View All Photos

North Santa Catarina Conference.

Photo courtesy of North Santa Catarina Conference.

Associação Norte Catarinense

By Renato Gross

×

Renato Gross

First Published: January 29, 2020

A Associação Norte Catarinense (ANC) é uma unidade administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia no Brasil. Sua sede está localizada na Rua Joaçaba, n° 355, CEP: 89221340, bairro Saguaçu, na cidade de Joinville, estado de Santa Catarina, Brasil.

Desde sua origem, a ANC está em funcionamento no mesmo local, espaço que foi inaugurado em 2012. Sua área geográfica de atuação se estende de uma ponta a outra do estado, começando pelo litoral, passando pelas montanhas do centro, centro-oeste e planalto catarinense. A população estimada no território é de 3.445.854 habitantes.1 Desse total, 15.790 são membros,2 divididos em 38 distritos, com 128 igrejas e 99 grupos organizados.3 A média é de um adventista para cada 218 habitantes.

No território da associação, existem 10 escolas localizadas em sete cidades, sendo quatro delas em Joinville. Ao final de 2018, estima-se que essas escolas recebiam cerca de 4.000 alunos. As unidades escolares em funcionamento são as seguintes: Instituto Adventista de Ensino de Santa Catarina (IAESC), na cidade de Araquari, com 520 alunos; Escola Adventista de Blumenau (EAB), na cidade de Blumenau, com 213 alunos; Escola Adventista de Chapecó (EAC), na cidade de Chapecó, com 386 alunos; Escola Adventista Rio do Sul (EARS), na cidade de Rio do Sul, com 100 alunos; Colégio Adventista de São Francisco do Sul (CASFS), na cidade de São Francisco do Sul, com 595 alunos; Colégio Adventista de Indaial (CADI), na cidade de Indaial, com 497 alunos; e as quatro escolas localizadas em Joinville: Colégio Adventista de Joinville (CAJ - Centro), com 143 alunos; Colégio Adventista de Joinville (CAJ - Bom Retiro), com 318 alunos; Colégio Adventista de Joinville (CAJ - Costa e Silva), com 354 alunos; e, por fim, o Colégio Adventista de Joinville (CAJ - Saguaçu), com 811 alunos. Entre 2012 e 2018, cerca de $5.000.000 dólares foram investidos em reformas nessas escolas.4

No território do CAJ existem dois canais oficiais de comunicação - um site e uma revista. O site é o principal portal de notícias adventistas na internet dentro do território e, a partir desse espaço, membros de congregações podem baixar materiais da igreja. O site anc.adventistas.org recebe média mensal de 10.000 internautas. É também através desse espaço que os adventistas do norte de Santa Catarina se informam sobre as notícias e decisões tomadas pela igreja local.

Todos os trabalhos, atividades e funções dessa associação são realizadas por 543 servidores: 41 pastores credenciados, 12 pastores licenciados, quatro obreiros credenciados e 10 obreiros licenciados. Os demais atuam na rede escolar e em outras atividades.5

Toda essa estrutura é resultado de uma história de esforço evangelístico considerável, que remonta aos primeiros dias da obra adventista no sul do Brasil.

Origem da Obra Adventista na Associação

A imigração europeia no estado de Santa Catarina ocorreu por meio de dois portos marítimos, o que caracterizou, no caso dos adventistas, duas formas de chegada bastante distintas. Na região centro-sul do estado, a imigração ocorreu pelo porto de Itajaí, alcançando a cidade de Brusque e Gaspar Alto. Por iniciativa direta de Battle Creek (onde ficava a sede da Igreja Adventista a nível mundial na época), recém-convertidos, principalmente alemães de fé luterana, foram diretamente alcançados pela mensagem Adventista do Sétimo Dia.

Por outro lado, o norte catarinense teve como porta de entrada para a imigração o porto de São Francisco do Sul, que recebia europeus de origem mais diversa: alemães, russos e italianos. Em ambos os casos, nos municípios de Itajaí e no porto de São Francisco, uma rede de rios menores permitia que os imigrantes fossem mais para o interior, no caso de canais navegáveis. Assim, os municípios de Blumenau e Joinville foram alcançados, bem como suas respectivas áreas de influência.

