View All Photos

Petropolis Adventist Academy.

Photo courtesy of Petropolis Adventist Academy Archives.

Instituto Petropolitano Adventista de Ensino

By Rodolfo Figueiredo de Sousa, and Leônidas Verneque Guedes

×

Rodolfo Figueiredo de Sousa lives in the State of Goiás, Brazil. He holds a degree in theology, languages and history from Brazil Adventist University. For a time he served as a writing assistant on the editorial team of the Encyclopedia of Seventh-day Adventists at the South American Division.

Leônidas Verneque Guedes

First Published: October 22, 2021

O Instituto Petropolitano Adventista de Ensino (IPAE) é um internato que oferece ensino fundamental e médio. Pertence à Igreja Adventista do Sétimo Dia e faz parte da rede mundial de educação adventista. A instituição atua no território da União do Sudeste Brasileiro (USeB), localizada em Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Petrópolis é um município com 306 mil habitantes. 1 A cidade também é conhecida como Cidade Imperial do Brasil, pois seu nome deriva da junção do termo latino petrus (Pedro), referindo-se ao primeiro imperador do Brasil, 2 com pólis (cidade) em grego. Hoje, a escola atende 196 alunos no campus e outros 254 que moram na comunidade vizinha, com 450 alunos no total. 3

A área total do IPAE é de 576.475m², com 17.350 m² de área construída. O funcionamento de todas as estruturas da instituição é mantido por 115 pessoas, dentre elas oito obreiros, dois pastores e 105 funcionários. 4 Esse número de colaboradores inclui 22 professores licenciados nas mais diversas disciplinas da grade escolar. 5

Acontecimentos que Levaram ao Estabelecimento da Escola

A história da obra adventista no Rio de Janeiro começou com a chegada de colportores missionários em 1893 e 1894, quando a cidade era a capital do Brasil. Eles viram um lugar absorvido por todos os tipos de paganismo. 6 No entanto, não demorou muito para que o Pastor Huldreich Graf (o primeiro ministro ordenado no Brasil), 7 organizasse a primeira Igreja Adventista no estado do Rio de Janeiro e a segunda no Brasil, a Igreja do Méier, em 27 de outubro de 1895. 8 A mensagem adventista no Rio de Janeiro foi fortalecida pela chegada dos pastores F. W. Spies em 1896 e Guilherme Stein Jr. em 1899. 9

Relatos de uma reunião da União Brasileira indicam a existência de membros da IASD em Petrópolis já em 1912. Na época, H. Meyer foi transferido da cidade do Rio de Janeiro para liderar a igreja em Petrópolis 10 e, em 1915, havia 11 colportores trabalhando na região. 12 Em 1930, Daniel Feder foi enviado para morar em Petrópolis e realizar, no mesmo ano, uma série evangelística. 13 Naquela época, a cidade fazia parte do distrito pastoral do Rio de Janeiro (formado pelas igrejas adventistas do Rio de Janeiro, Niterói, Olaria e Petrópolis). 14

Historicamente, a IASD promove seu trabalho missionário por meio de três frentes interconectadas: evangelismo, saúde e educação. 15 Nesse contexto, após o estabelecimento de uma congregação, a preocupação natural dos pioneiros adventistas em 1934 era oferecer à Igreja no território da União Este Brasileira (UEB, hoje União do Sudeste Brasileira) uma escola cujo escopo educacional não fosse apenas científico, mas, além disso, que ensinasse princípios morais e bíblicos. O projeto foi votado em 4 de dezembro de 1936. 16

Para levar adiante esse projeto, foi organizada uma campanha para arrecadar recursos financeiros e, em 1937, foi eleita uma comissão para decidir em que território a escola seria estabelecida. A comissão decidiu que o local adequado para instalação do colégio seria a até 100 km da cidade do Rio de Janeiro. 17 O ponto escolhido foi um dos recantos mais bonitos da Serra do Mar, serra da região de Petrópolis. Desde então, a instituição permanece no mesmo local. 18

Fundação da Escola

O anseio pela implementação da educação adventista na região começou a se materializar em 31 de agosto de 1938, quando a liderança da Igreja Adventista na União Este Brasileira elegeu o Pastor John D. Hardt como diretor da futura escola. O lançamento da pedra fundamental foi em 21 de maio de 1939 e, em sua fundação, a escola recebeu o nome de Instituto Educacional e Agrícola de Petrópolis (IEAP). 19

O primeiro aluno do IEAP foi Arnoldo Anniehs, e a construção dos primeiros prédios foi o primeiro lugar onde os alunos puderam ganhar parte da bolsa de estudos. Foi assim que José Luduvice, Antônio Mateus e Emília Tesch ajudaram a custear sua educação. Os primeiros professores a chegar foram o Pr. João Bork, Hilda Silva, João dos Passos e Jonas Monteiro. No mesmo período, "foram convidados Ernesto Bohry e João Sadowski, o primeiro a instalar uma olaria e a dirigir a construção, respectivamente". 20

