluntários na Igreja Central de Teresina.46 No ano seguinte, entre 30 de maio e 2 de junho de 1985, foi realizado um congresso da Escola Sabatina na capital do estado, Teresina. Já em 1988, a Divisão Sul-Americana realizou um censo do número de adventistas nas maiores cidades do Brasil. A cidade de Teresina ficou em 23º lugar, com média de um adventista por 402 habitantes. Quanto ao número de membros batizados, a cidade foi classificada em 20º lugar, com 1.473 membros.47 Ainda em 1988, o estado do Maranhão foi desmembrado da MCN para formar a Missão Maranhense.48

Em 1994, o "Prisma 2000" foi colocado em prática, um projeto da Igreja Adventista voltado para o testemunho de jovens (entre 16 e 30 anos) em vários estados brasileiros. A sede das igrejas distritais era responsável por receber e alimentar voluntários, que recebiam treinamento e materiais para evangelismo. O estado do Piauí tinha três lugares para receber as equipes em Teresina, três em Parnaíba e mais um ponto na cidade de Picos.49

Durante o ano de 1996, em Teresina, 20 igrejas participaram de um projeto de evangelismo, e o programa de televisão Está Escrito50 desempenhou papel importante para alcançar maior aceitação do público-alvo. Foram distribuídos cinco mil convites para assistir ao programa e as revistas Paz na Tempestade, com o logotipo do programa e o endereço da Igreja Adventista Central de Teresina.51 O programa foi realizado no Centro de Convenções de Teresina e recebeu 600 pessoas durante as duas noites. Além das apresentações musicais, houve também a pregação. O tema do encontro foi: "Dê uma chance". Ao final, os organizadores contaram 160 pedidos por estudos bíblicos.52

Em agradecimento pelos grandes feitos de Deus ao longo desses anos, a igreja organizou o Jubileu da Fé, na cidade de Teresina. O Jubileu foi realizado em 19 de maio de 1999, com o título "Rumo à Eternidade". O evento aconteceu no Yacht Club de Teresina,53 e contou com a presença do Pastor Alejandro Bullón, que foi acompanhado pelo Pastor Williams Costa Junior e pela cantora Sonete Costa. De 24 a 26 de setembro, foi realizado um grande congresso no Ginásio Dirceu Arcoverde (conhecido como Verdão),54 com a presença do Pastor Erton Boechat. E no final do ano, encerrando as atividades do Jubileu da Fé, houve uma celebração na IASD Central de Teresina, entre 8 e 11 de dezembro, com muitas apresentações especiais.55

Em 2011, a Missão Costa Norte teve seu status alterado para Associação Costa Norte.56 Logo depois, o estado do Piauí foi separado dessa associação para formar a Missão Piauiense, em 2015,57 e o antigo nome Associação Costa Norte foi mudado para Associação Cearense (ACe).58

História Organizacional da Missão

Com o objetivo de fazer avançar o Evangelho em solo piauiense, a organização da Missão Piauiense (MPi) foi proposta e votada em uma assembleia extraordinária, em 24 de maio de 2015.59 Em 17 de novembro do mesmo ano, foi realizada a Assembleia de Instalação da Missão Piauiense. Os administradores60 e líderes de departamentos foram nomeados.61 O local da sede foi alugado na Rua Acésio do Rêgo Monteiro, nº 1977, no bairro do Planalto Ininga, cidade de Teresina, onde se encontra até hoje. Desde sua organização até os dias de hoje, a Missão Piauiense tem como objetivo declarado "fazer discípulos através da comunhão, relacionamento e missão."62

Conhecida como um forte refúgio de tradições religiosas, a cidade de Teresina é um desafio a longo prazo para a Igreja Adventista, que tem gradualmente alcançado bons resultados.63 Muitos batismos são o resultado de três grandes movimentos evangelísticos da Igreja Adventista, que também são realizados a nível local: o Evangelismo da Semana Santa, o Evangelismo da Primavera e o Impacto da Esperança.64 O Evangelismo da Semana Santa65 é realizado de novembro do ano anterior até a Semana Santa do ano seguinte (abril). O Evangelismo da Primavera66 ocorre a partir do final da Semana Santa até setembro. Na primavera, as classes bíblicas do Ministério Jovem, clubes de Desbravadores e clubes de Aventureiros, que preparam jovens e adolescentes para o batismo, são acrescentadas. O resultado de todo este esforço ocorre em programas chamados "Semanas de Colheita", que procuram levar os estudantes da Bíblia a tomar uma decisão.