Ao contrário da cidade de Itajaí, a zona norte do estado recebeu a mensagem do sábado e, posteriormente, a mensagem do segundo advento via imigração russa e alemã. Embora nenhuma documentação tenha sido encontrada, o que se sabe é que em 22 de fevereiro de 1895 o Pastor F. H. Westphal deixou Buenos Aires rumo ao Brasil.6 Depois de visitar o estado de São Paulo, ele chegou a Joinville em maio. Colportores como A. B. Stauffer e A. Bachmeyer já haviam percorrido essa região e despertado o interesse no sábado e no retorno de Cristo.

Na cidade de Joinville, já existia um “grande” grupo de observadores do sábado.7 Eram dissidentes prussianos da Igreja Batista do Sétimo Dia, imigrantes da década de 1860 e seguidores de Stangnowsky. Eles se autodenominavam Grupo Apostólico da Igreja Cristã8 e esperavam pelo retorno do Messias, o qual acreditavam que ocorreria em 1896, quando o paraíso seria estabelecido no Polo Norte. “A história desse grupo de observadores do sábado em Joinville é anterior à data de observância do sábado por adventistas no Brasil.”9 Não se sabe quantos dias o Pastor Westphal permaneceu em Joinville, e não há notícias de que houve batismos no local, embora o grupo de guardadores do sábado estivesse localizado nessa cidade. Contudo, ele relata que cerca de metade dos seguidores de Stangnowsky imediatamente “se juntou a nós” assim que a verdade lhes foi apresentada.

Partindo da cidade de Joinville, o Pastor Westphal organizou uma Escola Sabatina com 20 membros.10 As seguintes famílias ficaram interessadas na mensagem Adventista do Sétimo Dia: Henning, Voos, Schünemann, Anniess, Geisler, Hoffmann, Milbratz, Rutz, entre outros cujos sobrenomes ainda estão nas listas de membros da região e/ou do Brasil.11

Paralelamente, no atual município de Rio dos Cedros, em Rio Cunha, havia outro grupo de observadores do sábado que chegara a navio após atracar no porto de São Francisco, conforme consta a história municipal. Eles eram russos que, em 1890, ergueram uma pequena capela de enxaimel12 para seus cultos sabáticos. Aos domingos, eles a cediam aos luteranos. Presume-se que esta tenha sido a primeira Igreja Adventista no Brasil. Em 1919, passou para o domínio católico e foi demolida em 1991.13Além da capela, havia também uma escola. Em 1911, a Revista Mensal relatou que a escola e o local de culto haviam sido abandonados há muito tempo.14

Com o tempo, os imigrantes italianos, em sua maioria católicos, acabaram perseguindo os russos, que decidiram se mudar inteiramente para Corupá, nas colinas acima do bairro Alto Benedito Novo. Eles foram alcançados pela Igreja Adventista do Sétimo Dia e muitos foram convertidos, inclusive vários alemães; no mesmo local, foi organizada a segunda Igreja Adventista em Santa Catarina, no ano de 1897. O primeiro ancião era Carl Lenz.15

Em 1898 foi inaugurada uma escola paroquial, a segunda no Brasil. Ela esteve em funcionamento durante os primeiros dois anos na sala de estar da casa do irmão Samuel Gross (do grupo de imigrantes russos convertidos)16 e manteve-se ativa até 1985, quando foi fechada.17 Vale ressaltar que assim que as duas primeiras igrejas (Gaspar Alto e Alto Benedito Novo) foram organizadas, foi providenciada a abertura das duas primeiras escolas paroquiais adventistas no Brasil, um exemplo seguido por outras congregações adventistas durante as primeiras décadas do século passado. Elas eram, em essência, escolas rurais.