As aulas começaram em 1940, mas ainda havia muito a ser construído e, por isso, as aulas eram ministradas em vários edifícios e em horários diversos. Antes da conclusão das primeiras edificações, a escola passou a se chamar Instituto Teológico Adventista (ITA). O início foi um período difícil, e houve problemas financeiros e de acomodação para os alunos. Mesmo assim, em um período de 13 anos, a escola ofereceu os cursos de ensino fundamental (1ª a 4ª série) e ginasial (5ª a 8ª série), além de um curso de preparação teológica e missionária de dois anos. 21 Naquele ano, cinco jovens selaram sua aliança com Deus, e essa primeira cerimônia de batismo prenunciou a vocação missionária da instituição. 22

Aflitos por tais dificuldades e temerosos de receber ainda mais alunos nessas condições, mesa diretiva da escola encaminhou pedidos à Divisão Sul-Americana (DSA) e à Associação Geral da Igreja Adventista (AG) para obter subsídios para o novo projeto estrutural. Mesmo com essa ajuda, um dos edifícios permaneceu inacabado por cerca de um ano. 23 No entanto, o período foi marcado pelo início da construção de edifícios e moradias residenciais. 24

História da Escola

A chegada de 1941 foi marcada pelo repasse dos recursos necessários à conclusão da construção. Entre os prédios estavam o dormitório masculino, a oficina de manutenção (hoje usada como sala de jogos), a lavanderia (antes ao lado da cozinha) e uma casa residencial. 25 Enquanto se chamava “ITA”, a escola tinha como diretor Siegfried Júlio Schuwantes (1944-1946). Esse período foi marcado pela construção de mais um dormitório residencial e da horta que hoje já não existe devido à venda do terreno onde anteriormente se localizava. 26

Na área evangelística, no mesmo ano (1941), os jovens estudantes do ITA “realizaram muitos esforços evangelísticos. O grupo de correspondência enviou folhetos para oitenta endereços.” Houve também um grupo evangelístico leigo que visitou a região de Itaipava “pregando ao ar livre, resultando na formação do grupo de 'Aspirantes ao Evangelismo', que se reunia semanalmente”. 27 No terceiro ano de funcionamento da instituição (1943), um grupo de professores e líderes incentivou atividades e projetos missionários para arrecadar doações. No total, 13 alunos foram batizados naquele ano e foram reconhecidos como “essencialmente missionários”.28

Posteriormente, o ano de 1947 foi marcado por reformas e a criação da indústria melífera denominada “SUPERITA”. Nos anos seguintes, as reformas continuaram, outro dormitório residencial foi construído e a pintura geral da escola também foi concluída. Esse período de reforma foi necessário, visto que a arquitetura da escola sofreu muito com a umidade e com o longo período de construção que exigiu, na época, dez anos. 29 No início da segunda década de funcionamento (1951), o Curso Comercial ampliou o currículo do ITA.

Em 1964, também foram implantados os cursos Científico (1º ao 3º ano do ensino médio) e os cursos de Auxiliar de Laboratório e Análise Química. O período de reforma dos edifícios que já se encontravam em funcionamento foi seguido pela construção do prédio das salas de aula. Essa fase da escola foi marcada pelo empenho na continuação da construção do edifício escolar principal. Além disso, a faculdade comprou um caminhão, construiu mais edifícios residenciais, comprou uma caixa d'água central (hoje substituída por um equipamento feito de fibras) e plantou um pomar. 30

Desde cedo, o instituto buscou despertar nos alunos o senso de responsabilidade missionária. A escola pretendia que os alunos fossem uma fonte de luz para a comunidade “e, num futuro muito próximo, [...] para se espalharem pelo mundo levando essa mensagem preciosa.” Em 1958, por exemplo, em um bairro próximo à instituição, “foi realizada uma série de conferências com projeções luminosas ao ar livre, [...] com atendimento médio a 250 pessoas”. 31

O ano de 1958 também trouxe avanços estruturais para a instituição. A construção do prédio escolar durou 18 anos e foi finalmente inaugurada no dia 22 de setembro. Nessa cerimônia estiveram presentes os pastores Rodolpho Belz, presidente da Associação Rio-Minas (atual Associação Rio de Janeiro) e R. A. Wilcox, presidente da União Este Brasileira. 32 Paralelamente, foram iniciadas a construção do auditório, oficina, quadra poliesportiva e residências, além da ampliação do banheiro feminino. O auditório (hoje capela masculina), cuja construção estava em andamento, foi concluído em meados da década de 1960. 33