As sementes plantadas nessa trajetória evangelística incluem projetos como o Impacto da Esperança,67 através do qual cerca de 200 mil livros missionários são distribuídos por ano. Cada adventista é encorajado a entregar os livros durante um dia especial em maio.68 A Terra de Esperança é outro projeto da MPi, que busca voluntários dispostos a deixar sua cidade natal para viver em municípios onde a presença adventista precisa ser estabelecida. O projeto visa realizar, em poucos anos, o que as gerações anteriores de adventistas não foram capazes de realizar ao longo de décadas. Graças a esse trabalho, mais de 50 cidades foram atingidas em cinco anos.69

As iniciativas missionárias continuam em andamento. Em 2018, um Centro de Influência da Igreja Adventista foi inaugurado em Teresina. Os voluntários oferecem vários serviços gratuitos à comunidade para promover seu bem-estar, como oficinas de música, idiomas, culinária saudável, prática esportiva e consultoria. O centro está estrategicamente localizado em uma área nobre da cidade e atende à população característica dos grandes centros.70 No mesmo local, reúne-se um grupo de 12 jovens vindos de diferentes partes do estado, que estão inscritos no projeto Um Ano em Missão.71 O programa anual geralmente recruta estudantes universitários a fim de passarem por uma experiência de serviço voluntário, testemunhando o amor de Cristo e levando esperança aos necessitados. Primeiro, é feita uma pesquisa comunitária a fim de conhecer melhor suas necessidades. Depois, o projeto procura atendê-los da melhor maneira possível.72

Mesmo em um contexto de sucesso missionário, a Igreja no Piauí tem enfrentado desafios devido ao número insuficiente de obreiros para atender à vastidão de seu campo missionário. Essa insuficiência tem sido um obstáculo ao progresso da obra e, portanto, o campo tem desenvolvido estratégias que cada vez mais incentivam o voluntariado. Outro desafio é que o campo ainda não alcançou sua autonomia financeira. Ainda assim, há uma necessidade constante de adquirir terrenos, construir igrejas e investir em projetos evangelísticos, o que mostra que, mesmo diante desses desafios, a Igreja está se desenvolvendo no Piauí. Para os próximos anos, a meta da MPi é aumentar em 50% os recursos, para que seus projetos funcionem adequadamente.73

Outro desafio é que a área metropolitana da cidade de Teresina ainda tem 63 bairros sem a presença da Igreja Adventista, o que também é uma realidade em 136 municípios do estado. Diante dessa realidade, a liderança da MPi está dando prioridade aos bairros de Teresina, por duas razões principais: sua grande população e a proximidade de igrejas que servirão de apoio para o estabelecimento das novas congregações. Apesar das dificuldades, entre 2016 e 2018, 6.896 pessoas foram batizadas em todo o estado.74 No entanto, ainda existe o desafio de evitar a apostasia. Os números mostram que há algo a ser feito para reverter esse quadro. Com o apoio e incentivo da União Nordeste Brasileira, a MPi está estabelecendo novos planos evangelísticos para tentar responder a essa demanda.75

Com relação à expansão das frentes missionárias, para o futuro, a liderança da MPi pretende adquirir terrenos para a construção da primeira escola adventista do Piauí, na cidade de Teresina. O estado do Piauí é o único do Nordeste que não possui uma instituição da rede educacional adventista. A criação dessa escola será um ganho para a educação das crianças das famílias cristãs e para a comunidade em geral, dando projeção à Igreja Adventista na cidade, bem como preparando futuros líderes para a denominação.76

Outro plano futuro é a aquisição de um terreno para a construção de uma sede própria para a Missão Piauiense. No momento, a unidade administrativa está localizada em um edifício alugado e há limitações de espaço para a execução de todas as suas atribuições. Também é necessário reformar e ampliar a Igreja Central de Teresina – a igreja sede do campo. Ela já tem 68 anos e está em uma localização privilegiada na capital, Teresina. Finalmente, está prevista a inauguração de cinco novos distritos no próximo quadriênio: quatro deles na capital ou na área metropolitana, onde 33% da população do estado está localizada, e um distrito no campo, para servir facilmente à congregação.77

Ao longo da sua trajetória, os membros e líderes da Missão Piauiense adquiriram importantes experiências que podem servir como um aprendizado para os futuros empreendimentos da Igreja na região, bem como lições a serem transmitidas às próximas gerações de líderes. Uma delas é que a implantação acelerada das igrejas evidenciou uma falta de líderes, o que dificultou a consolidação da obra em muitos lugares. A grande lição aprendida com esse processo é que o compromisso de construir edifícios deve ser seguido pelo compromisso de formar novos líderes, já que ambos são recursos necessários para a consolidação das congregações.78

Cronologia dos Diretores Admnistrativos79

Presidentes: Onildo Lopes de Oliveira (2016-atual).