Com o fechamento do internato de Gaspar Alto, que foi transferido para a cidade de Taquari, o estado de Santa Catarina não contava, desde a virada do século XX, com um colégio maior que permitisse aos jovens adventistas se prepararem melhor para o ingresso na obra, visto que a alternativa era mudar-se para o Seminário em São Paulo. Assim, em 1935, no bairro Alto Benedito Novo, a escola primária foi ampliada para oferecer as duas primeiras séries do ginásio.

Todas essas escolas funcionavam de maneira semelhante aos primeiros anos do Colégio de Battle Creek (Michigan, EUA): meninas e meninos que vinham de outras regiões ficavam nas casas dos membros da igreja. A escola, contudo, funcionou por pouco tempo, em decorrência da nacionalização da educação que levou o governador Nereu Ramos a fechá-la em 1938. O diretor era o imigrante alemão João Bork (posteriormente ordenado ao ministério). As aulas eram ministradas totalmente em alemão, mas Ministério da Educação emitiu decretos proibindo essa prática, visto que estavam em meio à Segunda Guerra Mundial.

No entanto, em reunião administrativa da Missão Paraná-Santa Catarina, realizada em dezembro de 1938 no município de Corupá, foi decidido o estabelecimento de um novo internato, o que foi concretizado em 1939, na cidade de Butiá, próximo aos municípios de Rio Negro e Mafra, na divisa dos estados de Santa Catarina e Paraná.18 Essa foi a gênese do atual Instituto Adventista Paranaense e Colégio Adventista Paranaense, que hoje está localizado na cidade de Ivatuba, PR.

Por décadas, Santa Catarina, que já contava com dois internatos adventistas (Gaspar Alto e Benedito Novo), ficou sem essa importante instituição de ensino. Então, em 1997, uma área de 72 hectares foi adquirida no município de Araquari, próximo à cidade de Joinville, para a construção de um novo internato - o Instituto Adventista de Ensino de Santa Catarina (IAESC).19

Nos primórdios, outras localidades foram evangelizadas gradualmente, seja pela colportagem, seja pelo zelo missionário de recém-conversos, que compartilharam as boas novas com suas famílias e conhecidos disseminados pelas colônias. Já em 1901, na cidade de Blumenau, a primeira literatura adventista em toda a América do Sul foi publicada sob o nome Der Missions Arbeiter (O Obreiro Missionário). Foi escrito em alemão e editado pelo Pastor John Lipke.20

Em 12 de maio de 1906, como resultado da expansão das frentes evangelísticas, a Associação Catarinense foi organizada no estado do Paraná. Sua sede esteve localizada em Brusque até 1927, e o primeiro presidente foi o Pastor Waldemar Ehlers (1869-1929).21

Outro momento importante ocorreu em 11 de junho de 1919, em um sábado, quando a igreja da cidade de Brusque foi organizada. A reunião aconteceu na casa do irmão Pieper. A igreja, composta por 23 membros e sob a liderança do “Presbítero” (nome dado aos anciãos na época) Reinaldo Fukner, batizou outras sete pessoas.22

Esses acontecimentos marcam o início do adventismo no território da ANC. A Igreja cresceu notavelmente no estado de Santa Catarina ao longo do século XX e início do século XXI.

História Organizacional da Associação

Em 2011, a Associação Catarinense (AC), com sede na cidade de Florianópolis, contava com 31.831 membros disseminados entre 378 congregações, 203 igrejas e 175 grupos, organizados em 57 distritos pastorais. Levando em consideração o crescimento da Igreja Adventista em Santa Catarina, a grande extensão territorial do estado, bem como seus 293 municípios, dos quais 156 são considerados parte da Missão Global, e em vista da necessidade de agilizar, multiplicar e intensificar o serviço e treinamento das regiões pelos líderes administrativos e departamentais do campo, a AC, por meio do voto 2010-071, e a USB, com o voto 2010-099, solicitou à Divisão Sul-Americana (DSA) realizar uma comissão avaliativa para reorganizar o território da AC e criar uma nova associação.23