Com o objetivo de promover o desenvolvimento integral dos alunos, em 1970, o instituto realizou uma Semana de Oração e Temperança com a presença do Pastor Anísio Chagas. Na época, a escola tinha cerca de 800 alunos. 34 Esse crescimento exponencial do número de alunos exigiu que a escola ampliasse suas instalações com frequência, e algo inédito até então foi realizado entre 1965-1972: a construção da igreja. Inaugurada em 1972, foi a primeira igreja a pertencer exclusivamente a uma escola. Esse ano também marca o fim do curso de Teologia devido às mudanças instituídas pelo Ministério da Educação (MEC) em 1971. Com isso, a escola passou a se chamar IPE – Instituto Petropolitano de Ensino. 35

Ainda naquele ano, outros cursos profissionalizantes foram implementados, entre eles o de Docência (antigo curso Normal), Técnico em Contabilidade e Técnico em Processamento de Dados. 36 Um ano depois (1972), a escola mudou de nome novamente, quando a administração da Divisão Sul-Americana instruiu todas as instituições da Igreja a inserir a palavra “Adventista” em seus nomes. Consequentemente, a escola mudou seu nome para IPAE - Instituto Petropolitano Adventista de Ensino, que permanece até hoje. Em seguida, buscando melhorar a logística da escola, a direção da instituição adquiriu três veículos Kombi e um piano de cauda, construiu um estábulo (que não existe mais devido à construção da rodovia BR-040) e instalou os primeiros telefones da escola. 37

No ano seguinte (1973), foram planejadas reformas pela direção da escola para que pudessem ser realizadas a partir de 1974. 38 Essas adequações foram necessárias devido à desapropriação de parte do terreno da escola para ampliação da Rodovia Br-040, que conecta os estados do Rio de Janeiro à cidade de Juiz de Fora, no estado de Minas Gerais. 39 Nos anos seguintes (1975-1977), várias instalações foram reformadas. O prédio da escola recebeu novas salas de aula; a lavanderia, máquinas novas e modernas; e algumas casas para os professores foram construídas.

Em 1977, a igreja recebeu um novo órgão eletrônico, que foi uma doação da Golden Cross. 40 Nessa época, o IPAE oferecia os seguintes cursos: Educação Infantil, Pré-Escola, 1º e 2º graus nas áreas profissionais de Técnico em Contabilidade, Técnico Assistente de Laboratório Químico e Curso de Formação de Professores (Docência). 41 Em 1979, o IPAE sediou um Curso Intensivo de Liderança Cristã promovido pela União Este Brasileira. O objetivo foi conscientizar professores e administradores sobre a necessidade de haver líderes eficientes e consagrados para servir a Igreja. O evento contou com a presença do Pastor R. Bietz, vice-presidente da Associação Geral da IASD, na época. 42

O início da década de 1980 foi marcado por algumas conquistas recebidas com alegria no ambiente da instituição. Uma delas foi o lançamento da pedra fundamental do Conservatório de Música, quando foram recebidas doações do Dr. Milton Soldani Afonso (adventista e dono da empresa Golden Cross) para o paisagismo e gramado da escola, além da construção da entrada oficial da escola. 43

Em 12 de junho de 1980, o IPAE realizou no colégio uma recepção em homenagem ao então presidente da república, João Figueiredo, e sua comitiva, que estava viajando para Juiz de Fora, Minas Gerais. Nessa ocasião, o pastor e professor Arthur Dassow palestrou e o coro de estudantes cantou o hino nacional do país. “O fato foi divulgado por diversas agências de notícias, e a direção da escola recebeu várias felicitações pela iniciativa.” 44

Durante a década de 1980, foi construída a padaria (que não está mais em funcionamento) e teve início a construção do Conservatório e da piscina semiolímpica. Tais projetos foram logo concluídos, havendo também a construção de uma sauna e uma quadra poliesportiva com 1.000 m². 45 Um dos fatos que marcaram a história do IPAE foi seu envolvimento com a indústria alimentícia. A padaria recebeu uma nova casa de força, com novos transformadores para sua rede elétrica, em forma de equipamentos da Superbom. 46 A marca de produtos vegetarianos foi registrada sob o nome “Petrobom”, fundada pelo Pastor Cléo Fortes quando ele era o diretor financeiro do IPAE. Posteriormente, ele foi chamado para assumir a assessoria administrativa em vendas especiais na Divisão Sul-América.47

A década de 1990 também foi marcada por avanços gerais em toda a escola. As inovações incluíram o lançamento da pedra fundamental do novo residencial feminino e a construção do Ginásio, da Academia de Musculação e da nova lavanderia. 48 A última mudança na estrutura educacional também ocorreu nessa época. Em 1996, devido a mudanças nas leis que regulamentam a educação no Brasil, 49 todos os cursos profissionalizantes deixaram de ser oferecidos, de forma que o IPAE continuou a oferecer apenas a Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio.50