Secretários: Nilton Lima de Souza (2016-atual).

Tesoureiros: Marconiel Correia Mattos (2016-atual).80

Referências

“A Voz da Profecia.” Revista Adventista, abril de 1964.

Atas da Assembleia de Instalação da Missão Piauí, 17 de novembro de 2015, voto nº 2015 – 002.

Atas da Assembleia de Instalação da Missão Piauí, 17 de novembro de 2015, voto nº 2015 – 003.

Atas da Associação Costa Norte, 24 de maio de 2015.

Atas da Divisão Sul-Americana, dezembro de 1936, voto nº 4682.

Barreto, Orlando S. “Grande Congresso Bodas de Ouro na Missão Costa Norte.” Revista Adventista 52, nº 11 (novembro de 1957).

Barreto, Orlando S. “Notícias de Teresina.” Revista Adventista 50, nº 10 (outubro de 1955).

Coimbra, Bruna. “Centro de Influência é inaugurado em Teresina.” Notícias Adventistas (Online), 10 de abril de 2018.

“Comunicação DSA.” Revista Adventista, janeiro de 1991.

“Em busca de uma chance.” Revista Adventista, fevereiro de 1997.

Ferreira, Marise Maria, Censo Demográfico 2010: Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência. Rio de Janeiro, RJ: IBGE, 2010.

Fonseca, Alexandre Brasil. “Muito Além do Sábado: O Pioneirismo Adventista na Mídia Eletrônica Religiosa.” Revista de Estudos da Religião – REVER, ano 08 (setembro de 2008).

Freitas, F. V. “Grande Reavivamento em Teresina.” Revista Adventista 63, nº 3 (março de 1965).

Freitas, F. V. “Primeiro Acampamento MV do Piauí.” Revista Adventista 60, nº 7 (julho de 1965).

Greenleaf, Floyd. Terra da esperança: o crescimento da Igreja Adventista na América do Sul. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2011.

José, Francisco. “Seca no Nordeste (1983)” (video). O vídeo diário de uma família do interior em uma região devastada pela seca no interior de Pernambuco, Jornal Nacional, 8 de agosto de 1983. Acessado em 15 de janeiro de 2020, https://bit.ly/2NtYzJP.

Lemos, Felipe. “De Olho em 2016.” Revista Adventista 110, nº 1298 (junho de 2015).

Luzeiro, https://www.luzeiro.zrg/.

Machado, Paulo Henrique Couto, As trilhas da morte: extermínio e espoliação das nações indígenas na região da bacia hidrográfica parnaibana piauiense. Teresina, PI: Corisco, 2002.

Melo, Diógenes S. “As Crianças – Uma Bênção.” Revista Adventista 61, nº 7 (junho de 1966).

Melo, Diógenes S. “Congressos – Relâmpago.” Revista Adventista 60, nº 9 (setembro de 1965).

“Metropolitana Ateniense.” Revista Adventista, setembro de 1984.

Nascimento, Rubervam do. “O MV É Notícia.” Revista Adventista 71, nº 5 (maio de 1976).

Ministérios dos Desbravadores e Aventureiros https://clubes.adventistas.org/br/.

Piauí. Censo Demográfico 2018. População estimada. IBGE, acessado em 29 de outubro de 2019, https://bit.ly/2sLz9Qo.

“Prisma 2000.” Revista Adventista, maio de 1994.

Sandstrom, Donald J. “Escolas de Férias.” Revista Adventista 54, nº 7 (julho de 1959).

Santana, Heron. “A ‘Janela 10/40’ brasileira.” Revista Adventista 105, nº 1220 (janeiro de 2010).

Santana, Heron. “Um Líder que Tem Pressa.” Revista Adventista 113, nº 1339 (novembro de 2018).

Sarli, Wilson. “Colportores da União Norte Brasileira em Marcha.” Revista Adventista 75, nº 3 (fevereiro de 1980).