A Divisão Sul-Americana, sob o voto 2010-253, acatou o relatório da comissão avaliativa e aprovou a reorganização do território da então Associação Catarinense. Já criada com o status de associação, a Associação Norte Catarinense, com sede na cidade de Joinville, nomeou como primeiro presidente o Pastor Ezequias Guimarães, que dirigiu os trabalhos administrativos da ANC de 13 de novembro de 2011 a 5 de abril de 2013. A primeira Assembleia Geral Ordinária do novo campo foi realizada em 20 de novembro de 2015 no Instituto Adventista de Ensino de Santa Catarina.24

No final de 2011, a ANC iniciou seu trabalho com 111 igrejas, 91 grupos e 15.977 membros, em um território com população de 2.974.387. O campo de atuação era e continua sendo todo o norte do estado de Santa Catarina. Não houve mudanças em sua região administrativa, nem em seu nome, uma vez que já fora organizada como uma associação. Sua sede está localizada no mesmo endereço desde a sua criação, na Rua Joaçaba, n° 355, bairro Saguaçu.25

A missão da ANC “é chamar pessoas de todas as nações para serem discípulas de Jesus Cristo, proclamar o Evangelho eterno contido nas três mensagens angélicas (Apocalipse 14: 6-12) e preparar o mundo para a breve volta de Cristo.”26 Ao longo dos seus poucos anos de existência, essa associação tem cumprido a sua missão e obtido sucesso em todos os seus projetos. Ela auxiliou o estado de Santa Catarina e o Brasil na realização dessa obra tão importante de pregar para salvar, e continuará desenvolvendo programas, missões e outras atividades.

Ao longo dos poucos anos de história da ANC, alguns programas e ministérios se destacaram. Isso inclui os departamentos de Evangelismo e Missão Global, aos quais muito esforço e recursos financeiros foram dedicados. O objetivo do investimento foi apoiar ministérios, pastores e membros na realização de evangelismo público, colheita e alcance de cidades sem a presença adventista. Em quatro anos, centenas de semanas de colheita foram realizadas em 160 pontos de pregação separados, alcançando milhares de pessoas.27

Como resultado dos esforços destes e de outros departamentos da associação, em 2017, o número de membros aumentou para 18.290. Comparado aos números iniciais (15.977), houve um aumento de 2.313 pessoas. Nesse mesmo ano, o número de igrejas aumentou para 132 e 105 grupos, em resposta ao crescimento e à necessidade de receber novos membros.28

Desde a inauguração dessa unidade administrativa, 9.136 Bíblias foram distribuídas, 129.160 cursos bíblicos foram oferecidos e milhões de folhetos e panfletos foram entregues. Somente em 2018, 667 pontos de pregação foram estabelecidos, 511 Bíblias foram compartilhadas e 3.450 estudos bíblicos foram conduzidos. A presença adventista foi levada a 16 novas cidades da Missão Global. Como consequência, 57 novas congregações foram estabelecidas.

O Ministério Jovem possui 114 clubes de Desbravadores, 74 clubes de Aventureiros, 144 Sociedades de Jovens Adventistas e 74 bases do Projeto Geração 148.29

O Ministério da Mulher é responsável pela formação e continuidade de 136 grupos de oração nas comunidades. Desde o início das atividades da ANC, 1.798 mulheres já se inscreveram no projeto Mulheres Espalhando Luz - MEL, que visa envolver mulheres em ações sociais e missionárias. Elas representam a maioria dos membros adventistas da região. Sempre envolvidas na missão de salvar, participam ativamente das frentes missionárias com o ideal “Cada Um Salvando Um” (C1S1). Em 2018, 107 grupos de oração foram formados e 2.873 mulheres eram participantes do Projeto MEL, número acumulado de 2017.30

Em relação ao estabelecimento de novas igrejas, 27 lotes foram adquiridos para esse propósito e 52 igrejas iniciaram reformas ou construção. A fim de apoiar as diversas necessidades da Igreja, cerca de $1.500.000 dólares foram investidos. Nos primeiros quatro anos (2012-2015), o crescimento do dízimo atingiu 39,08% e as ofertas, 30%.31