Chegou a primeira década do novo milênio e, no IPAE, essa época foi marcada pela conclusão da ampliação do layout físico. Nesse período, foi concluído o prédio do dormitório feminino com piscina, lavanderia, capela e terraço. Além desse dormitório, também foi iniciada e concluída uma nova ala do dormitório masculino com piscina e lavanderia, bem como a reforma e ampliação do prédio escolar, com a adição de um terceiro andar e alteração da fachada. O prédio foi reinaugurado em 21 de novembro de 2007, com recursos financeiros doados pelo Dr. Milton Soldani Afonso. Em reconhecimento, o prédio recebeu seu nome. 51

Outras obras também foram realizadas com a participação do Dr. Milton Afonso, dentre as quais a reforma total da igreja, o ginásio polidesportivo e o conservatório de música. Uma piscina aquecida e fornos a lenha também foram construídos para aquecer a água nos residenciais. Foram instalados drenos pluviais e redes de drenagem na praça e nas ruas para evitar possíveis inundações. 52

De 2010 em diante foi uma época de inúmeros avanços. As salas de aula e recepção foram reformadas, uma cantina foi construída dentro do prédio escolar com mesas e bancos, foram adquiridas TVs para a academia, instalada iluminação em toda a escola, bem como calçadas entre os dormitórios e o prédio das salas de aula. Uma inovação na parte educacional foi a implantação do sistema de testes denominado “Dudow”. Nesse sistema, os alunos realizavam simulações preparatórias para o vestibular. 53 Outra conquista durante esse período, importante para o bem do legado adventista e da pesquisa acadêmica, foi a inauguração do “Centro White Histórico e Criacionista”.54

Quanto às melhorias realizadas na última década, o IPAE e seus alunos foram beneficiados com uma nova estrutura de Educação Infantil, com novas salas que contam com banheiros adaptados para as crianças, além de móveis novos e um parquinho. Foi também nesse período que se estimulou o intercâmbio cultural e se investiu na preparação de alunos do ensino médio para o vestibular. A instituição também padronizou seu sistema de avaliação e implantou o Plano Mestre de Desenvolvimento Espiritual - PMDE. 55

Mais recentemente, a instituição tem investido na reforma de diversos ambientes escolares, além de elaborar um projeto de valorização da identidade geral do IPAE. Além de investimentos em estrutura, a escola dedicou um amplo espaço para o desenvolvimento musical de seus alunos por meio de diversos grupos instrumentais e vocais como corais, bandas e orquestras sinfônicas. O conservatório musical oferece cursos em mais de 15 áreas: piano, canto, flauta, clarinete, sax, trompete, trombone, violino, viola, violoncelo, violão, baixo, bateria, música infantil, entre outros. Além de propiciar o aprendizado de diversos instrumentos, esses cursos são sempre acompanhados por aulas de musicalização (ou percepção musical).

Desde a sua fundação, a Instituto Petropolitano Adventista de Ensino tem mantido sua missão declarada de “promover, por meio da educação cristã, o desenvolvimento harmonioso dos alunos nos aspectos físico, intelectual, social e espiritual, de forma que contribuam positivamente para a comunidade, a pátria e tenham uma experiência significativa com Deus.” 56 A visão da escola é “ser uma instituição reconhecida pela qualidade do ensino e pela genuína influência cristã exercida sobre seus alunos”. Os valores trabalhados são: - “Conhecimento de Deus como fonte de toda sabedoria; - A Bíblia como referência de conduta; - Compromisso com a excelência no atendimento educacional; - Sustentabilidade; - Respeito e ética nas relações interpessoais; - Saúde, segurança e responsabilidade socioambiental.”57

Quanto ao número de matrículas, a escola tinha 396 alunos em 2004, chegando a 469 em 2012; eram 387 em 2014; e recentemente 450 alunos em 2019. 58O número de professores e funcionários ao longo dos anos está diretamente relacionado ao número de alunos matriculados na instituição. Com o aumento do número de alunos, mais profissionais são necessários. O registro do número de funcionários e professores foi facilitado com a informatização da secretaria da escola, ocorrida em 2004. Naquele ano, havia 33 funcionários atuando nas mais diversas funções e 18 professores. Ao final de 2012, a escola contava com 80 funcionários e 20 professores. Em 2014, os registros indicam que havia 84 funcionários e 21 professores; e por fim, no ano de 2019, esses números cresceram para 115 funcionários, que incluíam 22 professores formados em cursos superiores correspondentes às suas áreas de conhecimento específicas da grade escolar. 59

Ao longo dos anos, o IPAE estabeleceu um relacionamento saudável com o governo brasileiro por meio do cumprimento diligente das leis. Assim, o maior desafio que o IPAE enfrenta à data deste registo refere-se à sua situação financeira, que necessita de ser melhorada de forma a atualizar algumas áreas estruturais que ainda necessitam de ser construídas ou reformadas. 60