Portal da Igreja Adventista do Sétimo Dia,  https://www.adventistas.org/pt/.

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD]. https://www.adventistyearbook.org/.

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD]. Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, vários anos.

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD9. Nampa, ID.: Pacific Press Publishing Association, 2017 e 2018.

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD]. Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, vários anos.

Silva, Nelson do Valle, e Maria Ligia de O. Barbosa. “População e Estatísticas Vitais.” In Estatísticas do Século XX, n/ed. Rio de Janeiro, RJ: IBGE, 2006.

Souza, Dorvalino R. “Estendam-nos a Outra Mão!” Revista Adventista 78, nº 10 (outubro de 1983).

Stancher, Clélia S. “Congressos M. V. na Missão Costa Norte.” Revista Adventista 27, nº 11 (novembro de 1962).

Storch, Gustavo S. “Resultado das Conferências em Teresina.” Revista Adventista 44, nº 2 (fevereiro de 1950).

Storch, Gustavo S. “Vitórias e Derrotas no Evangelismo Público.” Revista Adventista 66, nº 7 (julho de 1971).

“Uniões e Instituições.” Revista Adventista, agosto de 1972.

“Uniões e Instituições.” Revista Adventista, junho de 1973.

“Uniões e Instituições.” Revista Adventista, maio de 1974.

“Uniões e Instituições.” Revista Adventista, junho de 1974.

“Uniões e Instituições.” Revista Adventista, julho de 1974.

Villa, Marco Antonio. Vida e Morte no Sertão: história das secas no Nordeste nos séculos XIX e XX. São Paulo, SP: Ática, 2000.