No campo educacional, muitos trabalharam diligentemente para elevar e aprimorar os valores espirituais. Como resultado, 691 alunos foram batizados em virtude do envolvimento dos participantes do ideal C1S1, que encoraja os membros a usarem seus dons para levar a mensagem do evangelho a outras pessoas. Todos podem pregar, seja por meio de um sermão ou por um simples ato de bondade. Por meio do C1S1, houve também o envolvimento total dos membros da igreja. Os resultados positivos do projeto incentivaram a União Sul Brasileira (USB) a aplicar a visão C1S1 em seu território.32

O ministério de publicações também avançou na região norte catarinense. Nos últimos quatro anos, cerca de 335 alunos e colportores permanentes atuaram na região. A distribuição média de livros foi de 94.500 e 514.340 revistas, de 2012 a 2015. Nas férias de verão e inverno de 2014 (janeiro e julho), 285 colportores estudantes venderam cerca de 50.793 livros e revistas, totalizando aproximadamente $ 333.813,00.33

Como resultado de tantas campanhas, projetos e ações missionárias, quase 7.000 pessoas foram batizadas no último quadriênio, e o número de igrejas e grupos cresceu 22%, resultando em um aumento de 31% na quantidade de distritos. Um grande investimento evangelístico também foi feito em cidades sem presença adventista, ou seja, nos chamados territórios de missão global. Aproximadamente 160 pontos de pregação foram organizados, levando paz, conhecimento e boas novas. Consequentemente, 16 cidades agora têm presença adventista, uma vitória para todos os que participaram. O número médio de pastores por membro é agora de 1 para cada 501.34

Embora o estado de Santa Catarina seja o berço do adventismo no Brasil, o crescimento tem sido estático há décadas. O melhor desenvolvimento do adventismo na região ocorreu após o estabelecimento da sede administrativa no estado, o que possibilitou que os líderes e membros se conectassem, facilitando o entendimento e atendendo às suas necessidades. O crescimento veio como resultado do maior envolvimento dos membros na evangelização pessoal em resposta às iniciativas de mobilização missionária. O investimento em educação também contribuiu, e o destaque foi a fundação do Instituto Adventista de Ensino de Santa Catarina (IAESC) em 2008.

Nos últimos anos, a ANC recebeu muitas bênçãos, mas também enfrentou vários desafios. Muitos deles foram superados e alguns ainda precisam ser atingidos, tais como alcançar todas as cidades sem presença adventista. A preparação contínua de novos colportores para substituir os jubilados também tem sido um desafio. Na área da educação, a prioridade é manter o diferencial espiritual com a missão de Educar para Salvar, que hoje é cada vez mais desafiadora.35

Além de fortalecer o envolvimento dos membros no lema Comunhão, Relacionamento e Missão por meio de iniciativas como o Projeto Maná,36 o objetivo do campo é inspirar os membros a se comprometerem mais com a Escola Sabatina, com o cuidado e a manutenção dos conversos na igreja, e com a fidelidade na devolução dos dízimos e ofertas. Essas iniciativas também encorajarão o crescimento e regularidade de doadores e discipulado, e buscarão aumentar o número de participantes de pequenos grupos. Por fim, o objetivo supremo dessa instituição é incentivar os membros a multiplicar o número de igrejas, a fim de cumprir a missão.37

Cronologia de Líderes Administrativos

Presidentes: Ezequias Guimarães (13 de novembro de 2011 - 5 de abril de 2013);38 Apolo Streicher Abracio (5 de abril de 2013 - 23 de julho de 2014); Ronaldo Bertazzo (1º de agosto de 2014-atualmente).39

Secretários: Apolo Streicher Abrascio (2011-2012); Charles Edson Rampanelli (2013-2016); Harry James Streithorst (2017-atualmente).

Tesoureiros: Everson Teixeira Braga (2011-2012); Elton Otero Bueno (2013-2017); João Ortiz (2018-atualmente).40

Referências

Alves, Roseneide E. Furtado Orling. “Educação Adventista: uma proposta restauradora,” Monografia de Conclusão de Curso, Universidade Federal de Santa Catarina, 1999.

Arquivo histórico de Joinville Online. https://arquivohistoricojoinville.com.br.