Papel Histórico da Escola

O propósito da Igreja Adventista do Sétimo Dia é entregar a última mensagem de preparação antes do advento de Cristo na Terra, e todos são convidados a se preparar para esse evento final na história mundial. Como instituição pertencente à Rede Adventista de Educação, as atividades humanitárias que o IPAE realiza sistematicamente em sua vizinhança são planejadas intencionalmente para mostrar à comunidade as bênçãos de seguir Jesus. 61

Alinhado aos projetos evangelísticos da Missão Global, 62 o IPAE está contribuindo para a implantação da Igreja Adventista do Sétimo Dia na cidade de Itaipava, sendo que já existe uma igreja implantada no bairro do Sertão do Carangola, a Igreja Adventista do Vale do Carangola. 63 A equipe pastoral da igreja do IPAE, em conjunto com um grupo de servidores e alunos, promove diversas atividades com a comunidade do bairro onde a igreja está localizada. São palestras, visitas, distribuição de cestas básicas e agasalhos, curso profissional de carpintaria e programas voltados para jovens, por meio do clube dos Desbravadores. A escola também possui um Centro Missionário que prepara os jovens para servir a igreja e as comunidades onde quer que estejam. 64

Muitas atividades também são oferecidas a alunos do ensino médio pela capelania do IPAE via currículo de Educação Religiosa, com a promoção do envolvimento de alunos internos em missões comunitárias e atividades evangelísticas. Entre essas práticas estão campanhas como o Anti-Bullying e o Setembro Amarelo, 65 além de diversos grupos musicais que geralmente se apresentam em locais públicos. Muitos batismos foram realizados como resultado desse envolvimento. 66

Além dessas atividades, a escola está envolvida em programas promovidos pela Igreja Adventista em toda a América do Sul, tais como Impacto Esperança, 67 Campanha Quebrando o Silêncio, 68 Feiras de Saúde 69 e Projetos de Construção e Reforma de Casas.

O que Resta a Ser Feito para Cumprir a Missão da Escola

Ao longo dos 80 anos de fundação do IPAE, seus dirigentes sempre buscaram o desenvolvimento da escola e o cumprimento de sua missão. Isso foi alcançado por meio de pequenas e grandes mudanças na estrutura do ambiente escolar e do incentivo aos alunos para praticar esportes, criar bons hábitos de leitura, desenvolver bons relacionamentos e entregar totalmente suas vidas a Deus. Assim, a instituição de ensino tem ensinado seus alunos a se preparar não só intelectualmente para o mercado de trabalho, mas também para a vida.

A administração escolar busca fazer do IPAE uma instituição de excelência e destaque na comunidade em que está inserida. Um dos meios para alcançar esse objetivo é atingir, no mínimo, 800 pontos na avaliação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). 70 Além disso, é necessário levantar fundos nesse momento para reforma das estruturas (em particular, dormitórios masculinos e femininos) e trocar os móveis de alguns edifícios. Portanto, os alunos que fazem parte da escola devem continuar as campanhas de divulgação em igrejas, escolas públicas, comércio e comunidades vizinhas, a fim de continuar atraindo novos alunos. 71 No âmbito acadêmico, a instituição pretende implantar cursos de idiomas na Educação Infantil e no Ensino Médio e continuar promovendo a preparação dos alunos para o vestibular.

O IPAE buscará avançar alinhando-se aos objetivos da educação adventista. “A proposta pedagógica da Rede Educacional Adventista visa atender às necessidades gerais de aprendizagem, formando alunos atenciosos e criativos.” O IPAE segue essa linha didática e, por isso, “estimula a transformação do conhecimento em atitudes, a partir da solução de problemas do cotidiano dos alunos”. Tendo como base “as premissas da educação cristã, essa proposta tem o compromisso de nortear as atividades didáticas das escolas da rede, sistematizando a prática pedagógica e o cotidiano escolar, imprimindo a ideia de qualidade do ensino”. 72Tudo isso é fundamental porque é necessário preparar os jovens com princípios e valores cristãos para que possam viver em um mundo cada vez mais distante do ideal de Deus para o ser humano. 73

Cronologia dos Diretores74

IEAP - Instituto Educacional e Agrícola de Petrópolis (1939): John D. Hardt (1939-1940).

ITA – Instituto Teológico Adventista (1940-1959): Walter J. Brow (1941-1943); Siegfried Júlio Schuwantes (1944-1946); João Bork (1947-1949); Tossaku Kanada (1950); Jairo Araújo (1951); Darrel D. Holtz (1952-1953); Ernesto Roth (1954-1955); Silas Ferreira Lima (1955-1957).

IPE – Instituto Petropolitano de Ensino (1960-1971): Neander Calvin Harder (1958-1961); Cláudio Chagas Belz (1962-1964).