Notas de fim

  1. Censo Demográfico 2018, Piauí, nível geográfico do Piauí (PI) - 26, população estimada, IBGE, acessado em 29 de julho de 2019, https://bit.ly/2sLz9Qo.
  2. Seventh-day Adventist Online Yearbook [Anuário da IASD], Piaui Mission [Missão Piauiense], acessado em 29 de julho de 2019, https://bit.ly/2QtxbNQ.
  3. O Clube dos Desbravadores é composto de “meninos e meninas com idades entre 10 e 15 anos, de diferentes classes sociais, cor, religião. Reúnem-se, em geral, uma vez por semana para aprender a desenvolver talentos, habilidades, percepções e o gosto pela natureza.” Esses meninos e meninas “vibram com atividades ao ar livre. Gostam de acampamentos, caminhadas, escaladas, explorações nas matas e cavernas. Sabem cozinhar ao ar livre, fazendo fogo sem fósforo. Demonstram habilidade com a disciplina através de ordem unida e têm a criatividade despertada pelas artes manuais. Combatem, também, o uso do fumo, álcool e drogas.” Site da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Quem somos,” acessado em 9 de outubro de 2019, http://bit.ly/2HRpvRi.
  4. O Clube dos Aventureiros é um programa específico para crianças de 6 a 9 anos, criado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia em 1972. Nos encontros, crianças realizam atividades com foco no desenvolvimento físico, mental e espiritual. Site da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Aventureiros,” acessado em 4 de fevereiro de 2020, https://www.adventistas.org/pt/aventureiros/sobre-nos/.
  5. Ministérios dos Desbravadores e dos Aventureiros da MPi, “Estatísticas – Missão Piauiense,” acessado em 21 de janeiro de 2020, https://clubes.adventistas.org/br/uneb/mpi/.
  6. Carolina Vaz (Secretária assistente da Missão Piauiense), mensagem de e-mail para o autor, 28 de junho de 2019.
  7. Paulo Henrique Couto Machado, As trilhas da morte: extermínio e espoliação das nações indígenas na região da bacia hidrográfica parnaibana piauiense, Teresina, PI: Corisco, 2002, 57.
  8. Marise Maria Ferreira, Censo Demográfico 2010: Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência, Rio de Janeiro, RJ: IBGE, 2010, 91, 94.
  9. Nelson do Valle Silva e Maria Ligia de O. Barbosa, “População e Estatísticas Vitais,” in Estatísticas do Século XX, s/ed. (Rio de Janeiro, RJ: IBGE, 2006), 49.
  10. “O conceito 'Janela 10/40' é geralmente usado para se referir a países entre 10 e 40 graus no norte da Linha do Equador. Essa região é distinguida por três elementos: (1) grande pobreza; (2) baixa qualidade de vida e (3) intolerância religiosa. No Brasil, a mensagem adventista levou cem anos para chegar a 900 dos 1794 municípios da região nordeste.” Heron Santana, “A “Janela 10/40” brasileira,” Revista Adventista, 105, nº 1220 (janeiro de 2010): 25.
  11. “East Brazil Union Mission [União Este Brasileira],” Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1921), 120.
  12. Floyd Greenleaf, Terra da esperança: o crescimento da Igreja Adventista na América do Sul (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2011), 170.
  13. O colportor evangelísta da Igreja Adventista do Sétimo Dia é um missionário que “desenvolve seu ministério adquirindo e vendendo ao público as publicações editadas e aprovadas pela Igreja, com o objetivo de transmitir a seus semelhantes o Evangelho eterno que traz salvação e bem-estar físico e espiritual.” Site da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Colportagem,” acessado em 30 de agosto de 2018, http://bit.ly/2J6tY1I.
  14. Wilson Sarli, “Colportores da União Norte Brasileira em Marcha,” Revista Adventista 75, nº 3 (fevereiro de 1980): 31.
  15. Gustavo S. Storch, “Resultado das Conferências em Terezina,” Revista Adventista 44, nº 2 (fevereiro de 1950): 11.
  16. “North Coast Mission [Missão Costa Norte],” Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1948), 165; “North Coast Mission [Missão Costa Norte],” Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1956), 149.
  17. Carolina Vaz (Secretária assistente da Missão Piauiense), mensagem de e-mail para o autor, 28 de junho de 2019.
  18. “O primeiro Barco Missionário Luzeiro foi inaugurado em julho de 1931 pelo casal Leo e Jessie Halliwell, com o objetivo de levar instrução sobre saúde e assistência médica e odontológica gratuita para a população ribeirinha da Amazônia. [...] Durante esses 80 anos, milhares de pessoas foram diretamente beneficiadas pelo apoio proporcionado pelos barcos. Em muitos casos, essa era a única forma dessas pessoas obterem alguma assistência médica e odontológica.” Luzeiro, “História,” acessado em 22 de janeiro de 2020, https://www.luzeiro.org/.