Ato Constitutivo da Associação Norte Catarinense da IASD, “Artigo XV – Das disposições especiais,” novembro, 2010.

Bendik, Francini, mensagem de e-mail para Paulo Ribeiro, 15 de setembro, 2016.

Bertazzo, Ronaldo. “Convocação da 1ª Assembleia Geral Ordinária da Associação Norte-Catarinense da Igreja Adventista,” Revista Adventista, outubro, 2015.

Bertazzo, Ronaldo. “Presidência.” Revista Proclamai, Edição Especial, 1ª Assembleia Quadrienal (2012-2015).

Bertazzo, Ronaldo. “Relato Presidência.” Revista Proclamai, novembro, 2015.

Bueno, Elton. “Ministério da Tesouraria.” Revista Proclamai, Edição Especial, 1ª Assembleia Quadrienal (2012-2015).

De Matos, José. “Conclusão.” Revista Proclamai, Edição Especial, 1ª Assembleia Quadrienal (2012-2015).

De Matos, José. “Os comparativos demonstram....” Revista Proclamai, Edição Especial, 1ª Assembleia Quadrienal (2012-2015).

Greenleaf, F., Terra de Esperança: O crescimento da Igreja Adventista na América do Sul. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2011.

Gross, Renato, Instituto Adventista Paranaense: uma história em três tempos – 1939 – 2009. Ivatuba, PR: Instituto Adventista Paranaense, 2009.

Hoffmann, S. “Nova Escola em Alto Benedito Novo.” Revista Adventista (julho, 1959).

Knott, C. F. “Santa Catarina – uma nova igreja neste Estado.” Revista Mensal (agosto, 1919).

Kümpel, F. R. “Conferência de Santa Catarina.” Revista Mensal (setembro, 1911).

Lopes, Marlinton Souza. “Convocação da Assembleia Geral Denominacional de Organização da Associação Norte-Catarinense da Igreja Adventista do Sétimo Dia.” Revista Adventista, setembro, 2011.

Meyers, E. H., Reseña de los comienzos de la obra em Sudamérica [Revisão do início da obra na América do Sul]. Buenos Aires: Casa Editora Sul-Americana, s.d.

Peverini, H. J., En las huellas de la Providência [Nos passos da Providência]. Buenos Aires: Casa Editora Sul-Americana, 1988.

Ramparelli, Charles. “Relatório Secretaria.” Revista Proclamai, novembro, 2015.

“Rápidas.” Revista Adventista, outubro, 2015.

Ribeiro, Paulo, mensagem de e-mail para Luvercy Ferreira, 20 de dezembro, 2018.

Ricken, Ireny. “Considerações Finais.” Revista Proclamai, Edição Especial, 1ª Assembleia Quadrienal (2012-2015): 45.

Portal Oficial da Igreja Adventista do Sétimo Dia. http://www.adventistas.org/pt/.

Seventh-day Adventist Yearbook [Anuário Adventista do Sétimo Dia]. Vários anos. https://www.adventistyearbook.org/.

“SC tem nova sede administrativa.” Revista Adventista, fevereiro, 2012.

Westphal, in Vieira, Ruy Carlos de Camargo. Os primeiros guardadores do sábado no Brasil. Brasília, DF: (Sociedade Criacionista Brasileira), 1995.