IPAE - Instituto Petropolitano Adventista de Ensino (1972-atual): Zizion Fonseca (1965-1972); Antônio Moisés (1973); Zeferino Stabnow (1974-1979); Arthur Dassow (1980-1984); Daniel Pereira Baia (1985-1987); Ner Costa Souza (1988-1990); Enoch da Silva (1990-1991); Ednilson Medeiros (1992-2000); Ervino Will (2001-2012); Jefferson Ricardo de Andrade (2012-2014); Elias Costa de Oliveira (2015-2019); Robledo Moraes (2019-atualmente). 75

Referências

“A Segunda Conferencia da União Brazileira” Revista Adventista, (março-abril de 1912).

Atas da Associação Rio de Janeiro, 7 de dezembro, 2000, 27 de setembro, 2012 e 20 de setembro, 2019. Arquivos da Associação Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Barbosa, Paulo. “Atividades Missionárias no ITA.” Revista Adventista 54, no. 9 (setembro 1959).

Brown, Walton J. “Convenções dos M. V. na Missão Rio-Minas Gerais” Revista Adventista 34, no. 2 (fevereiro de 1939).

Brown, Walton J. “De Todo o Brasil.” Revista Adventista 39, no. 1 (janeiro de 1944).

Canedo, Roberto Gullón. Uma semente de esperança. História da estrutura denominacional. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2015.

Chagas, Anísio. “Novas da Associação Rio-Minas.” Revista Adventista, 65, no. 9 (setembro de 1970).

Educação Adventista. https://www.educacaoadventista.org.br/.

Filho, Ubirajara de Farias Prestes. “Territórios e Fronteiras.” Revista do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Mato Grosso, 6, no. 1 (janeiro-junho de 2005).

Gross, Renato. Colégio Internacional de Curitiba: uma história de fé e pioneirismo. Rio de Janeiro, RJ: Collins, 1996.

IPAEhttp://ipae.org.br/.

“IPAE Homenageia Presidente Figueiredo.” Revista Adventista, (agosto de 1980).

Perez, Judson C. “História da Sociedade de Jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia no Brasil, 1899 a 1999: uma análise da perspectiva missiológica.” Tese doutoral, Centro Universitário Adventista de São Paulo, Campus Engenheiro Coelho, 2010.

“Relatório de Colportagem.” Revista Adventista (março de 1915).

Replogue, L. “O Primeiro Batismo no Instituto.” Revista Adventista 35, no. 3 (março de 1940).

Rio de Janeiro. Petrópolis. Censo Brasileiro de 2018. População estimada. IBGE, acessado em 18 de dezembro, 2019, https://bit.ly/2YXGvwe.

Schwarcz, Lilia Moritz e Heloisa Murgel Starling. Brasil: uma biografia. São Paulo, SP: Companhia das Letras, 2015.

“Seminário de Liderança Cristã Reúne Administradores no IPAE.” Revista Adventista (fevereiro de 2019).

Site da Igreja Adventista do Sétimo Dia (Brasil). http://www.adventistas.org/pt/.

Sistema APS/IPAE e Relatórios de Fechamento/Secretaria.

Stabnov, Zeferino. “1978 – Ano Mundial da Educação Adventista – Maravilhosa História de Um Colégio.” Revista Adventista 73, no. 5 (maio de 1978).

Superbom. https://www.superbom.com.br/.

“Superbom tem novos desafios.” Revista Adventista, junho de 2003.

Thurston, W. H. “Brazil.” ARH 72, no. 15 (abril de 1895).

Thurston, W. H. “Brazil.” ARH 73, no. 40 (abril de 1896).

Wilcox, E. H. “União Este Brasileira.” Revista Adventista 25, no. 6 (junho de 1930).