  19. Carolina Vaz (Secretária assistente da Missão Piauiense), mensagem de e-mail para o autor, 28 de junho de 2019; “Luzeiro,” Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD] (Washington, D.C.: Review and Herald Publishing Association, 1943), 155; “Luzeiro I,” Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD] (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 2000), 549. Para mais detalhes sobre as lanchas missionárias, veja o artigo "Rolling Clinic" desta enciclopédia.
  20. Gustavo S. Storch, “Vitórias e Derrotas no Evangelismo Público,” Revista Adventista 66, nº 7 (julho de 1971): 12.
  21. Ibid., 13.
  22. Orlando S. Barreto, “Notícias de Teresina,” Revista Adventista 50, nº 10 (outubro de 1955): 12.
  23. A organização definitiva de um departamento de jovens [...] ocorreu apenas no Concílio da Associação Geral [...] de 1907. [...] No verão do mesmo ano, cerca de 200 obreiros se reuniram [...] para uma convenção de jovens a fim de escolher um nome para o departamento. O nome finalmente escolhido para o departamento foi “Departamento dos Missionários Voluntários dos Jovens Adventistas do Sétimo Dia” ou, simplesmente, Departamento M. V. Site da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Jovens - História” acessado em 15 de janeiro de 2020, https://bit.ly/2K1fnW5.
  24. Orlando S. Barreto, “Grande Congresso Bodas de Ouro na Missão Costa Norte,” Revista Adventista 52, nº 11 (novembro de 1957): 9.
  25. Nelson do Valle Silva e Maria Ligia de O. Barbosa, “População e Estatísticas Vitais,” in Estatísticas do Século XX, s/ed. (Rio de Janeiro, RJ: IBGE, 2006), 43.
  26. “A Escola Crista de Férias é um meio muito eficaz para evangelismo com as crianças. Elas são atraídas pelo programa alegre e diferenciado, cheio de atividades e de participação.” Site da Igreja Adventista do Sétimo Dia, Escola Cristã de Férias, acessado em 22 de janeiro de 2020, https://bit.ly/2ty0XIS.
  27. Donald J. Sandstrom, “Escolas de Férias,” Revista Adventista 54, nº 7 (julho de 1959): 25
  28. Ibid.
  29. Clélia S. Stancher, “Congressos M. V. na Missão Costa Norte,” Revista Adventista 27, nº 11 (novembro de 1962): 18.
  30. “A Voz da Profecia,” Revista Adventista, abril de 1964, 34.
  31. V. Freitas, “Grande Reavivamento em Teresina,” Revista Adventista 63, nº 3 (março de 1965): 16.
  32. V. Freitas, “Primeiro Acampamento MV do Piauí,” Revista Adventista 60, nº 7 (julho de 1965): 26.
  33. Diógenes S. Melo, “Congressos – Relâmpago,” Revista Adventista 60, nº 9 (setembro de 1965): 21.
  34. Diógenes S. Melo, “As Crianças – Uma Bênção,” Revista Adventista 61, nº 7 (julho de 1966): 24.
  35. “Uniões e Instituições,” Revista Adventista, agosto de 1972, 28.
  36. “Uniões e Instituições,” Revista Adventista, julho de 1973, 26.
  37. “A Escola Radiopostal servia para viabilizar o envio de lições dos alunos de cursos bíblicos e para responder as correspondências dos ouvintes.” Alexandre Brasil Fonseca, “Muito Além do Sábado: O Pionerismo Adventista na Mídia Eletrônica Religiosa,” Revista de Estudos da Religião – REVER, ano 08 (setembro de 2008): 96.
  38. “Uniões e Instituições,” Revista Adventista, maio de 1974, 24.
  39. “Uniões e Instituições,” Revista Adventista, junho de 1974, 32.
  40. “Uniões e Instituições,” Revista Adventista, julho de 1974, 25.
  41. Rubervam do Nascimento, “O MV É Notícia,” Revista Adventista 71, nº 5 (maio de 1976): 20.
  42. Marco Antonio Villa, Vida e Morte no Sertão: história das secas no Nordeste nos séculos XIX e XX, São Paulo, SP: Ática, 2000, 13.
  43. Francisco José, “Seca no Nordeste (1983).” O vídeo diário de uma família do interior em uma região devastada pela seca no interior de Pernambuco, Jornal Nacional, 8 de agosto de 1983. Acessado em 15 de janeiro de 2020, https://bit.ly/2NtYzJP.
  44. Dorvalino R. Souza, “Estendam-nos a Outra Mão!,” Revista Adventista 78, nº 10 (outubro de 1983): 20.
  45. Ibid.
  46. “Metropolitana Ateniense,” Revista Adventista, setembro de 1984, 27.
  47. “Comunicação DSA,” Revista Adventista, janeiro de 1991, 35.
  48. “Maranhão Mission [Missão Maranhense],” Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD] (Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 1989), 267.
  49. “Prisma 2000,” Revista Adventista, maio de 1994, 29.
  50. “O programa Está Escrito surgiu em 1956, tendo como fundador e orador o Pr. George Vandeman. É um programa mundial que espalha as boas novas sobre a vida, morte, ressurreição e a breve volta do nosso Senhor Jesus Cristo à Terra. Apresenta o Cristo Vivo que supre as necessidades mais profundas de todo ser humano. Hoje, o programa é transmitido em aproximadamente 100 países e em sete idiomas.” Está Escrito Brasil, acessado em 16 de janeiro de 2020, https://bit.ly/2QXxBMS.
  51. “Em busca de uma chance,” Revista Adventista, fevereiro de 1997, 22.
  52. Ibid.
  53. O Yacht Club de Teresina é localizado na Alameda Parnaíba, nº 444-Matinha, Teresina-PI.