Notas de fim

  1. Associação Norte Catarinense, Cada Um Salvando Um - Agenda 2016 (Joinville, S. C: Impressul, 1916); Paulo Ribeiro, mensagem de e-mail para Luvercy Ferreira, 20 de dezembro, 2018; “SC tem nova sede administrativa,” Revista Adventista, fevereiro, 2012, 38.
  2. “SC tem nova sede administrativa.”
  3. Charles Ramparelli, “Relatório Secretaria,” Revista Proclamai, novembro, 2015, 8; Paulo Ribeiro, mensagem de e-mail para Luvercy Ferreira, 20 de dezembro, 2018.
  4. Raquel Orella, mensagem de e-mail para Paulo Ribeiro,15 de setembro, 2016; Paulo Ribeiro, mensagem de e-mail para Luvercy Ferreira, 20 de dezembro, 2018.
  5. Francini Bendik, mensagem de e-mail para Alex Moreira, 1 de abril, 2018.
  6. Floyd Greenleaf. Terra de Esperança: O Crescimento da Igreja Adventista na América do Sul (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2011), 41.
  7. H.  J. Peverini, Em las huellas de la Providência [Nos passos da Providência] (Buenos Aires: Casa Editora Sul-Americana, 1988), 60.
  8. Marlene Annies Gruber, entrevistada por Johann Annies, Governador Celso Ramos, Santa Catarina, 21 de junho, 2016.
  9. Westphal, in Ruy Carlos de Camargo Vieira, Os primeiros guardadores do sábado no Brasil (Brasília, DF: Sociedade Criacionista Brasileira, 1995), 3.
  10. Ibid.
  11. Sobrenomes retirados das listas de imigrantes e membros do Grupo Apostólico que se juntaram ao Adventismo do Sétimo Dia. Arquivo Histórico de Joinville e arquivo pessoal da Sra. Marlene Annies Gruber. Cópias no arquivo deste autor. Os originais podem ser consultados no site https://arquivohistoricojoinville.com.br.
  12. Enxaimel “é uma técnica de construção que consiste em paredes montadas com hastes de madeira instaladas na posição horizontal, vertical ou inclinada, cujos espaços são geralmente preenchidos com pedras ou tijolos.” Acessado em 9 de outubro de 2017, http://dicionarioportugues.org.
  13. Segundo observações digitadas em frente a uma foto, mantida no acervo pessoal de Renato Gross, concedida a ele em 2014 pela Prefeitura de Rio Cunha. A mesma foto pode ser encontrada no livro de Floyd Greenleaf “Terra de Esperança.”
  14. F. R. Kümpel, “Assembleia de Santa Catarina,” Revista Mensal, setembro, 1911, 10.
  15. Idem.
  16. S. Hoffmann, “Nova Escola em Alto Benedito Novo,” Revista Adventista, julho, 1959, 32.
  17. Roseneide E. Furtado Orling Alves, “Educação Adventista: uma proposta restauradora” (Monografia de Conclusão de Curso, Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 1999), 39, 28.
  18. Renato Gross, Instituto Adventista Paranaense: uma história em três tempos – 1939 – 2009 (Ivatuba, SP: Instituto Adventista Paranaense, 2009), 59-67.
  19. Associação Norte Catarinense, Cada Um Salvando Um - Agenda 2016 (Joinville, S. C: Impressul, 1916);
  20. E. H. Meyers, Reseña de los comienzos de la obra em Sudamérica [Revisão do início da obra na América do Sul] (Buenos Aires: Casa Editora Sul-Americana, s.d.), 19.
  21. “Santa Catarina and Parana Conference [Associação Santa Catarina e Paraná],” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, DC: Review and Herald Publishing Association, 1907), 95.
  22. C. F. Knott, “Santa Catarina – uma nova igreja neste Estado” Revista Mensal (agosto, 1919): 4.
  23. Ato Constitutivo da Associação Norte Catarinense da IASD, “Artigo XV – Das disposições especiais” (novembro, 2010): 13; “Rápidas,” Revista adventista, outubro, 2010, 35; Marlinton Souza Lopes, “Convocação da Assembleia Geral Denominacional de Organização da Associação Norte-Catarinense da Igreja Adventista do Sétimo Dia,” Revista adventista, no. 1240, ano 106 (setembro, 2011); “Santa Catarina and Parana Conference [Associação Santa Catarina e Paraná],” Seventh-day Adventist Yearbook (Washington, DC: Review and Herald Publishing Association, 1907), 95.