Notas de Fim

  1. Censo Brasileiro de 2018, Petrópolis, Rio de Janeiro, nível geográfico Petrópolis (RJ) - 3303906, população estimada, IBGE, acessado em 18 de dezembro, 2019, https: / /bit.ly/2YXGvwe.
  2. Lilia Moritz Schwarcz e Heloisa Murgel Starling, Brasil: uma biografia, São Paulo, SP: Companhia das Letras, 2015, 211.
  3. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  4. Sistema da APS/IPAE e Relatórios de Fechamento/Secretaria.
  5. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  6. W. H. Thurston, “Brazil,” ARH 72, no. 15 (abril de 1895): 236.
  7. Renato Gross, Colégio Internacional de Curitiba: uma história de fé e pioneirismo, Rio de Janeiro, RJ: Collins, 1996, 45, 56.
  8. Roberto Gullón Canedo, Uma Semente de Esperança. História da Estrutura Denominacional, Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2015, 50.
  9. W. H. Thurston, “Brazil,” ARH 73, no. 40 (outubro de 1896): 638.
  10. “A Segunda Comissão da União Brazileira,” Revista Adventista, (março-abril de 1912): 11-12.
  11. O colportor evangelista da Igreja Adventista dfo Sétimo Dia é o missionário que “desenvolve seu ministério adquirindo e vendendo ao público as publicações editadas e aprovadas pela Igreja, com o objetivo de transmitir a seus semelhantes o Evangelho eterno que traz salvação e bem-estar físico e espiritual.” Acessado em 30 de agosto, 2018, http://bit.ly/2RDbZEm.
  12. “Relatório de Colportagem,” Revista Adventista (março de 1915): 6.
  13. E. H. Wilcox, “União Éste Brasileira,” Revista Adventista 25, no. 6 (junho de 1930): 11.
  14. Walton J. Brown, “Convenções dos M. V. na Missão Rio-Minas Gerais,” Revista Adventista 34, no. 2 (fevereiro de 1939): 11
  15. Ubirajara de Farias Prestes Filho, “Territórios e Fronteiras,” Revista do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Mato Grosso, 6, no. 1 (janeiro-junho de 2005): 172.
  16. Zeferino Stabnov, “1978 – Ano Mundial da Educação Adventista – Maravilhosa História de Um Colégio,” Revista Adventista 73, no. 5 (maio de 1978): 14.
  17. Ibid.
  18. Ibid., 16.
  19. Ibid., 14.
  20. Ibid.
  21. Registros em arquivos reminiscentes do IPAE na biblioteca Pastor Arthur Dassow/IPAE.
  22. L. Replogue, “O Primeiro Batismo no Instituto,” Revista Adventista 35, no. 3 (março de 1940): 12.
  23. Zeferino Stabnov, “1978 – Ano Mundial da Educação Adventista – Maravilhosa História de Um Colégio,” Revista Adventista 73, no. 5 (maio de 1978): 15.
  24. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  25. Zeferino Stabnov, “1978 – Ano Mundial da Educação Adventista – Maravilhosa História de Um Colégio,” Revista Adventista 73, no. 5 (maio de 1978): 15.
  26. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  27. Judson C. Perez, “História da Sociedade de Jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia no Brasil, 1899 a 1999: uma análise da perspectiva missiológica,” tese doutoral, Centro Universitário Adventista de São Paulo, campus Engenheiro Coelho, 2010, 148.
  28. Walton J. Brown, “De Todo o Brazil,” Revista Adventista 39, no. 1 (janeiro de 1944): 7
  29. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  30. Ibid.
  31. Paulo Barbosa, “Atividades Missionários no ITA,” Revista Adventista 54, no. 9 (setembro de 1959): 24.
  32. Zeferino Stabnov, “1978 – Ano Mundial da Educação Adventista – Maravilhosa História de Um Colégio,” Revista Adventista 73, no. 5 (maio de 1978): 15.
  33. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  34. Anísio Chagas, “Novas da Associação Rio-Minas,” Revista Adventista 65, no. 9 (setembro de 1970): 30.
  35. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  36. Ibid.
  37. Zeferino Stabnov, “1978 – Ano Mundial da Educação Adventista – Maravilhosa História de Um Colégio,” Revista Adventista 73, no. 5 (maio de 1978): 15.
  38. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  39. Ibid.
  40. “A Golden Cross [é uma] empresa pioneira no setor de saúde suplementar no Brasil e atualmente conta com cerca de 500 mil clientes empresariais.” Acessado em 16 de janeiro, 2020, http://bit.ly/2u938SN.
  41. Zeferino Stabnov, “1978 – Ano Mundial da Educação Adventista – Maravilhosa História de Um Colégio,” Revista Adventista 73, no. 5 (maio de 1978): 15.
  42. “Seminário de Liderança Cristã Reúne Administradores no IPAE,” Revista Adventista (fevereiro de 2019): 22.
  43. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  44. “IPAE Homenageia Presidente Figueiredo,” Revista Adventista (agosto de 1980): 22.
  45. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  46. A Superbom é “uma das maiores companhias no ramo de alimentos saudáveis direcionados ao público vegetariano/vegano brasileiro” que pertence à Igreja Adventista do Sétimo Dia. Acessado em 18 de dezembro, 2019, https://bit.ly/37yijUl.
  47. “Superbom tem novos desafios,” Revista Adventista (junho de 2003): 30.
  48. Leonidas Guedes (secretário executivo/Comunicação da União Sudeste Brasileira), mensagem por e-mail para o autor, 17 de setembro, 2019.
  49. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), Leis: 4.024/61, 5.692/71, 9.394/96; Constituição Federal de 1988; Lei nº 8.069/90 (Estatuto da Criança e do Adolescente), além de leis da SEE/RJ.
  50. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  51. Ibid.