  54. O Ginásio Dirceu Arcoverde (Verdão) é localizado na Rua Rui Barbosa - Centro (Sul), Teresina – PI.
  55. Carolina Vaz (Secretária assistente da Missão Piauiense), mensagem de e-mail para o autor, 28 de junho de 2019.
  56. “North Coast Conference [Associação Costa Norte],” Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD] (Hagerstown, MD.: Review and Herald Publishing Association, 2012), 295.
  57. “Piaui Mission [Missão Piauiense],” Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD] (Nampa, ID.: Pacific Press Publishing Association, 2017), 321.
  58. “Ceara Conference [Associação Cearenese],” Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD] (Nampa, ID.: Pacific Press Publishing Association, 2017), 320.
  59. Atas da Associação Costa Norte, 24 de maio de 2015.
  60. Atas da Assembleia de Instalação da Missão Piauí, 17 de novembro de 2015, voto nº 2015 - 002.
  61. Atas da Assembleia de Instalação da Missão Piauiense, 17 de novembro de 2015, voto nº 2015-003.
  62. Carolina Vaz (Secretária assistente da Missão Piauiense), mensagem de e-mail para o autor, 28 de junho de 2019.
  63. Felipe Lemos, “De Olho em 2016,” Revista Adventista 110, nº 1298 (junho de 2015): 28.
  64. Carolina Vaz (Secretária assistente da Missão Piauiense), mensagem de e-mail para o autor, 28 de junho de 2019.
  65. O evangelismo da colheita na Semana Santa é um momento muito especial para apresentar Jesus e a vida que encontramos nEle através da Palavra de Deus. O programa acontece na Igreja Adventista do Sétimo Dia desde 1970 e visa "lembrar o sacrifício, a morte e a ressurreição do Senhor Jesus Cristo em favor da humanidade.” Site da Igreja Adventista do Sétimo Dia, Evangelismo de Semana Santa, acessado em 7 de janeiro de 2020, https://bit.ly/2Y752hQ.
  66. “O Batismo da Primavera foi criado pelo Pastor Ademar Quint no Rio de Janeiro, e acontece anualmente nas igrejas. O objetivo é incentivar os adolescentes e jovens a se entregarem a Jesus. Em 2013, esse evento celebrou 50 anos, e mais de um milhão de pessoas já foram batizadas nessa data especial.” Site da Igreja Adventista do Sétimo Dia, Batismo da Primavera, acessado em 7 de janeiro de 2020, https://bit.ly/2s3e0RL.
  67. O Projeto Impacto Esperança incentiva a leitura e oferece grande distribuição anual de livros pelos Adventistas do Sétimo Dia no território da América do Sul. Site da Igreja Adventista do Sétimo Dia, Impacto Esperança, acessado em 18 de abril de 2019, https://bit.ly/34dZROO.
  68. Carolina Vaz (Secretária assistente da Missão Piauiense), mensagem de e-mail para o autor, 28 de junho de 2019.
  69. Heron Santana, “Um Líder que Tem Pressa,” Revista Adventista 113, nº 1339 (novembro de 2018): 49.
  70. Bruna Coimbra, “Centro de Influência é inaugurado em Teresina,” Notícias Adventistas, 10 de abril de 2018, acessado em 22 de janeiro de 2020, http://bit.ly/2GcnSfx.
  71. “O projeto Um Ano em Missão promove a participação de jovens adventistas na missão de evangelizar centros urbanos de oito países da América do Sul, unindo seus talentos, recursos e conhecimento profissional com as necessidades da comunidade.” Site da Igreja Adventista do Sétimo Dia, “Um Ano Em Missão,” acessado em 23 de abril 2019, http://bit.ly/3aynhT4.
  72. Bruna Coimbra, “Centro de Influência é inaugurado em Teresina,” Notícias Adventistas, 10 de abril de 2018, acessado em 22 de janeiro de 2020, http://bit.ly/2GcnSfx.
  73. Heron Santana, “Um Líder que Tem Pressa,” Revista Adventista 113, nº 1339 (novembro de 2018): 49.
  74. Carolina Vaz (Secretária assistente da Missão Piauiense), mensagem de e-mail para o autor, 28 de junho de 2019.
  75. Ibid.
  76. Ibid.
  77. Ibid.
  78. Ibid.
  79. “Piaui Mission [Missão Piauiense],” Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD] (Nampa, ID: Pacific Press Publishing Association, 2017), 321; “Piaui Mission [Missão Piauiense],” Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário da IASD] (Nampa, ID: Pacific Press Publishing Association, 2018), 248.
  80. Mais informações sobre a Missão Piauiense podem ser encontradas em: http://mpi.adventistas.org/ Facebook: Instagram: @adventistaspiaui, Twitter: @adventistaspiaui, @ adventistaspi e YouTube: Adventistas Piauí.
×

Sousa, Rodolfo Figueiredo de. "Piaui Mission." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. July 05, 2021. Accessed June 13, 2024. https://encyclopedia.adventist.org/article?id=7GLK.

Sousa, Rodolfo Figueiredo de. "Piaui Mission." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. July 05, 2021. Date of access June 13, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=7GLK.

Sousa, Rodolfo Figueiredo de (2021, July 05). Piaui Mission. Encyclopedia of Seventh-day Adventists. Retrieved June 13, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=7GLK.