  24. Associação Norte Catarinense. “Chamado que nos fazem – Registrar,” in: Livro de Registro de Atas no. 2, voto no. 2013-023; Ronaldo Bertazzo, “Convocação da 1ª Assembleia Geral Ordinária da Associação Norte-Catarinense da Igreja Adventista do Sétimo Dia.” Revista Adventista, no. 1302, ano 110 (outubro, 2015): 11.
  25. “North Santa Catarina Conference [Associação Norte Catarinense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 2013), 292; Seventh-day Adventist Online Yearbook, “Annual Charts and Statistics [Gráficos e Estatísticas Anuais],” acessado em 2 de abril de 2019, https://bit.ly/2UrttHo; “North Santa Catarina Conference [Associação Norte Catarinense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Nampa, ID: Pacific Press Publishing Association, 2018), 253.
  26. Associação Norte Catarinense, Cronograma 2018 (2018), 2.
  27. Ibid.
  28. Seventh-day Adventist Online Yearbook, “Annual Charts and Statistics [Gráficos e Estatísticas Anuais],” acessado em 2 de abril de 2019, https://bit.ly/2UrttHo.
  29. Idem; Paulo Ribeiro, mensagem de e-mail para Luvercy Ferreira, 20 de dezembro, 2018; O Geração 148 é um projeto jovem dedicado ao trabalho missionário e se baseia na passagem bíblica de Romanos 14: 8.
  30. Ibid.
  31. Elton Bueno, “Ministério da Tesouraria,” Revista Proclamai, Edição Especial, 1ª Assembleia Quadrienal (2012-2015): 10; Paulo Ribeiro, mensagem de e-mail para Luvercy Ferreira, 20 de dezembro, 2018.
  32. Paulo Ribeiro, mensagem de e-mail para Luvercy Ferreira, 20 de dezembro, 2018.
  33. Idem; Associação Norte Catarinense, Cronograma 2018 (2018), 2, 3, 44; José de Matos, “Os comparativos demonstram...,” Revista Proclamai, Edição Especial, 1ª Assembleia Quadrienal (2012-2015): 47.
  34. Ronaldo Bertazzo, “Presidência,” Revista Proclamai, Edição Especial, 1ª Assembleia Quadrienal (2012-2015): 4.
  35. Ireny Ricken, “Considerações Finais,” Revista Proclamai, Edição Especial, 1ª Assembleia Quadrienal (2012-2015): 45; José de Matos, “Conclusão,” Revista Proclamai, Edição Especial, 1ª Assembleia Quadrienal (2012-2015): 47.
  36. “O Projeto Maná é um esforço conjunto da Igreja para alcançar o maior número de pessoas de todas as idades com a Lição da Escola Sabatina e motivá-los a estudar diariamente a Palavra de Deus.” Acessado em 9 de abril de 2019 https://bit.ly/2I8n3r5.
  37. Associação Norte Catarinense, Cronograma 2018 (2018), 2, 3, 44.
  38. Associação Norte Catarinense. “Chamado que nos fazem – Registrar,” in: Livro de Registro de Atas no. 2, voto no. 2013-023; “North Santa Catarina Conference [Associação Norte Catarinense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Hagerstown, MD: Review and Herald Publishing Association, 2013), 292.
  39. “North Santa Catarina Conference [Associação Norte Catarinense],” Seventh-day Adventist Yearbook (Nampa, ID: Pacific Press Publishing Association, 2018), 253; Associação Norte Catarinense, “Chamado – encaminhar,” in Livro de Registro de Atas no. 3, voto no. 2014-093; Associação Norte Catarinense, Cronograma 2018 (2018), 2. Para uma verificação mais detalhada de todos os líderes, consulte os anuários (Yearbooks) da IASD de 2013-2018.
  40. Informações sobre a ANC estão disponíveis em: http://anc.adventistas.org/, ou nas redes sociais - Facebook: @adventistas.amc e Youtube: Associação Norte Catarinense.
×

Gross, Renato. "North Santa Catarina Conference." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. January 29, 2020. Accessed June 18, 2024. https://encyclopedia.adventist.org/article?id=AI3M.

Gross, Renato. "North Santa Catarina Conference." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. January 29, 2020. Date of access June 18, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=AI3M.

Gross, Renato (2020, January 29). North Santa Catarina Conference. Encyclopedia of Seventh-day Adventists. Retrieved June 18, 2024, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=AI3M.