  52. Ibid.
  53. Ibid.
  54. Ibid.
  55. Ibid.
  56. IPAE, “Home”, acessado em 18 de dezembro, 2019, http://ipae.org.br/.
  57. Ibid.
  58. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  59. Ibid.
  60. Ibid.
  61. Ubirajara de Farias Prestes Filho, “Territórios e Fronteiras,” Revista do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Mato Grosso, 6, no. 1 (janeiro-junho de 2005): 172.
  62. “A Missão Global é braço da missão da linha de frente da Missão Adventista, um departamento da sede mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Os projetos da Missão Global começam como iniciativas locais. Ela apóia as iniciativas locais do ministério da linha de frente em áreas não penetradas e ajuda a envolver todos os departamentos da igreja nessa tarefa.” Acessado em 15 de janeiro, 2020, http://bit.ly/35Wz9e0.
  63. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019; Atas da Associação Rio de Janeiro, nº 00-176, 7 de dezembro, 2000; Atas da Associação Rio de Janeiro, nº 12-048, 27 de setembro, 2012; Atas da Associação Rio de Janeiro, nº 19-072, 20 de setembro, 2019.
  64. O Clube dos Desbravadores é formado por “meninos e meninas com idades entre 10 e 15 anos, de diferentes classes sociais, cor, religião. Reúnem-se, em geral, uma vez por semana para aprender a desenvolver talentos, habilidades, percepções e o gosto pela natureza.” Esses meninos e meninas “Vibram com atividades ao ar livre. Gostam de acampamentos, caminhadas, escaladas, explorações nas matas e cavernas. Sabem cozinhar ao ar livre, fazendo fogo sem fósforo. Demonstramos habilidade com a disciplina através de ordem unida e têm a criatividade despertada pelas artes manuais. Combatem, também, o uso do fumo, álcool e drogas.” Acessado em 9 de outubro, 2019, http://bit.ly/2FDRqTh.
  65. “O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. No Brasil, foi criado em 2015 pelo CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), com a proposta de associar à cor ao mês que marca o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio (10 de setembro). A ideia é pintar, iluminar e estampar o amarelo nas mais diversas resoluções, garantindo mais visibilidade à causa. Ao longo dos últimos anos, escolas, universidades, entidades do setor público e privado e a população de forma geral se envolveram neste movimento que vai de norte a sul do Brasil.” Acessado em 8 de janeiro, 2020, https://bit.ly/2N8frFJ.
  66. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  67. O projeto “Impacto Esperança" promove a leitura e provê distribuição anual de livros adventistas no território da América do Sul. Acessado em 18 de abril, 2019, https://bit.ly/34dZROO.
  68. “Quebrando o Silêncio é um projeto educativo e de prevenção contra o abuso e a violência doméstica promovido anualmente pela Igreja Adventista do Sétimo Dia em oito países da América do Sul, (Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai) desde o ano de 2002.” Acessado em 16 de janeiro, 2020, https://bit.ly/2WoDfIW.
  69. “Baseados no clássico “A Ciência do Bom Viver” e nas mais recentes descobertas da ciência, os adventistas acreditam que oito destes hábitos são fundamentais para manter a saúde e recuperá-la na maioria dos casos. E é para promover o ensino prático destes oito hábitos que existe a Feira de Saúde – um programa oficial do Ministério da Saúde da Igreja Adventista do Sétimo Dia, sem fins lucrativos e que é realizado por voluntários.” Acessado em 5 de dezembro, 2019, https://bit.ly/2PwE5hR.
  70. Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tem o objetivo de avaliar o desempenho do estudante ao fim da escolaridade básica. “O Enem é utilizado como critério de seleção para os estudantes que pretendem concorrer a uma bolsa no Programa Universidade para Todos (ProUni). Além disso, cerca de 500 universidades já usam o resultado do exame como critério de seleção para o ingresso no ensino superior, seja complementando ou substituindo o vestibular.” Acessado em 26 de março, 2019, http://bit.ly/35XZGb7.
  71. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  72. Educação Adventista, “Proposta Educacional.” Acessado em 28 de janeiro, 2020, https://bit.ly/2Rx5J2m.
  73. Leônidas V. Guedes (Secretário Executivo da USeB/Comunicação), mensagem por e-mail para Rodolfo Figueiredo de Sousa (redator da ESDA), 17 de setembro, 2019.
  74. Ibid.
  75. Mais informações sobre o IPAE podem ser encontradas no site: http://ipae.org.br/ ou nas mídias sociais - Facebook: @colegioadventistaipae; Instagram: @ ipaeoficial; Twitter: @ipaeoficial e Youtube: TVIPAE.
×

Sousa, Rodolfo Figueiredo de, Leônidas Verneque Guedes. "Petropolis Adventist Academy." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. October 22, 2021. Accessed August 08, 2022. https://encyclopedia.adventist.org/article?id=BIB0.

Sousa, Rodolfo Figueiredo de, Leônidas Verneque Guedes. "Petropolis Adventist Academy." Encyclopedia of Seventh-day Adventists. October 22, 2021. Date of access August 08, 2022, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=BIB0.

Sousa, Rodolfo Figueiredo de, Leônidas Verneque Guedes (2021, October 22). Petropolis Adventist Academy. Encyclopedia of Seventh-day Adventists. Retrieved August 08, 2022, https://encyclopedia.adventist.org/article?id=BIB0.